terça-feira, 2 de abril de 2013

A beleza da concertação social

"Sindicatos exigem o aumento do salário mínimo. Confederações patronais dizem que sim, senhor, é justo – desde que tal não represente uma aumento de custos para as empresas. Quadratura do círculo? Era não conhecer este país. Sindicatos e patrões reúnem-se e congeminam um plano a que a falta de originalidade é incapaz de retirar brilhantismo: o Estado que pague. Num tocante gesto de boa vontade (sindicatos e patrões ouviram dizer que as contas públicas passam por algumas dificuldades), só lhe é pedido que assegure 80% do custo total."    
(In Delito de Opinião por Joao André)

HSC

6 comentários:

Anónimo disse...

Ó minha querida amiga, se eu bem entendi, o trade-off era o aumento do salário mínimo contra a redução da TSU. E não era este governo que queria reduzir a TSU das empresas?

Explique-me lá, que eu sou do campo.

a) Amigo Fritz

Observador disse...

Algo parecido com a subsídio-dependência, caríssima.

Ai estes concertadores...

Cumprimentos

as-nunes disse...

O Estado que pague, sim, desde que as verbas necessárias estejam devidamente cabimentadas no OE.

Cumprimento-a, HSC
António Nunes

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Amigo Fritz eles não sabem o que dizem. Nem o que fazem.
Foi por isso que não teci comentário ao texto. Limitei-me a reproduzir o que li.
E o meu amigo, que é do campo, "viu" logo!

Helena Sacadura Cabral disse...

Cao as- nunes
O problema é que hoje não há orçamentos. Chamam-lhe orçamentos...o que é diferente!

zia disse...

Novamente a mesma farsa, sindicatos e patrões a cantarem a mesma música!!!
É triste os sindicatos que tentam fazer passar a mensagem que estão do lado dos trabalhadores unirem-se aos patrões - que cinismo...
A educação política continua a ser zero, tudo é admissível...
Será que os responsáveis sindicais não têm vergonha e continuarem a olhar para o umbigo!
Um abraço grande,
lb/zia