quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Aos meus amigos neste Natal

Contei meus anos
E descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente
Do que já vivi até agora
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas.
As primeiras ele chupou displicente,
mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram,
Cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis,
para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias
que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas
que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafetos que brigam pelo
Majestoso cargo de secretário geral do coral.
As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência,
Minha alma tem pressa...
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana,
Muito humana; que sabe rir de seus tropeços,
não se encanta com triunfos,
não se considera eleita antes da hora,
não foge da sua mortalidade.
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
O essencial faz a vida valer a pena.

"AMIGOS NÃO SE DESPEDEM,MARCAM UM NOVO ENCONTRO"

                    (Poema de Mário de Andrade)

19 comentários:

Anónimo disse...

Um santo Natal e com saúde para si e seu filho!

Anónimo disse...

Goste de si e de a ler aqui, deixo o que li hoje no "duas ou três coisas"
- "Não tenhamos pressa, mas não percamos tempo".
- Bela frase! É tua?
- Não, é do Saramago

Tudo de Bom e de Bem

Maria Helena

Fatyly disse...

Gosto imenso deste poema e quem dera que todos o seguissem como uma cartilha maternal.

Boas festas e continue a usar o seu tempo sem gastar energias no que não presta e nisso o país está mergulhado...e nisso o país está recheado.

Um abraço sincero e respeitador

Anónimo disse...

Exm.ª Senhora

Um lindo texto.
não publique este comentário se assim o entender. Eu sou picuinhas e fui confirmar se o texto era ou não de Mário de Andrade, e não é.
Com ligeiras alterações, o texto é de Ricardo Gondim e encontra-se no seu livro «Eu creio mas tenho dúvidas» editado em 2007 pela Ultimato, de Viçosa, Minas Gerais. Eu também não sabia isto e fi agora pesquisar. o meu comentário deve-se a supor que quererá corrigir a autoria. Com os meus cumprimentos
José Neto

TERESA PERALTA disse...

Este é um poema que só serve a "gente de verdade".
Beijinho, querida Helena.
Bom Natal bloguista!
🌲🌹🌲🌹

Anónimo disse...

Muito bonito, parabéns pela escolha.

Vânia

Silenciosamente ouvindo... disse...

De acordo.um novo encontro um dia destes.
Tudo de bom para si e os seus.
Os meus cumprimentos
Irene Alves

Anónimo disse...


Helena
Tão lindo, adorei, palavras sábias que nos fazem pensar.

Há 5 anos que o Natal deixou de ter a mágia o encanto que tinha, há vazios que numca vão ser preenchidos. Mas há pessoas a Helena é uma delas, que ajudam a olhar a vida com outros olhos. Há pessoas que nos acrescentam, que dão muito, as suas palavras fazem eco.

( o que diz da sua avó Joana, é o que sinto em relação à minha )

Um Santo Natal
Abraço apertadinho
Carla

Anónimo disse...

Adorei o poema e adoro ler o s/ blogg!!Feliz Natal!!

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro José Neto
Conheço este poema como sendo de Mario de Andrade. Como também sou picuínhas irei saber junto de quem ensina o poeta e conhece bem a obra.
Se tiver razão corrigirei. Até lá mantenho, porque não tenho garantias de que se não passe o contrário. Ou seja, que tenha sido Ricardo Gondim a alterar Andrade.

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro José Neto
O poema é de Mario de Andrade e tem por título "o Valioso tempo dos maduros". Pode ouvi-lo em
https://www.youtube.com/watch?v=3uWYLxIg3V8

Anónimo disse...

Exm.ª Senhora

O texto aparece na «internet» atribuído aos mais diversos autores, até ao angolano Mário Pinto de Andrade. Aparecer no «youtube» não é garantia de autenticidade. Também são vários os títulos com que aparece (um deles o que refere). Não me alongo pois o assunto exigiria estudo aprofundado que não cabe nestes comentários.

Os meus cumprimentos

José Neto

Anónimo disse...

(publicamente anonima)
Bom dia Drª Helena! Obrigada pelo lindo poema.
Desejo-lhe um Santo e Bom Natal para si e toda a familia.
E um ano de 2017 cheio de felicidade.
Beijinho
Maria M

Fátima Magalhães disse...

Feliz Natal para Si e para o Paulo.

Dalma disse...

HSC, ao contrário dos anteriores comentadores, não lhe desejo um Feliz Natal, porque Natal são apenas dois dias, desejo-lhe isso sim um Feliz Ano Novo pois este sempre tem 365!
Que continue por aqui a ajudar-nos a refletir sobre a vida, o país e muito mais.
Dalma

Tété disse...

Querida Helena,
Todos nós quando nascemos trazemos a nossa bacia de cerejas e começamos a comê-las mal chegamos ao mundo.
Todos os dias, numa vida mais curta ou mais longa, contabilizamos um dia a menos no legado que Deus nos deu.
E como dizia hoje o padre da minha igreja, o que importa é que a nossa missão nos foi dada para ser cumprida no espaço de tempo que nos é destinado.
E tudo isto para dizer que ainda falta muito para cumprir a sua, que tão bem tem sido gerida em prol do amor, da amizade e do carinho para com os seus familiares, amigos e para todos os que têm tido o privilégio de consigo privar e onde incluo estas nossas tertúlias bloguianas.
Que Deus a ajude a continuar por muitos anos nesse saudável saber dar.
Uma noite de Natal com muita saúde e paz para si e seus familiares.
Um abraço apertado.

Anónimo disse...

Hand on hand

A

Anónimo disse...

To you

https://youtu.be/ATcUiyBaKhM

Santa Claus

Anónimo disse...

🌷