domingo, 10 de janeiro de 2016

Uma desilusão


Confesso que esta campanha pré eleitoral foi, para mim, uma tremenda desilusão. Não que estivesse à espera de muitos esclarecimentos, com tantos candidatos a aproveitar, assim, os seus minutos de glória. Mas não acreditava que fosse possível tanto "achincalhamento", tão baixo ataque pessoal. Ou muito me engano, ou a "abstenção" vai ser enorme. Irão votar aqueles que têm convicções partidárias fortes ou os que esperam benefícios pessoais. Duvido muito que, depois de tudo o que se viu e ouviu, um cidadão se sinta motivado a cumprir o seu dever.
E, agora, com as declarações de António Costa e do Presidente do PS, Carlos César, mais convencida fico do que acabo de afirmar. Parafraseando um familiar, o país merecia muito mais. Eu também acho!

HSC

25 comentários:

Anónimo disse...

Não vejo nada de mal nesta campanha. Ao menos temos umas tantas escolhas, coisa que noutras eleições passadas não sucedeu, sobretudo quando o então locatário de Belém se recandidatava. Não vi nada de achincalhamento e a campanha corre sem grandes percalços. Acho mesmo que a abstenção não será tão grande assim. E se for como a das legislativas, nada vejo de especialmente negativo. Hoje vota-se cada vez menos. Talvez porque a política interessa pouco. É mais fácil - infelizmente - ver este povo a ouvir os inacreditáveis debates futebolísticos do que políticos. As pessoas só querem saber delas, cada vez mais. São os tempos modernos. Bons ou maus são os que existem. Mas, a campanha até tem tido algum interesse, ao contrário do que diz. Se fossem só 2 ou 3 candidatos era bem pior.

TERESA PERALTA disse...

Sim, minha querida Helena. O nosso País merecia muito mais…
Mas, a desonestidade, a mediocridade, a insolência,…, orientadas para "o assalto ao poder", passou a ser vulgar, transformando- se na "medida de todas as coisas"…
Se o povo, que é soberano, não conseguir retirar as devidas conclusões, passamos a ter, apenas, aquilo que merecemos…

Bjo. :)

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 18:28
Não devemos ter visto os mesmos debates.
Os que vi devem ter sido os mesmos que Clara Ferreira Alves viu porque, reparei agora, ela fez exactamente as mesmas afirmações.
Ou então temos diferentes conceitos de achincalhamento.
Mas ainda bem que se dá por satisfeito. É essa diversidade que faz o nosso país.

Janita disse...

Eu alinho pelo pensamento do nosso grande filósofo/poeta/Professor, Agostinho da Silva!
Para ficar 'doente' ao ouvir todos puxar a brasa à sua sardinha, depreciando os outros candidatos, prefiro não ver nem ouvir.
Aquilo que sei já me basta!
Porque o nosso País merece muito mais é que não nos devemos abster do direito que tanto nos custou alcançar.
Eu vou votar! E há muito que sei em quem...

Cumprimentos, Dra. Helena.

Janita

Virginia disse...


Tem razão. Se estiver um domingo como hoje, vai haver muita gente em casa.
Nenhum candidato me atrai, não porque não sejam inteligentes, mas porque nenhum tem perfil, nem categoria para assumir o cargo máximo da Nação.

Anónimo disse...

Bolas, quw exagero. Estará a confunfir com as legislativas? Aí houve achincalhamento. Nestas? Onde, quando? Pode o naipe de candidatos nao ser por aí alem, agora o que diz é um profundo exagero.

Anónimo disse...

O mister chamuça já lá está,os outros que esgravatem.Acha que ele dava palpites para ajudar alguém a sentar na cadeira acima dele?!
Ai,ai,santa ingenuidade.
José G

Anónimo disse...

HSC,
A Clara Ferreira Alves não tem qualquer crédito. Logo foi buscar um exemplo que a Srª já em tempos disse que o Eixo de Mal era muito...mau.
Mantenho a minha posição. O que me parece é que HSC gostaria de ter uma campanha simpática...para como seu candidato, MSR (ou Maria de Belé, quem sabe!). Que, coitado, depois de mostrar os dentes nos debates com ASN e MdB, se reveliu o verdaeeiro não-consensual Candidato.
Até 24 de janeiro! Estaremos em campos diferentes, HSC.

Madalena Amaral disse...

Boa noite!
A abstenção pode contar comigo ! Em 40 anos até me custa ter esta atitude e a fazer estas afirmações. Nestes anos todos apenas falhei em duas idas às urnas: uma por convicção e outra por impedimento.Da minha parte, não dá para acreditar em mais nada. Lamento!..

Melhores cumprimentos, Dr Helena.

Anónimo disse...

Há bastante tempo que o país nefrece muito mais do que politicos como o seu (escondido) familiar. Por isso chegámos onde chegámos.

Anónimo disse...


Helena
Grande Agostinho da Silva, palavras muito acertadas.
Campanha de enxovalho, onde a critica pessoal nas entrevistas prevalece, em vez de exporem as suas ideias.

Carla

Sérgio S disse...

