sábado, 29 de agosto de 2015

Cenas da vida quotidiana (1)

A blogosfera tem, confesso, aspectos surpreendentes. Nela fiz amigos virtuais e nela encontrei duas amigas que se têm vindo a tornar cada vez mais reais. Tanto que presentemente acabamos por nos encontrar com alguma frequência.
O que fazemos em conjunto? O melhor que os amigos podem fazer: conversar, comer e ir ao cinema. Porém, não somos muito programadas. Ou antes, estabelecemos o programa e, depois, por uma ou outra razão, acabamos por o não cumprir...
Esta noite tinhamos combinado comer qualquer coisa rápida na Versailles e depois ir ver um dos filmes do Tati  que estão a passar numa imperdível programação do Nimas.
Para variar, acabámos sem cinema, a falar de homens e de cães. Como se depreende, o assunto, para fim de semana, nem era muito filosófico. Dos primeiros, creio, ainda terei alguma vaga noção. Agora de cães, pasmem, descobri que não percebia mesmo nada.
Vá lá alguem ter a presunção de que sabe alguma coisa...mesmo quando se trata do melhor amigo do homem!

HSC

12 comentários:

Paulo Abreu e Lima disse...

Quando mais de duas mulheres se juntam para falar de homens (cães é redundante) ou há maledicência ou muita falta de ciência ;-)

Fatyly disse...

Identifiquei-me nas suas palavras porque quantas vezes tenho um programa e os meus resolvem pegar no comando e desprogramar hehehehe

Dª. Helena, a meu ver e por mim falo...todos os dias aprendemos coisas novas e por vezes as mais simples é que nos escapam...o exemplo que deu...os cães. No outro dia levei uma lição sobre gafanhotos...ai como a gaiata sabia tudo e mais alguma coisa sobre os ditos e andava encantada com um na mão. O certo é que o pobre ia e vinha direito à sua mãozinha:):):):)

Um abraço

Observador disse...

Acabar sem cinema ou falar de coisas desconhecidas torna-se irrelevante perante a possibilidade de conviver, conversando, bebendo, comendo.
E ter amigos é tão bom!

Anónimo disse...

Pois, presumo que ficou a saber que eles também sentem. Sentem dor, sentem tristeza, alegria .... sabe, mais vale tarde que nunca.

Paulo Abreu e Lima disse...

Cruzes, credo. Apetência vai havendo, as aptidões é que podem variar... :-))

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 16:23
Como deve calcular, não seria sobre os sentimentos dos cães que, na minha idade, iria aprender alguma coisa. Mau sintoma seria.
Não. Aprendi sobre raças e características das mesmas, assuntos sobre os quais muitas pessoas sabem pouco. Mesmo entre os grandes defensores dos animais.
É que não basta amar os cães. Conhecendo-se a sua raça poderemos amá-los melhor.
Muito parecido, afinal, com o que se passa com os humanos e as respectivas raças, que por vezes tanto nos separam.
Como vê, e não só eu, todos podemos aprender. E o Anónimo também porque, como diz, mais vale tarde do que nunca...

Helena Sacadura Cabral disse...

Paulo
Muita falta de ciência, está visto.
Eu, porque já me esqueci do que aprendi - quero é saber coisas novas - e elas, porque ainda precisam de aprender.
Porém, sobre cães foi, para mim, um aprendizado surpreendente.
E já agora, para o parafrasear, quando se juntam mais de dois homens para falar de mulheres ou há muita ciência ou falta de aptência...
:-))

Anónimo disse...

E desejo-lhe apetência para apreciar a super lua que hoje está magnífica.
Francisco

Anónimo disse...

pois é, mas o que eu, anónimo disse, é comum a todas as raças: eles sentem! o que é muitas vezes esquecido.

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 00:04
E comum a todos os seres vivos!

Anónimo disse...

A senhora já não tem idade para andar com pressa.Tem de apreciar e saborear as coisas com calma.As coisas rápidas podem ser indigestas - muito cuidado!Nada de rapidinhas,na comida,claro! :-)))
Quem avisa amigo é!
Diogo

Anónimo disse...


Bom dia Helena
Também tenho amigas virtuais que se tornaram reais, tinhamos os mesmo fator em comum e não tinhamos nada ( infertilidade inexplicada ). Felizmente todas concretizaram o sonham menos uma, já desistiu foram muitas as desilusões, os tais não que ninguém gosta de ouvir ( não está grávida). A amizade continua já passaram mais de 11 anos, a amiga virtual doce é na realidade um doce de pessoa.Falar de homens e cães é bom tema. Sem querer ofender os homens, prefiro o bom feitio dos cães, tenho 3 todos adoptados, são de uma inteligência rara, entendem tudo. Não esquecem quem lhes faz bem, amo os meus, fazem parte da familia, costumo dizer que somos 6 em casa. Já tive 4, felizmente tenho espaço andam à vontade soltos,são felizes e fazem-me feliz.

Falando de eleições, no sabádo na zona onde vivo andaram a fazer limpeza, das ervas enormes, do lixo que se acumula nos passeios.
Estão a tapar buracos nas estradas com uma catrefada de homens, já é noite e ainda estão reparar a estrada, como se corressem contra o tempo. Querem ter obra feita a 1 mês das eleições, comigo não contem, que o meu voto não será para quem lá está. Permancer no poleiro muito tempo não é bom...

Carla