segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Feriados históricos

Provenho, pelo lado paterno, de uma família beirã que, em seu tempo, terá integrado aquilo a que então se chamavam os "senhores". E, ao que me garante o meu sobrinho mais velho, o mais interessado nestas questões, a origem dos nossos virá de Fernando Álvares Cabral, irmão do Pedro que aportou em terras de Sta Cruz, no Brasil.
Nunca me dediquei muito a estes assuntos, convicta que estou de que o meu sangue tem a mesma cor de qualquer outro e que a minha vida se define mais pelo que faço, do que por aqueles de quem provenho. Mas tal não me inibe do imenso orgulho que sinto no nome que uso e naquilo que um dos meus - o Comandante Sacadura Cabral - fez por Portugal.
Feito o statement, que veio à minha memória a propósito da data do 5 de Outubro, pergunto a mim própria porque razão tende o país a esquecer tantos heróis anteriores a esta data, numa Europa que até tem, ainda, um número razoável de monarquias constitucionais?
Deve, não duvido, haver razões para tal. Só que eu não as conheço e gostava de perceber porque é que existindo tantos feriados religiosos num país laico, se esquecem algumas datas que foram marcos importantes para a nossa terra, pese embora terem-se dado em tempos de reis e de rainhas.
Porque será? E porque será que, mesmo naqueles que celebramos, as pessoas apenas se lembrem pontes esquecendo, na maior parte dos casos, os acontecimentos que lhes estão acoplados? De certo, porque os não celebramos convenientemente...

H.S.C


5 comentários:

papoila disse...

Tem toda a razão.
Dos feriados só as "pontes" nos fazem parar e pensar...
Outra coisa que também já não ligamos e que eu ando agora muito atenta são os nomes das ruas!
Todos os dias repetimos os nomes de ruas que pisamos e já pouco ou nada lhes ligamos!
Prometi a mim mesma verificar o nome da rua e ver se sei Quem era e o que fez a pessoa que mereceu tal honra...
até breve

Presépio no Canal disse...

E o dia 5 de Outubro e o Dia da Fundacao de Portugal...Tratado de Zamora.. esquisito que nao se comemore o Dia do Nascimento de Portugal....uma data que e de todos...

Desculpe a falta de acentos.

Helena Sacadura Cabral disse...

Nem mais caro Presépio. E juntar-lhe-ia uma vintena mais...

Anónimo disse...

O nascimento de uma pátria deveria ser comemorado.

Fada do bosque disse...

Aqui gosta-se imenso, de esquecer o que é bom e recordar sempre, o que é mau... como as coisas más dão mais força aos coscuvilheiros, fazem efeito boomerang, e ao mesmo tempo de bola de neve. É bem verdade, que esconder os seus males, com o mal dos outros, em vez de pedir desculpa e servir de emenda (na generalidade, hoje em dia, pedir desculpa é sinal de fraqueza de quem a pede, em vez do contrário), lembram-se os maus, para dizer que somos melhores...
Vai-se diluindo, assim, a memória dos heróis e dos destemidos defensores do colectivo e dos bons costumes. É um orgulho, hoje em dia, olhar para os medíocres e pensar, eu sou melhor do que eles... Eu não erro. São esses, que são recordados... os que erram.
Não consigo ver outra explicação.
Se ao menos fosse, para servir de exemplo, do que nunca mais se deveria fazer... e nunca para alimentar os egos medíocres... ainda tinha explicação.
Além de que esses Valores, deveiam ser fomentados pela Educação, nem que fosse apenas na escola.