segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Ter algo para dizer

O meu estimado Alcipe no seu blogue Timtim no Tibet tem vindo a colocar uns  post's deliciosos. O último refere-se a um livro do Abade Dinouart intitulado L' art de se taire.
Como ele vem num encarrilhado de outros cuja mensagem cada um dos seus leitores decifra a seu bel prazer, dei comigo a lembrar o velho ditado, este nacional e de expressiva sabedoria popular, que diz "o silêncio é de ouro e a palavra é de prata".
Ora porque terei eu feito esta associação? Simples, porque uma pessoa fala quando tem coisas para dizer. Mas ter coisas para dizer significa o quê?
Pensei, filosofei, e descobri que, entre nós, ter coisas para dizer significa quase sempre que "é melhor mesmo estar calado". Se atentarmos na série de sarilhos causados por quem, nos últimos tempos, tem coisas para dizer, seguramente que estarão de acordo comigo. Portanto, moral da história, quer o Alcipe com o seu abade, quer o rei de Espanha com o seu célebre "por que no te callas" têm carradas de razão.

HSC

6 comentários:

Anónimo disse...

rompendo o "silêncio é de oiro"...
quantas vez não medi o alcance de uma palavra dita!?... dá para pensar!
um grande abraço,
lb/zia

Vânia Edite Batista disse...

"Bom saber é calar, até ser hora de falar" diz outro adágio bem português.

De facto, à muita gente para aí que estava melhor se estivesse calado, "não entra mosca, mas sai asneira"! Esta imagem fez-me lembrar algumas personalidades do panorama social português: Então o Dr. António Borges, desata a chamar incompetentes a quem discordava da malfadada TSU? E, aceitar diferentes pontos-de-vista, nuca lhe ensinaram que diferentes vistas da ponte, equivalem a diferentes pontos-de-vista?

O Padre Vitor Melícias, auferindo uma reforma milionária, pede aos portugueses que tenham paciência!

A polémica aqui abordada acerca das declarações de D. Januário Torgal Ferreira (a 18 de Julho de 2012).

E, ainda, o diálogo que a Drª Helena descreveu aqui no seu post "Conversas Improváveis".

De facto, as pessoas andam tão oprimidas que depois, querendo falar, não sabem o que dizer: E dizem asneira!

Um abraço,
Vânia Edite Vieira Batista

DNO disse...

E eu concordo.
Hoje em dia pelas televisões e rádios, fala-se tanto, tanto, tanto, dão-se tantas opiniões, apresentam-se tantas soluções, julgam-se tantas pessoas que realmente o silêncio é mesmo de ouro. (Se calhar é por isso que a cotação do ouro está a subir...)

Maria disse...

Meu Pai dizia que: "Há pessoas que deviam ter um fecho-eclér na boca".
Há pessoas que abusam das palavras. Há outras, que falam de menos.
Seguindo com os provérbios: "No meio termo está a virtude.
Abraço
Maria

mlu disse...

Tudo isto é tão verdade que...não digo mais nada!

«O calado é bom homem»

Fátima Costa disse...

Que boa deixa para lembrar Mahatma Gandhi. Dizia ele : "o que fazes fala tão alto que não consigo ouvir o que dizes"Se seguissemos este conceito penso que tudo iria melhor.Mas sem querer ser injusta acho o trabalho dos voluntários ilustra totalmente a ideia de que é preferível falar através de acçõs. Isso é que mais importa. Neste sentido, não me canso de lembrar uma octogenária que insistia em visitar ss prisões e de levar a muitos a única palavra de carinho que poddiam ouvir.
Um obrigada pois a todos os voluntários.