quinta-feira, 11 de novembro de 2010

E esta?

Acabo de receber uma carta da Galp Energia que me informa que a minha factura de gás natural vai passar "a incluir um valor adicional que corresponde à taxa municipal de ocupação de subsolo, cujo montante é determinado pela sua autarquia, nos termos da legislação em vigor. Este valor é apresentado de forma destacada na factura de gás natural, com indicação do município a que se destina".
Mais informam que as empresas do sector são alheias a este valor, de que apenas são instrumento de cobrança, sendo o mesmo entregue, na íntegra, ao Município.
A resolução do Conselho de Ministros nº 98/2008, de 8 de Abril estabeleceu, através de contratos de Concessão de Serviço Público de Distribuição Regional de Gás Natural, que os custos com esta taxa de ocupação de subsolo seriam suportados pelos consumidores de cada Município.
Estou de boca aberta. Fui obrigada a substituir o gás que tinha, pelo natural. E agora vêm-me cobrar uma taxa de ocupação do subsolo?! E a água? E os telefones? E a televisão por cabo? E tudo o que anda pelo susolo também vai cobrar taxa para o Dr. António Costa me deixar cheia de buracos à porta e de lixo nas ruas que só são lavadas pela chuva?
Mas o que é isto? Mete-se a mão no bolso de quem quer que seja? E já agora os mortos também vão pagar por ocupação de subsolo?

HSC

22 comentários:

Anónimo disse...

A palavra de ordem de quem gere os nossos, pobres, destinos é, actualmente…extorsão!
Como dizia um (já falecido) tio duriense: “isto já só vai à bomba, rapaz, só à bomba!”
P.Rufino

Presépio no Canal disse...

O que me ri consigo, agora ;-)) a imaginar as viuvas a receber cartas com teor semelhante...
Ai, Meu Deus, mas a que pontos isto chegou...inacreditavel...

Uma partilha:
Fiquei deprimida na minha ultima visita a Lisboa. O lixo, os buracos, os edificios a cair, os anuncios a apelar a venda do ouro pessoal, o mau gosto das novas contrucoes da Avenida da Republica...

Tem toda a razao, Helena, toda!!

Bom Dia de Sao Martinho para si e todos os seus!
Coma umas castanhas assadas por mim!

(Hoje, vou preparar-me para receber as criancas que irao a aparecer a porta a cantar e a pedir doces e frutas...tradicoes Holandesas deste dia :-)

Um beijinho desta sua leitora assidua!

Anónimo disse...

Fico aparvalhada de todo. Então e um terreno onde eles passaram, que era, e é, meu,escavaram usaram, sem me comunicar coisa nenhuma. Soube pk um amigo me avisou e mesmo reclamando ñ me pagaram qq indeminização, argumentando utilidade pública. Hj naquele espaço invadido abusivamente sem dizer àgua vai, ñ posso fazer coisa ne nenhuma, nem colocar 1 árvore. E agora essa?
Se isto ñ é de loucos, então a louca sou eu?
Sevajaria insaciável...
Estou fula! Desculpe... !
MariAna

Helena Sacadura Cabral disse...

Amigos
No tempo da outra senhora não tinhamos liberdade. Hoje temos a liberdade de nos roubarem...

TERESA SANTOS disse...

Cheguei àquela fase em que já nada me espanta!
Ah, mas o melhor, o melhor é não os lembrar de tudo o mais que passa por baixo do subsolo...
É vergonhoso, simplesmente!

voz a 0 db disse...

E se fosse só na factura do gás natural... olhe para as outras que implicam utilizam do subsolo, tipo tv cabos, fibras ópticas etc!!!
Viva a Liberdade... a por si descrita claro...

Lura do Grilo disse...

Assim aconteceu quando terminaram com o aluguer do contador de água. Logo colocaram uma taxa de disponibilidade. Não há vida além das taxas, dos impostos e das comissões.

Tudo enjoa quase tanto como as sanduíches da TAP.

Pedro disse...

e esta, hein?
do Peça saudoso :)

o ADSL é a mesma coisa: as Câmaras cobram uma taxa de passagem dos cabos, mas a fachada da casa que está esburacada para os cabos passarem é a fachada da MINHA casa, por isso eu deveria cobrar uma taxa à Câmara de Oeiras, não só por fachada danificada, mas também por direitos de passagem dos cabos pela minha propriedade

Pedro

jsoveral disse...

Também recebi esta carta e é uma vergonha em todos os sentidos. Uma manifestação de desespero, de quem não sabe gerir dinheiros públicos e se aproveita do pobre do subsolo numa operação de minagem às nossas carteiras.
A concessionária do serviço também não sai nada bem na fotografia.

