domingo, 11 de outubro de 2009

A desatenção

O tema desta crónica foi-me sugerido por uma frase de Pedro Lomba. Diz ele "...a desatenção é um pecado tão grande e ninguém se apercebe".
Não podia ter mais razão.
Dias depois, ontem, Francisco Seixas da Costa, no seu blog duas-ou-tres.blogspot.com, coloca um post sobre a solidão.
Não podiam ser mais expressivas as suas palavras.
Ambos tocam o verso e o reverso de uma mesma realidade: a incomunicabilidade.
Nos dias difíceis que atravessamos a sobrevivência mata a convivência. A televisão e a net, singularmente e ao contrário do que poderia supôr-se, agravam o problema. Daí que, em certas famílias - como é o caso da minha - a tv esteja proibida na sala de jantar. É que nas casas onde isso não acontece, nem ao jantar se fala do dia a dia de cada um...
A destenção conduz à solidão. E muitas vezes à solidão acompanhada, trágica também. As pessoas vivem juntas, mas parece que nem se olham. Ficam transparentes. Indiferentes.
Poderão as familias, as sociedades, os países, continuar assim?

H.S.C

3 comentários:

Fada do bosque disse...

Querida Helena

Sou das poucas pessoas que apenas possui uma TV, que fica na sala de estar, é proibido ligar nas horas da refeição, aliás, esta cá de casa, se estiver ligada, uma média de 8h por semana, já é muito. Chamo-lhe arma de destruição massiça! Causa síndrome de pensamento acelerado e conheço muita gente, que só a liga, para sentir companhia... o que para mim, se torna o verdadeiro absurdo.
A maioria das pessoas, são dependentes desta droga... o que é pena.

Helena Sacadura Cabral disse...

Estou na mesma média amiga.Agora já só oiço um noticiário por dia. E chega!

Fada do bosque disse...

As Helenas, pelos vistos são um pouco alérgicas à caixa! :))
Respondendo à pergunta, se as famílias e sociedades, continuarem no mesmo rumo, não sei onde isto vai parar... o Mundo desgovernou-se na sua aderência maciça, a esta caixa diabólica, controladora de mentes. De uma subjectividade espantosa e de um carácter promocional de consumo desenfreado, mortífero. Servir apenas os lobbies, o meio deles se autoproverem e as notícias importantes, não são noticiadas, ou quase... como a cientista portuguesa, que descobriu o genoma do cancro da mama, ou a que descobriu o gene responsável pela esquizofrenia. Dá a sensação que os lobbies não gostam de boas notícias... apanho-as na TSF, de raspão. Em relação a guerras, conflitos, à sua origem... História... só o que lhes apetece, da forma que convém. O que realmente interessa à Humanidade, não se sabe nada... transgénicos, devastação da floresta amazónica para biodíesel, descobertas na saúde, enfim, serve para desinformar e vender o que querem. Vejo um programa ou outro na RTP2.
E como diz, chega!