sábado, 16 de outubro de 2010

Os meus

"Le besoin d'évoquer certains des êtres qui ont illuminé mon parcours me tenaille depuis que j'ai découvert qu'ils occupaient mes nuits".
Jean Daniel
"Les Miens"

Esta é uma das frases de abertura dum blogue de que gosto muito, "A Casa da Lapa" (a-casa-da-lapa.blogspt.com), que pertence a Helena Oneto. É um misto de memórias e de reflexões que fazem pensar aqueles que, como eu, o seguem. E que, por norma, são acompanhadas de fotografias muito bonitas.
De facto, a quantas pessoas com quem nos cruzámos, não devemos nós uma parcela daquilo que somos? Por mais supreendente que tal possa parecer, até aqui, neste blogue, eu já tenho aprendido com muitos dos comentários feitos!
Quanto mais velha vou ficando, mais real a afirmação se torna. Se devo muito aos do meu sangue, nomeadamente pais, avós e filhos, não é menos verdade que uma boa parte do que sou, foi muito influenciada por pessoas que passaram na minha vida e nela deixaram uma marca.
Marca que abrange a gente que conheci e amei, os livros que li, a arte que apreciei, as músicas que ouvi, as viagens que fiz, enfim, o mundo que me rodeou. A todos eles estou muitíssimo grata. Jean Daniel tem muita razão. E Helena Oneto também!

HSC

3 comentários:

Margarida disse...

O blogue da Helena tem um som do Fado mesclado com o acordeão..., e a cor do Tejo no espartilho do Sena...
E perfume.

Helena Sacadura Cabral disse...

Também tem isso sim senhora...para além da sua linda autora. E todas nós na banca...

Helena Oneto disse...

Ohh! Helena, Margarida muito obrigada!!! Votre éloge à casa da Lapa me flatte beaucoup!

A frase de Jean Daniel saltou-me aos olhos quando a li. Todos tivemos ao longo da vida pessoas que nos iluminaram o caminho. Foi para relembrar os meus que decidi voltar à casa da Lapa.

As qualidades e os muitos defeitos que herdei dos Onetos somados à rígida educação que recebi, foram e são alicerces incontornáveis na minha postura de cidadã do mundo. Os princípios que me inculcaram foram determinantes na minha vida. Sou o fruto de anos de experiência(s) vividas na luta pela liberdade e na busca do amor.

Tive o privilégio de conhecer homens e mulheres de grande valor e carisma com quem partilhei aventuras inesquecíveis e de ter tido, aos 21 anos, como “guia” de vida um homem excepcional que fez de mim uma mulher. Muitos já partiram e agora, mais que nunca, fazem-me/nos muita falta. É tempo de lhes render homenagem e dizer-lhes obrigada.

A Helena é uma Mulher com carisma e uma mãe excepcional. A sua liberdade é exemplar e dignifica-nos.
Bien à vous, Madame!