domingo, 28 de novembro de 2010

A importância dos outros

Este tema vem na sequência do meu fim de semana. Hoje o meu dia foi dedicado totalmente aos outros. Em primeiro lugar ao meu neto Frederico. Fiz tudo o que ele quiz. Mesmo quando me não apetecia.
Depois vim para casa, para o calor de braços amigos. E dei comigo a pensar nos comentários feitos ao post de ontem. Que, no fundo, reflectem bem a importância que, sem o saber, possamos ter tido na vida dos outros.
Sei disso no ensino universitário. Alguns do meus bons amigos provêm dos meus antigos alunos. Porque, depois de os passar, a nossa relação toma, nalguns casos, formas de afecto em que percebemos, o quanto, em certas ocasiões, a nossa palavra foi decisiva e valeu a pena.
Na escrita a percepção é diferente. Quando abordo temas profissionais a maior preocupação que tenho é a de ser clara. Para todos e em especial para quem não é economista. Por isso, também oiço com muita atenção os meus filhos. Trata-se de, através deles, perceber o "pensamento" político, venha ele de que ideologia vier. Finalmente, quando abordo questões do foro dos afectos, a única cautela que tenho é a de não ousar mencionar pessoas, os "outros" e ficar-me apenas pelo "eu". E aqui sim, tenho uma imensa satisfeitação se o leitor se encontra, se reconhece, nas palavras que escrevo. Para mim, essa é a verdadeira recompensa. Porque, tambem eu, devo a uma dezena de escritores uma boa parte do que sou e da forma como olho o mundo à minha volta.

HSC

3 comentários:

Margarida disse...

Assim é ser-se 'pelo coração', como todos deveríamos ser, fosse este um mundo 'ideal'...

Helena Oneto disse...

A vida é feita de encontros, de caminhos que cruzamos, de livros que lemos e de fios que tecemos. Ao longo da minha tive o privilégio de conhecer alguns escritores. Eram e são homens e mulheres extraordinariamente sensiveis. Subescrevo as palavras de Carolina que tão bem diz a cumplicidade que o leitor estabelece com o escritor.
A Helena é prova e testemunha dessa aura generosa que o escritor cria à sua volta. Os sorrisos que lhe retribuem os seus leitores são "gages de reconnaissance". Precisamos de ler para sonhar e sonhar para viver.
Bem haja Helena!

Helena Sacadura Cabral disse...

A/o Anónimo/a que me escreveu a dar informações sobre um canal de televisão, compreenderá que, para lhe não dar publicidade, o não publique.