Quando tinha os meus 12/13 anos, assisti a um fenómeno percursor da nossa democracia. Na altura (ainda hoje deve ser assim), formavam-se listas para concorrer à associação de estudantes (antecâmara dos futuros combates políticos), com programa "eleitoral" cheio de "promessas" (tipo dois torneios de futebol num ano, etc.), campanha (com cartazes a panfletos), debates organizados, etc. Aí se observava que muitos alunos medianos/medíocres, quando subiam a estes palcos tornavam-se em líderes de massas com grande capacidade de persuasão. Nisto, num dos anos, surgiu uma lista cujo "programa" era "lutar pela liberdade sexual das galinhas". E pronto, o seu líder lá ia passando pelos debates e até deu um concerto com a sua banda de heavy metal numa das sessões de esclarecimento a que tinha direito.
A sensação que fico, passados estes anos, é que este conceito de candidato, que aparece para defender "coisas" e aproveitar o palco a que tem direito para dar uns "concertos", já chegou às eleições para a presidência. Ainda assim, considero uma evolução do nosso sistema democrático: significa que já está tão enraizado que vive naturalmente com esta "diversidade". Habituemo-nos portanto.

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 22:18
Enganou-se nos alvos!

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 23:41
Enganou-se. O meu "escondido" familiar era o Comandante Sacadura Cabral, que já morreu, fez a travessia do Atlântico Sul e teve por direito próprio um lugar na história deste país.
Pensar depressa, às vezes, leva a injustiças. Foi o seu caso!

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 20:35
Não. Não estou a confundir com as legislativas que pouco vi. Mas julgo que o estarei a considerar como uma fada boa que não viu nada do que eu vi!

Anónimo disse...

Ui! Ui!
Está a aquecer! Estes debates fazem lembrar os da bola.Até apetece dizer: e quem não salta,não é da malta!
Campanha deprimente,é o que é!
Classe ...faz tanta falta!
João

Anónimo disse...

Eu, o anónimo das 20.35.
Eu tenho visto todos os debates. Por isso insisto:
Onde viu achincalhamento? Se me disser eu posso rever os debates. Obrigada

Observador disse...

Só o facto de chamar a este movimento de pessoas, campanha, me faz sentir mal.
Não haverá um, 'unzinho' que seja, capaz de nos pôr a pensar que vale a pena?

Anónimo disse...

Tem toda a razão, Helena.Espanta-me ver debates que parecem que estamos na pré-primária. Só falta ouvir dizer "tu és feio!", "feia és tu!". Fica-se à espera de saber o que tencionam os candidatos fazer,que ideias têm, caso sejam eleitos, e só se ouvem recriminações, * deselegâncias, acusações mútuas sobre o passado de cada um...Neste momento, só sei em quem NÂO vou votar.
Maria F. Silvestre
P.S.
1)* aquele comentário sobre o cartaz da Marisa Matias, foi de um nível e classe fora de série. E ver o candidato a rir, encantado com a sua faceta revisteira...Inacreditável!
2)Ainda não li o artigo da Clara, mas vou lê-lo mais logo. Ao contrário de alguns comentadores eu acho que ela é uma excelente jornalista.

Anónimo disse...

Não falhei o alvo nem me deixo ofuscar pelo brilho do seu antepassado que tão oportunisticamente evoca. Julga-nos todos parvos. É por demais evidente o objectivo camuflado deste blog (para alem, claro, de alimentar o seu ego, a sua vaidade). Disse e repito: Portugal merece muito mais do que os politicos, incompetentes, medíocres e corruptos, que tem tido nos últimos anos instalados nos palácios governamentais. E dos quais Marcelo faz parte, querendo agora sentar-se no lugar de Cavaco, o biltre.

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 19:37
Se não ouviu os lamentáveis comentários tecidos por um dos candidatos - e é só um exemplo aqui já referido por Maria Silvestre - a um dos cartazes de Mariza Matias, o problema é seu que está distraído!
Quanto ao resto nem merece resposta.

Madalena Ferreira disse...

Olá,

Dra.Helena, sei que o nível está a descer, mas não tem sido sempre assim quando há eleições?
Será que tenho andado distraída,ao longo destes 40 anos?

Parece-me que não.

Um abraço,

Anónimo disse...

Melhor melhor é João Soares dizer que : " até David Bowie votava na besnica ( Belém )"
Este agora até adivinha os votos dos defuntos,queres ver?! Lá que é a versão em branco do Professor Karamba é!
E segue o jogo das palavras.
São tão ilustres estes doutores...

Fatyly disse...

Deixei de os ver e ouvir, no mínimo vergonhoso que espremido nada dizem de novo, comem e bebem, visitam os velhinhos, tão simpáticosssssssss, mas não deixarei de ir cumprir o meu dever como cidadã e oxalá que o(a) premiado(a) ganhe à primeira volta para acabar com toda esta "película" tão pobre.

O que me enraivece em tudo isto é o dinheiro que é gasto!!!!

Um bom dia

Anónimo disse...

É chocante o nível de alguns comentários aqui deixados, a cereja em cima do bolo talvez seja o anónimo das 19h37 do dia 11 de janeiro, aquilo é um misto de raiva e inveja por todos os lados... e remata o seu comentário chamando biltre ao candidato MRS e ao actual Presidente da República, que claro, o trata tu cá tu lá por Cavaco. Uma vergonha.
Tem toda a razão quando se espanta com tanto achincalhamento, mas aqui não são de facto todos iguais, há sobretudo um que é uma nódoa.
No dia 24 vou votar, apesar desta campanha pobre e baixa há diferenças e é essa diferença que eu quero para o meu país.
Inês Galvão