quinta-feira, 18 de abril de 2013

Uma outra forma de ser

Quanto mais penso, mais me dou conta de quanto o mundo mudou. Tirando regiões específicas onde a inflexibilidade política ou religiosa espartilha qualquer mudança, a verdade é que no resto do universo as duas últimas décadas alteraram de maneira muito significativa a forma como as pessoas vivem. E, para o bem ou para o mal,  as novas tecnologias tiveram nessa alteração um relevante papel.
Com efeito, a sua capacidade de transmissão, a sua rapidez, o manancial de informação que puseram à nossa disposição é algo que deslumbra e assusta. Hoje assisti a uma intervenção cirúrgica feita à distância de milhares de quilómetros e à defesa de uma tese em moldes idênticos.
Se é verdade que existem sites que ensinam a construir bombas e portanto a matar, também é verdade que existem outros que ajudam a salvar. Quando penso no que foram os partos que tive com dor e vejo agora as epidurais, tenho a consciência do caminho percorrido.
As novas tecnologias permitiram-nos uma outra forma de ser e de viver. Uns escolheram os caminhos do mal. Outros foram conduzidos pelas rotas do bem. Afinal, a escolha é sempre nossa!

HSC 

4 comentários:

menvp disse...

A FIRMEZA DO CONTRIBUINTE ALEMÃO ESTÁ A SALVAR A EUROPA
.
->>> Primeiro: Todos pudemos assistir a uma incrível e MONUMENTAL CAMPANHA no sentido de ridicularizar todos aqueles que eram contra o 'viver acima das possibilidades' - leia-se, campanha no sentido de ridicularizar todos aqueles que eram anti-endividamento excessivo -; um exemplo: no passado, Manuela Ferreira Leite foi ridicularizada por ser uma ministra anti-deficit-excessivo.
->>> Depois: Hoje em dia, todos podemos assistir a uma incrível e MONUMENTAL CAMPANHA contra os defensores da austeridade; um exemplo: chegam a retratar o contribuinte alemão como novos fascistas/nazis...
.
{ nota: o resultado do endividamento excessivo está aí à vista: a superclasse (alta finança - capital global) assumiu o controlo de bens estratégicos: combustíveis... electricidade... água... }
.
-> Marionetas ao serviço da superclasse CAVAM BURACOS SEM FIM (nas finanças públicas, nas empresas públicas, na Banca)...
-> Marionetas ao serviço da superclasse (alta finança - capital global) enfiaram-nos numa ratoeira: a Espiral recessiva...
.
-> 'Paladinos' do discurso anti-austeridade... ESTIVERAM CALADOS que nem um rato... ""ignorando"" o perigo que era os Estados andarem a endividar-se na construção de auto-estradas 'olha lá vem um', estádios de futebol sem público, nacionalização de bancos falidos, etc, etc...
.
-> O discurso anti-alemão que reina nos media internacionais (nota: são controlados pela superclasse) é uma consequência óbvia: depois de andar a 'cavar-buracos'... e andar a saquear contribuintes em vários países... a superclasse quer saquear o contribuinte alemão.
-> A firmeza do contribuinte alemão (não cedendo à pressão exercida internacionalmente...) é fundamental para salvar a Europa!
.
Nota 1: Depois de 'cozinhar' o caos... a superclasse aparece com um discurso, de certa forma, já esperado!... Exemplo: veja-se a conversa do mega-financeiro George Soros: «é preciso um Ministério das Finanças europeu, com poder para decretar impostos e para emitir dívida»
Nota 2: Países a endividar-se excessivamente é uma atitude que proporciona um festim à superclasse... como o contribuinte alemão está firme... o mega-financeiro George Soros defende agora um Euro sem a Alemanha... para que... a superclasse (alta finança - capital global) possa PROLONGAR O FESTIM proporcionado por países a endividar-se excessivamente (países a viverem acima das suas possibilidades).

Anónimo disse...

Por mim ainda podem mudar mais!
Adorava, a titulo de exemplo, que os tratamentos em oncologia fossem menos brutamontes, que as brocas dos dentista fossem diferentes. que a gasolina desaparecesse e tivessemos uma alternativa limpa e barata, que a escolaridade fosse mais interessante, eficiente e humanas etc etc etc

CF disse...

Cara Helena, tudo tem um lado lunar. A evolução da tecnologia dá-nos alguma grandeza. Essa grandeza acarta poder, e a utilização está sujeita, sempre, à natureza humana. Nem toda está apta para isso. Uma consequência nefasta, dentro da evolução. Um beijinho para si.

Vivi disse...

Gostei muito do seu blog. E sim o mundo mudou, para o bem e para o mal. Muita coisa evoluiu e muitas outras retrocederam. Gostei e vou marcar lugar
Bjs
Vivi
http://esquecimedeviver.blogspot.pt/