segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

As injecções

Não, não se trata de vacinas ou antibióticos. Nada disso. Trata-se das injecções financeiras do governo no BPN. Ainda estou meia aparvalhada com o que li e ouvi. Nem sei se terei compreendido bem.
Então não é que se anuncia que foi decidido "injectar" mais 500 milhões de euros de fundos públicos naquele banco, através de um aumento de capital para "limpar a situação líquida negativa"?! Pois é, parece, verdade.
E, como ninguém quis pegar no banco quando ele foi posto à venda, depois de ter sido comprado pelo Estado, a solução agora encontrada é a de mais uma injecção. Mas não só.
Como o BPN deve à CGDepósitos 4,8 mil milhões de euros - não falando já dos 3 mil milhões de depósitos -, a proposta do governo passa por autonomizar as duas instituições. O que significa, na prática, ficar com dois bancos públicos. Diz-se que a solução visa preservar 1800 empregos...
Claro que os activos tóxicos da instituição - um bico de obra - , cifrados em 1,9 mil milhões de euros, continuam num "veículo" externo à dita, não tendo eu, até agora, percebido o que se lhes vai fazer. De certo, também falha minha, que desde o início desta telenovela, não consigo entender bem o alcance das sucessivas medidas que têm sido tomadas.
Mas, já agora, gostava francamente de saber o que pensam da proposta as entidades reguladoras, ou seja, o Banco de Portugal e a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. Aguarda-se para ver...
HSC

13 comentários:

Mommy Kiki disse...

Não percebo nada de economia nem percebi nada do que aqui escreveu mas percebi que cheira mal! :)

Helena Sacadura Cabral disse...

Mommy Kiki
Explico melhor. O banco BPN devia falir. O governo, para que isso não acontecesse, comprou-o com o nosso dinheiro através da CGDepósitos que é um banco publico.
Para se ressarcir do que tinha gasto, o governo pôs o BPN à venda. Ninguém o quis comprar. Para o aguentar, vai ter de lá meter mais dinheiro. Ou seja 500 milhões de euros. Porquê? Para quê? Não se entende e ninguem explica. É disso que o post fala. Do nosso dinheiro e do destino que o governo lhe dá quando nos exige sacrifícios.
Fui mais clara?

Lura do Grilo disse...

O Banco devia obviamente falir. Os accionistas e os credores assumiriam os prejuízos. Estamos a tratar um tuberculoso sem máscara de protecção.

voz a 0 db disse...

Mais valia ter dito: "ESTAMOS A SER ROUBADOS"

Resume bem o caso BPN...

Sempre, pensei, e disse, que por mim o BPN tinha falido. Pois até hoje não consigo vislumbrar uma única razão válida para se ter nacionalizado aquele buraco financeiro.

Ältere Leute disse...

Obrigada pela resposta a Mommy Kiki: sintética, clara, própria de alguém que, sobretudo na prática docente em que, de algum modo, me reconheço, "desembrulha" o que governantes e economistas ( uns de um lado, outros do outro ) vêm "embrulhando" de modo demasiado desesperante para as nossas mentes. Sim, porque os corações, pelo menos,se não sentem o mau cheiro, adivinham-no...

Mommy Kiki disse...

Mais clara impossível!
Cada vez a admiro mais! Adoro "lê-la" e ouvi-la e confesso que venho cá sempre conhecer a sua opinião sobre o que se vai passando nesta pequena nação! Obrigada pelos seus posts, pela sua sabedoria e principalmente pelo seu humor!

voz a 0 db disse...

Esqueci-me de referir um dado muito simples mas que reforça a minha convicção, de que fomos e continuamos a ser ROUBADOS:
Em 31Dez07 (antes do buraco negro) o BPN reportava uma carteira de Clientes "vivos" de 204.000... Ora isto representava, e considerando a população de +-8.699.515 (pessoas com mais de 15 anos, todos os potenciais clientes!) temos que o BPN detinha apenas 2.3449% do potencial de clientes "vivos"...
Se isto representava um risco sistémico estamos todos "fritos"...
Se isto já era assim na altura, hoje em dia, quando os Clientes devem ser bem menos que 204.000 o que dizer sobre esta verdadeira palhaçada.

Anónimo disse...

Estimada Helena,
Foi muito clara. Gostei de a ler. Quanto ao BPN, aquilo é inqualificável! Ah! E o Sr. Loureiro continua "à solta", catita da vida, by the way! Com o aval de muita gente "relativamente" importante...
P.Rufino

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro P. Rufino
E o outro rapaz, o Rendeiro?!
:(((

Pedro Neves disse...

Gostaria de partilhar esta ideia consigo:
http://robinhoodtax.org/

Acho que não é nova, mas não podia ser mais pertinente o momento!

Eu já assinei!

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Pedro Neves
A ideia não é de facto nova. E entre nós tem sido muito instrumentalizada pelo BE.
Vi o vídeo e gargalhei com gosto perante o actor que faz de banqueiro...
Gostava de ver ali naquela cadeira Ricardo Salgado para ver o que ele respondia!
A ideia devidamente aplicada e sem servir de arremesso político até merece a minha simpatia!

voz a 0 db disse...

O Ricardo Salgado dizia logo "Quem vai pagar isso são os Clientes"

Anónimo disse...

É verdade, o rendeiro! Já me esquecia desse marau! Pois, outro que tal!
P.Rufino