domingo, 1 de novembro de 2009

Camilo Castelo Branco

Ando cheia de trabalho e, por causa disso, com pouca vontade de "aparecer". Mas tinha assumido dois compromissos para Outubro e Novembro. Eram duas conversas. Uma, decorreu esta semana, em S. Miguel de Seide, a convite da Casa Museu de Camilo, que todas as últimas sextas feiras de cada mês, tem um convidado para falar ou de um livro ou de um filme. A outra, irá decorrer a 24 de Novembro, no Teatro D. Maria, em Lisboa.
Saí, assim, da capital na quinta feira, em direcção ao Norte, depois de ter escolhido o filme Gran Torino. Estreado em Portugal em Março, trata-se da última obra de Clint Eastwood, na qual ele é actor, produtor e realizador. Ainda hesitei entre "A idade da incência" e "Magnólia", ambos excelentes. Mas Gran Torino havia-me tocado muito particularmente quando o vi.
A sessão começou com a explicação das razões que me tinham levado àquela opção e com as minhas pistas para o modo como encarara a mensagem de Clint. Seguiu-se a projecção do filme e, finalmente, o diálogo. Fiquei muito contente com o resultado e espero que quem me ouviu também tenha ficado.
Mas depois, fiquei para me embrenhar em Camilo. Visitei a casa onde viveu e morreu, vi a exposição sobre as mulheres da sua vida. E passeei, até, por alguns dos locais onde decorreu parte da sua infância e que ele tão bem descreve nos seus livros.
Nesta digressão tive a sorte de ser acompanhada pelo Dr. José Manuel Oliveira que foi um guia excelente. De facto, não só fez uma criteriosa selecção de textos do autor, como teve a paciencia de mos ler nos lugares que os mesmos evocavam.
Tive ainda, pela sua mão, a oportunidade de visitar a Fundação Cupertino de Miranda e apreciar uma excelente mostra de pintura surrealista do tempo de Cruzeiro Seixas.
Finalmente, sabendo do meu apreço pela boa comida, o roteiro gastronómico foi de tal qualidade que não consigo eleger nem o melhor restaurante nem o melhor prato. Foi tudo pensado com tanto cuidado que só posso dizer que esta "digressão camiliana" me deixou rigorosamente de água na boca!

H.S.C

5 comentários:

Pedro Lopes disse...

o Camilo está "vazio"
:-))

Fada do bosque disse...

Querida Helena.

Tem tal magnetismo, uma força de tal forma fascinante, o poder de um Anjo na Terra sai do seu olhar, que conhecê-la pessoalmente, foi um acontecimento que para sempre irá ficar gravado nos meus olhos e no meu coração. Um momento fora do comum, ficou para marcar a minha vida.
Agora entendo realmente porque é tão amada e admirada por todos.
Obrigada por ter vindo ao norte, obrigada por me ter dado esta oportunidade, na minha vida.

Bem haja por ser como é.

Manuela Araújo disse...

Cara Helena
Famalicão é que agradece a sua passagem. Foi um privilégio conhecê-la pessoalmente, a sua boa disposição é contagiante. Parabéns pelo filme escolhido, lindíssimo e humano, parabéns pelo diálogo que estabeleceu com a plateia, pela simplicidade e emotividade da abordagem. Adorei.
Bem haja!

Pedro Lopes disse...

no D. Maria é isto?

"Personalidades de várias áreas criam uma relação entre o seu campo de estudo específico ou actividade e o Teatro.
TEATRO E COMUNICAÇÃO
24 Nov
convidada DR.ª HELENA SACADURA CABRAL
19h | Salão Nobre
público-alvo Público em geral, professores e alunos de Economia, profissionais e alunos de Artes Cénicas"

será a 17 ou a 24?
obrigado

Helena Sacadura Cabral disse...

Meu caro Pedro, nem sabe do que me salvou...
Veja lá que estava completamente convencida que era a 17. Tanto que aceitei apresentar o livro da Margarida Rebelo Pinto a 25, considerando que era uma semana depois!
Afinal são "só" dois dias seguidos, em contínuo de conversa. Bem haja, pois, pela sua dúvida, que me salvou de aparecer no Teatro com uma semana de antecedência. Devo estar a começar com o Alzheimer, salvo seja!