quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Plaza Suite


Desde que o meu IRS - por uma inqualificável marosca fiscal aplicada a quem tem profissão liberal - me eclipsou as férias, a minha vontade de trabalhar atingiu o ponto zero. Por isso encerrei os taipais e decidi por uns tempos mandar o trabalho às urtigas. Em consequência passei a fazer uma série de coisas para as quais raramente tinha tempo. A primeira terá sido ir ao teatro. Há dias falei-vos de uma peça e agora falo-vos de outra, Plaza Suite, com Alexandra Lencastre e Diogo Infante.
Para já duas declarações prévias. Uma é a de que sou fã incondicional do último e a outra é que a actriz - do que conhecia dela -, até agora, não me havia convencido. Talvez porque, sendo prima da Inês Pedrosa, de quem sou muito amiga, a comparação não lhe fosse favorável.
Pois bem, vou ter de dar a mão à palmatória. Desta vez, a Alexandra convenceu-me mesmo. Eu estava enganada e, em dois papeis difíceis, ela saiu-se muitíssimo bem.
Plaza Suite é uma comédia sobre o amor que fala das desventuras de dois casais, muito diferentes face a momentos cruciais nas suas vidas. Duas histórias escritas por Neil Simon, um dos nomes maiores da dramaturgia norte americana. Este texto foi um grande sucesso teatral e a ideia de o representar cá ficou a dever-se a Diogo Infante que convenceu a Força de Produção. Em boa hora o fez!
São duas histórias com quatro personagens interpretados por dois actores. Na primeira uma mulher tenta reconquistar o afecto do seu marido e na segunda os pais de uma jovem noiva tentam convencê-la a sair da casa de banho, onde se trancou poucos minutos antes de começar sua festa de casamento. 
Diogo e Alexandra são excelentes e dão-nos hora e meia de boa disposição e de riso quase permanente, numa peça que revela muito da hipócrita sociedade em que vivemos!
Numa época em que já nem o cinema consegue vencer as modernas tecnologias e encher as salas, o teatro merece todo o nosso apoio!

HSC

6 comentários:

Virginia disse...

A Alexandra é uma das melhores actrizes que temos. Já a vi em inumeros papeis em telenovelas e ela destaca-se pela naturalidade. Faz personagens das mais diversas. Sempre a achei brilhante. O Diogo é fantástico, achava-o um pouco pomposo, mas desde que o vi nas novelas fiquei convencida do seu talento. Os dois juntos deve ser de estalo. Espero que venham ao Porto.
Obrigada pela sugestão.

Anónimo disse...


Bom dia Helena
Fiquei com vontade de ver a peça, sempre gostei do Diogo Infante, é um excelente actor, a Alexandra talvez ainda não tenha desempenhado o papel da sua vida, por isso como atriz não seja tão cativante. É preciso explorar o ser, que está dentro de cada pessoa. O mesmo deve ser feito com os actores.
Fez muito bem mandar o trabalho às urtigas, aproveite o máximo.
Sabe, que as urtigas são ricas em vitaminas, com muito beneficios para a saúde? O meu irmão faz sopa de urtiga, não provei.

Bom fim de semana

Carla

Isabel Mouzinho disse...

Também quero ver esta peça, porque não perco nada do que faz Diogo Infante. Acho-o absolutamente genial. Mas prefiro vê-lo sozinho, confesso. Da última vez que o vi foi em Cyrano de Bergerac. Ele, como sempre, excelente. Até me fez chorar no final. Mas o restante elenco não estava à sua altura. Vamos ver como se sai Alexandra Lencastre... :)

Anónimo disse...

Adorei a sua expressão : ''encerrei os taipais''. É bom ler palavras que já ninguém usa, referentes a coisas que já não há ! Já ganhei o dia. Gosto de ler quem escreve antigo, escorreito, leve ! Sem ser antiga, claro, que a senhora é capaz de pôr a sua juvenil gargalhada nos textos!
Bom dia para si.
Luísa

Anónimo disse...

Também já vi esta peça de teatro, foram ambos absolutamente excepcionais, espero que tenham sempre lotação esgotada porque são brilhantes e como bem diz são hora e meia com muita graça de ficar mesmo a chorar de rir. Quanto à Alexandra Lencastre, muitas vezes há algum preconceito dado a algumas notícias que fazem muitas vezes capa das revistas cor de rosa, revistas de cabeleireiro, não serem muito abonatórias, operações aqui e acolá, é pena, ela é uma actriz com um enorme talento, excepcional mesmo e devia ser mais notícia por isso.
Um abraço
Inês Galvão

maria franco disse...

Gostei muito deste post.
O teatro e os actores merecem o nosso
apoio. Sem espectadores o teatro vai
morrendo.
Boa noite.