quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Os amigos

Preciso de amigos. Fazem-me quase tanta falta quanto a família. Não tenho muitos. Mas os que tenho são mesmo bons.
Hoje - e só Deus sabe quanto me custou - saí de casa para estar com uma grande amiga e partilhar com ela e com os amigos dela - alguns eram meus também - a festa de trinta anos de livros. De livros excelentes.
Foi a festa da Alice Vieira. No Jardim de Inverno do S. Luís, onde Jorge Salavisa, como sempre, recebeu todos. Foi, sobretudo, a festa da amizade que a Alice tão bem sabe cultivar.
A variedade de gente que ali estava provou quanto vale este sentimento que nasce, muitas vezes, sem se saber porquê. No meu caso, já aqui o disse, a Alice foi uma herança. Exactamente isso, uma herança. A minha estima por esta família começou com o meu querido Mário Castrim, seu marido, que me ajudou imenso a conhecer-me melhor.
Nessa altura, para mim, ela era a mulher do meu querido amigo. Quando ele desapareceu, aí sim, eu descobri o que ele me havia deixado: a "nossa" Alice. Não consigo, mesmo que queira, lembrar-me de como tudo começou. Sei, apenas, que ganhei uma das pessoas melhores que conheço. Cujo coração é do tamanho do mundo.
O Jardim de Inverno, hoje cheio por causa dela, mostrou bem a importância dos amigos.

H.S.C

8 comentários:

Marissa Cooper disse...

Indiscutivelmente, uma excelente escritora. Parabéns!

Raúl Mesquita disse...

Helena:

A Helena dixit!

Quanto mais pensamos no assunto, mais pensamos no significado da palavra AMIGO. Obrigado, Helena! Sabe que hoje me ajudou com este seu " post"? Bem-haja, Raúl.

diogo disse...

é que os amigos ainda podemos escolher , a família , infelizmente, é-nos imposta à nascença . feliz Natal

Margarida disse...

...às vezes o que importa nem se chega a ver.
Nunca.
Por ninguém.
(é apenas sentido)

Luis Bento disse...

Já nem falo nos livros, acima de tudo é a sua postura na vida. O prémio, mais que um louvor literário é um agradecimento à sua generosidade.

olinda silva disse...

É verdade, os amigos fazem-nos muita falta. Eu também não saberia viver sem eles.
Aproveito para lhe desejar um Feliz Natal e um excelente 2010.
Um beijinho
Olinda

Julia Macias-Valet disse...

30 anos a escrever e nos a deliciarmo-nos com os seus livros. Alice Vieira so pode ser nossa amiga também !
Agora sao os meus filhos que estao em idade de cativar uma nova amiga. Eu ja fiz as apresentaçoes.

PS. Helena, deixei-lhe uma mensagem em "Duas ou três coisas", no post Niemeyer.

Anónimo disse...

Estimada Helena!
Um Feliz Natal e um Ano 2010...o melhor possível, tendo em conta a crise! E também continuação de "bom blogar"! São os votos deste seu amigo virtual,
Com Amizade,
P.Rufino