quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Flanner


"...Até que, um dia, fui viver para lá. Aí, sim, eu descobriria a minha segunda pátria. A dos jardins, lojas, recantos, paisagens, que menos se conhecem.
Foi nessa época que entendi o significado da palavra "flanner" e o prazer que ela comporta. Não é apenas passear. É bastante mais do que isso. É andar sem rota ou destino, registando tudo o que se passa à nossa volta e tendo sempre a impressão de que o fazemos como se fosse a primeira vez. Conheço, hoje, cada recanto, cada banco de jardim, cada esplanada. Foi neles que, durante anos se desenrolou uma das fases mais felizes da minha vida"...
(Extracto da crónica Amar Paris, de Helena Sacadura Cabral, publicada na revista LA Mag)

Hoje não trabalhei. Passeei. Andei por aí a vaguear e a encher os pulmões de ar. Quando cheguei a casa tinha a última edição da LA Mag, da minha querida amiga, a lindíssima Ana Mesquita. É dedicada a Paris . Como sempre fui ver a minha crónica. E resolvi partilhar convosco este bocadinho. Porque, afinal, sempre fiz alguma coisa. Flanei por Lisboa...
H.S.C

2 comentários:

Margarida disse...

Fui à tiracolo...
;)

Pedro Lopes disse...

parar é fazer tanto
olhar é fazer tanto
dizer é fazer tanto
cheirar é fazer tanto
andar é fazer tanto
e parado a andar pelos cheiros e pelos olhares é dizer tanto

Pedro