Anónimo disse...

Pelo andar da carruagem, como se costuma dizer, não me admira que inventem outros impostos, ou taxas, ainda mais bizarras. Por exemplo, uma taxa municipal por andar a pé, com vista a custear o desgaste dos passeios, um imposto de cada vez que se utiliza papel para escrever (em vez de nos restringirmos à comunicação através das “novas tecnologias”), com vista a poupar arvores e assim respeitar o meio ambiente e as florestas, e quem sabe, um dia, um imposto por pensar e agravado se pensarmos diferente de quem nos impôs o dito imposto! Como dizia uma comentarista, “já nada me admira também!”
Pensando bem (e enquanto não pago por isso), se calhar, um dia, é melhor “pisgar-nos” daqui para fora e deixa-los cá juntamente com os tais impostos e taxas da treta!
P.Rufino

Nuno Martins de Pina disse...

Não paga o Morto mas paga o Conjugue!!! Cá em Almada paga-se e se as ossadas forem ( após 5 anos )para uma gaveta paga-se o aluguer...há pessoas que não sabem disto...

Maria Sousa disse...

Já agora posso acrescentar (pois já fui vereadora numa Câmara Municipal, embora sem pelouro atribuído) que o espírito que esteve na base da criação desta taxa foi dotar as autarquias de uma verba (reflectida nos consumidores, claro!) que lhes permitisse reparar os pavimentos danificados por todas essas empresas que os esburacam e não os repôem. Mas.... e aqui reside o mais caricato de toda esta situação, é que são raras as empresas que entregam estes valores às respectivas autarquias, acrescentando-o ao seu pecúlio, em vez disso, sem que as autarquias consigam resolver o problema, mesmo com a intervenção da ANMP.
E assim vamos andando neste nosso Portugal...

Luis Bento disse...

Portugal não é um país...é um parágrafo incompleto no manual da incivilidade...

António R. disse...

Agora parece que também as autarquias vão cobrar uma taxa aos bancos por causa de terem máquinas ATM no exterior. Claro está que quem vai pagar essa taxa ao bancos...vai ser quem tem lá conta.

pedro oliveira disse...

«No tempo da outra senhora não tinhamos liberdade. Hoje temos a liberdade de nos roubarem...»

Não, doutora Helena, hoje temos a liberdade de optarmos, de escolhermos.
Pode, por exemplo, optar por não ter água canalizada; deixa de a pagar [passa a ir aos banhos públicos e às fontes].
Pode, por exemplo, optar por não ter electricidade; utiliza velas e portáteis com bateria.
Pode, por exemplo, optar por não ter gás ocupativo do subsolo; paga para lhas levarem a casa ou carrega-as como num anúncio que diziam que as bilhas actuais têm o peso duma pluma.
Espero ter conseguido dar conselhos aproveitáveis... boa poupança.

Helena Sacadura Cabral disse...

Pedro Oliveira
Só temo que as filas sejam muitas...

zeliams disse...

Estes serviços são pródigos em extorquir dinheiro e num país que anda a saque, qual faroeste, vale tudo (até os cemitérios pagam taxa de audiovisual!).
Na verdade, esses senhores mais não são que "cowboys", legalmente mandatados, a quem só falta andar de pistola pistola em punho para nos fazerem a cobrança.
Salve-se quem puder! Vade-retro!

Anaquariana disse...

Até que enfim vejo alguém a falar sobre esta absurda taxa de ocupação do subsolo. Fiquei aparvalhada quando li aquilo na factura e pensei: 'Alguém vai falar sobre isto e dizer que é ilegal' mas não, não ouvi ninguém queixar-se, nem ouvi ninguém defender os consumidores.
Preparemo-nos para viver em cavernas, é que já estivemos mais longe!...
Um abraço

(c) P.A.S. disse...

Pedro Oliveira

Podemos até optar, numa manifestação já menos soft, em meter todos os "ruminantes" que não perceberam que a democracia exige acima de tudo civilidade e respeito, e enviá-los quais verdadeiros ciganos, que não romans (que esses ainda são homens e mulheres de verdade), para uma ilha deserta onde possam construir uma distopia baseada no esbulho e no roubo generalizado.
Já começa realmente a haver pouca paciência para este país com tanta gente mal formada!

Maria Isabel disse...

Realmente, só nos faltava esta!
Ladrões!

Patrícia Teodoro disse...

Extactamente a mesma indignação por estes lados

Julia Macias-Valet disse...

Helena opte pelas energias renovavéis...e feche-lhes o bico...de gas : ))