segunda-feira, 5 de outubro de 2009

As autárquicas

Estive todo o dia a trabalhar. Tenho tudo atrazado e não sei quando consigo pôr em ordem o que falta. Mas se ontém o Variações me lançou ao Tejo, hoje o Vivaldi agarrou-me à secretária. E ajudou-me muito, porque dei um bom andamento à duquesa de Windsor. Amanhã talvez a acabe e passo à Kennedy. As três mulheres pelas quais comecei o trabalho são frescas. E doidinhas por dinheiro. Vão dar umas histórias com muita piada.
A meio da tarde fiz um intervalo. Calei o Outono. E abri a televisão. A algazarra que veio do aparelho era ensurdecedora. Louçã, que ainda não deglutiu o quarto lugar, zurzia no Portas, o Paulo, com ganas assassinas. Julgo que se a guilhotina ainda estivesse a uso, ele o decapitava . E a mim, de caminho, tambem. Mas lá teria que aguentar o outro infante, que eu nestas coisas fui previdente...
Depois, noutro canal Manuela perguntava que alterações ia Sócrates fazer nas promessas que, com maioria relativa, não podia cumprir.
Noutro, ainda, Elisa mostrava a obra feita no tempo do autarca socialista. E, com grande alegria, apontava umas fachadas sem interior, ao que parece de Rui Rio.
De seguida Costa visitava um mercado. Tudo com trompetas, fanfarras e bandeiras. Ainda acabam a chamá-lo o Toninho dos mercados...
Desisti. Voltei ao Vivaldi e ao Outono. E tomei o meu chá com uns scones no terraço a ver o mar e esta cidade que mereciam muito mais...

H.S.C

11 comentários:

Anónimo disse...

O panorama político é medonho;julgo que decaíu muito depois da geração Soares e Cia,nota-se até no discurso,ignorância geral,inanidades.E veja a que distância fica Adriano Moreira.Talvez com a vinda de jovens investigadores rodados fora do país,com outra exigência,outra cultura.Espero.Ouça Vivaldi mas cuidado com os censores culturais,piores que os políticos,recomendar-lhe-ão Bach e só.

Sandro disse...

Olá Helena! A Kennedy a que se refere deve ser a Jackie Kennedy, certo? Não sabia que estava a trabalhar num livro sobre ela.

Durante muito tempo tive uma percepção estranha dela... até ver um documentário no canal 2 e ler umas coisitas sobre ela que ajudaram a explicar as decisões que ela tomou ao longo da vida.

Ela era doida por dinheiro... pq nasceu numa família de bem mas tesa (no bom calão português), filha de um jogador e de uma gananciosa...

Durante o casamento com o Kennedy ela pensou em divorciar-se mas o chefe do clã sempre a conseguiu persuadir com dinheiro (ele sabia que ela era peça fundamental para garantir votos e dar charme)

No meio disto tudo estava uma mulher muito culta, sempre interessada em preservar património (A Central Station em NY não foi abaixo muito pelo esforço dela... bem como o templo de Abu Simbel no Egipto) e uma editora de sucesso (sim, ela trabalhava).

Mas provavelmente já sabe disto tudo...

Estou curioso, como vai ser este trabalho sobre mulheres? Quem são as outras?

:D

Helena Sacadura Cabral disse...

Meu caro Sandro
São de facto bastantes mulheres. Todas com uma caracterítica comum -a de amarem demais. Neste campo incluem-se o dinheiro, a ciência, a arte,a moda,o poder, o próximo, o sexo e até Deus.
Irei falar de Gala Dali, Wallis Simpson, Jackie Kennedy, Madame Curie, Madre Teresa de Calcutá, Natália Correia, Chanel, Rainha Cristina, Carlota Joaquina e várias outras. Trata-se da encomenda de uma editora e o trabalho está a dar-me muito prazer, como aliás tudo quanto faço!
Bem haja pelo seu interesse.

ana v. disse...

Olá, Helena. Escolhi o seu Fio de Prumo como blogue da semana no Delito de Opinião. Não é para agradecer, claro, é mais do que merecido.
Um beijo

Sandro disse...

Olá Helena!

Assim que o livro esteja pronto avise aqui no seu blog! :D Tenho muita curiosidade para o ler (e que tal visitar o Porto para uma sessão de autógrafos? ;) ).

Só um apontamento rápido... na estação de São Bento existe uma placa de bronze dedicada a Gago Coutinho e Sacadura Cabral no átrio principal ao lado do placard de chegadas/partidas... é certo que muita gente nao repara nele com atenção porque estão sempre com pressa, mas está lá para lembrar o feito da travessia do Atlântico.

Helena Sacadura Cabral disse...

Ana minha amiga, muito obrigada pelo lindíssimo texto no Delito de Opinião. Comoveu-me mesmo. E respondi lá.

Pedro Lopes disse...

"Todas com uma característica comum -a de amarem demais."
amar demais, fez-me lembrar "Mulheres que Amam Demais", de Robin Norwood, já deve conhecer

Pedro

Lura do Grilo disse...

Sobre o Paulo! De facto Louça dedica-lhe agora todo o ódio que pode. Lamentável que tal linguarejar atraia eleitores.

Anónimo disse...

Linguarejar´? É tudo relativo. Uma questão de preferências políticas. Diria o mesmo no respeitante ao CDS-PP, por exemplo. De facto, como é que igual linguarejar (CDS-PP)atrai eleitores?
Diogo Forjaz

Helena Sacadura Cabral disse...

Como tenho na família os dois linguarejos estou bem. E até parece que têm escola comum...
Por mim, falo português claro, digo o que penso e voto em quem quero. Q que já não poderão dizer os filiados no que quer que seja.
Quem gosta de ser comandado, filia-se. Quem ama a liberdade foge dos partidos que lha dão.
É assim a vida...

Sandro disse...

Cara Helena,

Hoje encontrei uma edição em formato pdf de um livro da feminista Gloria Steinem onde fala da Jackie Kennedy Onassis... é um capítulo pequeno onde Gloria escreve a sua opinião de Jackie e aquilo que o país esperava dela e as suas ambições pessoais... achei muito interessante que ela tenha ido trabalhar pra Viking Express por um ordenado baixo apenas para ter uma ocupação e se sentir útil, e por se ter revelado uma óptima editora.

Se estiver interessada eu posso fazer um upload e enviar o livro.

Já agora, é você no Facebook? Encontrei dois profiles de "Helena Sacadura Cabral" com a sua foto :)