domingo, 6 de setembro de 2015

Mais espaço...

Por norma diz-se que a idade traz mais sabedoria e mais conhecimento. Comigo, isso não acontece. Quanto mais envelheço mais consciência tenho do que não sei. E também me importo menos com o facto, já que quer o acessório quer o essencial, tambem vão mudando.
Assim, não personifico o ditado que afirma "quanto mais velhos somos, mais coisas sabemos". No meu caso, o que vou aprendendo substitui o que já sabia e deixou de ter interesse. Assim, em termos de quantidade, não haverá grande variação. Em termos de qualidade terei algum benefício com a permanente actualização.
Mas aqui surge uma outra variável, que respeita à capacidade que cada um tem de absorver coisas novas. E este é o cerne da questão. Há novidades para as quais não tenho, hoje, a mínima aptência ou interesse. Logo passo-lhes ao lado, não chegando sequer a dar-lhes forma de conhecimento. O que me torna menos sábia, mas mais saudável.
Os últimos meses e em particular estes dias que nos separam de 4 de Outubro, constituem a prova do que acabo de dizer. São tão desinteressantes, que nem sequer banham as minhas margens. Assim, fico com muito mais espaço mental livre para aprender coisas novas e de maior utilidade. Trata-se, sem dúvida, de uma das poucas vantagens do envelhecimento. É que aprendemos a ser muitíssimo mais selectivos relativamente a tudo o que nos pretendem impingir!

HSC

10 comentários:

Anónimo disse...

🌷

Anónimo disse...

Maria (publicamente anónima)
Boa tarde Dr.ª Helena,
Gostei do seu post. Como sempre uma analise interessante e muito oportuna. Concordo plenamente com a mensagem. Estou nesse registo e vou fazer o mesmo. Costumo dizer que já não vou em cantigas. Muito do espaço noticioso e tudo isto a que estamos a assistir é triste e desinteressante. Mas no dia 4 de Outubro lá estarei pronta para cumprir o meu dever de cidadania. Para isso não preciso de ouvir discursos que não trazem nada de novo, analises que não espelham a realidade e que por vezes me deixam triste e irritada. Ou seja, desisto do acessório e aplico-me naquilo que eu acho que é essencial e útil.
Para além de que tenho muito com que ocupar o meu tempo. Tanto no campo profissional, no qual preciso de estar sempre actualizada, como nas minhas tarefas caseiras. Não estou com tempo, nem espaço livres para certo tipo de informação, discursos e discussões sem interesse.
Tenha um bom domingo
Maria M

Raúl Mesquita disse...

Pois é, Helena!

Vivemos num Teatro, já o outro dizia, só que o público é de muito pouca qualidade, especialmente agora. Engole tudo. Todas as notícias de todas as televisões do Mundo manipulam e cá de uma maneira… Não aos imigrantes, mas convém parecer bonzinho de vez em quando, então , sim, a uns quantos…, chamam-lhe refugiados quando convém. Isto é um mero exemplo. Aplica-se a tudo.

Que tristeza!

Raúl.

Observador disse...

Como eu a entendo, cara Helena.

Anónimo disse...

Para uma alma pura
Que só tem candura
E que no tempo perdura
Envio com ternura
Esta belezura.

http://youtu.be/9E-3nDrlOME

Silenciosamente ouvindo... disse...

Absolutamente de acordo. Com os meus quase 69 anos (faltam dias) sou muito
diferente do que era aos 40.
Subscrevo por isso este seu post.
Bj.
Irene Alves

Madalena Ferreira disse...

Olá,
Subscrevo o seu post, mas acrescento:
Há coisas que me passam ao lado, mas porque quero que assim seja.Não valem o espaço de armazenamento.
Sou no entanto, muito, muito mais tolerante!
Não me considero mais sábia, mas mais experiente sim!
Quanto à política - se é isso a que se refere -, sei que não vai ser fácil, mas também sei que tem no seu ADN, a força suficiente para ultrapassar mais uma avalanche.
É como mulher e principalmente como mãe, que lhe desejo de coração, que assim seja.

Uma boa semana,







Anónimo disse...

Como gosto de impingir coisas ,cá vai mais uma com o intuito de fazer sorrir o seu coração de ouro.

http://youtu.be/sAFI1i5FIBc

:-)

Anónimo disse...

Por falar de espaço e qualidade lembrei-me do Sô Costa a cumprimentar uma vendedora de legumes num qualquer mercado recentemente.Ele bem sorria forcadamente e apertava a mão,mas via-se nítidamente que ela queria espaço,tipo " DESLARGA-ME"e do alto da sua sabedoria popular lá lhe foi dizendo:"Olhe que não gostei do que o senhor fez,passou a perna ao Seguro".
Não me lembro de um sorriso tão amarelo há muito tempo.
Isto diz tudo do carácter de um homem.Aliás viu-se como se comportou com um outro grande amigalhaço,o 44 que agora é 33,até ver!Nem o visitou e é o "DESCOLA-ME".
Mas isto é tudo gente que se despe por qualquer preço...lá barriga tem ele e bem pode competir com a Barbie Joana que age nua e formosa.

TSM

Anónimo disse...

🌹🌹🌹