quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Uma sensação estranha...

Hoje tive de ir à minha oftalmologista, a Dra Isabel Almasqué que, com o meu cardiologista, o Dr. Abreu Loureiro, formam o dueto que me mantém vivinha da costa. Ambos são, felizmente, meus amigos pessoais.
À entrada dou de caras com uma senhora que, num passado longínquo, encontrei algumas vezes em jantares a que fui. A pessoa em causa é mãe de gente importante é conhecida no país. Fiquei um pouco à conversa e, de forma surpreendente, falou-me da vida profissional de cada um dos filhos como se da dela própria se tratasse. O envolvimento, a satisfação, o pormenor denunciavam à saciedade que sabia do que estava a falar.
Quando vinha para casa pensei em como eramos diferentes. Sei e participo intensamente da vida profissional dos meus filhos. Mas luto por não misturar a minha vida familiar com a carreira dos infantes. Nunca fui a uma posse nem entrei na sede de um partido. E faço disso um ponto de honra.
Mesmo com os netos jamais consenti - e muito mo pedem certas revistas - numa foto para publicar, pese embora o pai deles, de vez em quando, o fazer e eu lho censurar sempre que tal acontece.
Ao contrário, esta senhora que me confessou ter 86 anos, está presente em todos os actos oficiais, inaugurações, lançamentos, em que os rebentos participem.
Confesso que vim para casa com uma sensação estranha.

H.S.C

6 comentários:

Gaivota Maria disse...

Nada paga a nossa privacidade e a intimidade da família. Isso possibilita-nos viver em paz na selva da informação que temos. A sua atitude neste campo, Dra. Helena,tem sido um guia para mim e uma das razões porque tanto a admiro.

papoila disse...

Eu, compreendo muito melhor a sua posição do que a da outra senhora.
Mas, isto é como tudo:
"temos que dançar conforme a música"!!! :)
Os seus filhos também devem ser diferentes dos dela...

Fada do bosque disse...

Poupe-se Helena, poupe-se, que faz muito bem! os seus filhos e netos, quando precisam de apoio têm-no! Agora também o que é demais, é erro! A via do meio, como já há muito sabe, é a melhor e o seu ponto de honra! Senão com se justificaria tanto seguidor, num blogue tão jovem?! E eu que nunca tive o privilégio, de a conhecer antes , ou ver na TV... :(
Por falar nisso, quando e em que canal, é que a Helena aparece, para eu a poder ver?

Pedro Lopes disse...

cada um é como cada qual
nem necessariamente bem nem mal
:-)

Lura do Grilo disse...

Há gente para tudo.

Tive um amigo cuja avó com 99 anos fazia questão de ter telemóvel sempre da última geração. Dedilhava com ligeireza cada tecla e passeava pelos menus com a mesma mestria que manobrava nas lides da casa.

Maravilha é poder fazer! O resto nem tanto...são só opções.

Raúl Mesquita disse...

Helena, os filhos devem respeitar os Pais, é uma obrigação! Quando uma Mãe ou um Pai respeita os seus infantes, como costuma dizer, isso chama-se muita categoria (leia-se, também, Amor)