terça-feira, 29 de dezembro de 2009

E cá vamos nós...

O país vive em permanente agitação. É a Assembleia que não se entende, o governo a fingir de vítima, o Presidente a pensar em 2011, os cidadãos a serem ludibriados pela banca, a criminalidade violenta a aumentar, o desemprego a crescer e... nós a pagar. Os que pagam, claro!
Eu sei que já passámos por períodos semelhantes. Mas, insisto, a palavra "semelhantes", é muito diversa de "iguais". Aqui e na matemática.
Mesmo nos mais agitados tempos de que me lembro, nunca coincidiu, numa mesma época, tanta falta de senso. O governo não governa. A oposição só se opõe. O PR não intervem e cada um trata de si, sem pensar no futuro nem naquilo a que se chama solidariedade.
E, no meio duma crise de que se fala diariamente, os portugueses bateram, este Natal, o record de levantamentos em multibanco. Foram "apenas" 80,7 milhões de euros por dia no período de 1 a 26 de Dezembro, totalizando mais de 2,1 mil milhões de euros naquela rede. Só no dia 23, as caixas automáticas registaram 3,3 milhões de operações num valor de 127 milhões de euros.
Ora se a estes valores adicionarmos "outras compras feitas a crédito", teremos a bela visão do que vai passar-se, em matéria de endividamento familiar, a partir de Janeiro. Mas quando de fala desta matéria fala-se, também, de crédito mal parado. Que, paulatinamente, caminha para cumes nunca antes atingidos.
Será que ensandecemos? Ou, pior, estamos perfeitamente lúcidos e sabemos que, não havendo futuro, só vale a pena gozar o presente?!

HSC

11 comentários:

voz a 0 db disse...

Ignorantes... mas felizes!!! É este o estado de espírito do Povo que habita este pedaço de terra que apelidamos de Portugal... os poucos que não estão com este estado de espírito, por mais que falem e escrevam, serão vistos pelos Ignorantes como os estraga festas! Quanto tiver que rebentar... rebenta! Os lúcidos serão possivelmente os que se "salvarão" do rebentamento!!!

Fada do bosque disse...

Isto é que vai cá, um lindo sarilho!
A classe média baixa caiu na miséria e pelo que vejo aqui no que me rodeia, a classe média alta, subiu o poder de compra... ou é de mim, ou gastaram a triplicar, porque talvez os preços tenham baixado em função da inflacção, ou então não percebo!... há que investir em plasmas, LCD´s, (vi a nova moda da black friday, que nem sabia que existia, o verdadeiro espírito natalício americano, importado pelos portugas e à venda no Corte Inglês! e só um indivíduo dizia que ia comprar 4 plasmas para as suas casas... que tinha muitas! fiquei boquiaberta...), PC's consolas, carros, alta costura etc.
De mais a mais, não consigo entender o que se está a passar...
Soliderariedade?! pelos vistos foi o pior ano destes 5 últimos!
Quanto aos nossos governantes e algo que eu não queria dar o braço a torcer, mas tenho de dar, são o espelho do povo que governam! Infelizmente... e as minorias que fiquem caladinhas, porque de nada lhes adianta protestar.
Está visto que o barco vai ao fundo, mas há botes para os priveligiados!
Apre que até dá vontade de chorar!...

Anónimo disse...

E eu que julgava que havia crise!!
P.Rufino
PS: numa reportagem da SIC, outro dia, sobre compradores de items caros (de jóias, a roupas, carros, etc), os vendedores, muito selectos, não escondiam a sua enorme satisfação: "este ano tem sido excelente! Melhor do em anos anteriores!Para este tipo de artigos, ou produtos, os nossos clientes não parecem muito incomodados com a crise."

Correia de Araújo disse...

Alguns títulos dos jornais:

*Portugueses estão a colocar mais dinheiro em paraísos fiscais.

*Portugueses gastaram mais 300 milhões de euros este Natal.

*Portugueses gastaram 380 milhões num só dia.

*Portugueses esgotam Caraíbas na passagem de ano.

*“Leões” investem para combater depressão.

*Porsche vende mais 25% em Portugal.

*Natal bate recorde com mais de 6,8 milhões de operações na rede de Multibanco.

CHEGA????

Marta disse...

feliz 2010
feliz TUDO.

abraço e continue a dar-nos que reflectir :)

carolina disse...

Fada do Bosque, permita-me que lhe diga que subscrevo tudo o supra escrito e, sim, eu também acho que dá muito vontade de chorar, observar o que está a passar-se á nossa volta. Gosto muito do Dalai Lama e, concordo quando ele diz que "a nossa humanidade varia na proporção directa da capacidade que temos em criar empatia com os outros" Em que estamos a transformarmo-nos então? se cada vez vivemos mais longe uns dos outros, enchemos os nossos espaços de "coisas" entupimos os nossos canais e redes de ligação com "plasmas , DV's, IPOD's" etc, etc. etc.e estamos cada vez mais isolados e cheios de barulhos à nossa volta ninguém ouve mais a nossa voz. Ontem escandalizei-me com um cirurgião plástico das ditas "estrelas" a quem o jornalista perguntou: "não acha que se está a confundir beleza com felicidade? resposta: " não é a mesma coisa?"!!! beleza é de facto felicidade , mas não é aquela que está na ponta do bisturi...Nas sociedades actuais fala-se muito de liberdades, direitos e garantias, pessoalmente estou grata a toda a humanidade que lutou por esses valores, são tão fundamentais, tão intrinsecos que nos parece ímpossivel que alguém os ponha em causa, mas descobri que não é preciso os regimes de Teerão, ou da Coreia ou sequer Hitler, basta apenas envelhecermos, e tudo deixa de fazer sentido para os velhos internandos nos lares, liberdades, direitos e garantias são palavras sem sentido... perdemos a voz, os direitos, as liberdades o respeito... as pessoas deixam de ser belas, úteis, funcionais e atiram-se para o lixo, se se queixam, dizem " não faça caso é senil, não diz coisa com coisa, e ao abrigo disto damos permissão para que sejam abusados, negligenciados, esquecidos, como nas prisões da China, nos campos Nazis, ou apenas no lar mais próximos de nós.... é triste muito triste, e a Srª tem toda a razão dá muita vontade de chorar...

Raúl Mesquita disse...

Helena, é, realmente, arrepiante. Fada do bosque, percebo-a perfeitamente. Voz a 0 db, não creio que se trate de ignorância, inclino-me mais para o ponto de vista da Helena: é conscientemente que se gasta. O futuro, e note-se, não só em Portugal, não é promissor, logo, "vá de gozar", "carpe diem!" Raúl.

Helena Sacadura Cabral disse...

P.Rufino só falta acrescentar que grandes clientes dessas luxuosas marcas - nem me atrevo a referenciá-las para as não promover - são também angolanos que vêm a Portugal - grande país - fazer as suas compras...

voz a 0 db disse...

Se a palavra em português choca, deixo em inglês
"Ignorance... is bliss" sempre soa mais "chick"!!!
Em qualquer língua que escreva reflecte, na minha modesta opinião, a ignorância (falta de instrução) financeira da maioria do Povo, que faz créditos "loucos", utiliza cartões de crédito às cegas, etc, etc, etc...

Julia Macias-Valet disse...

Helena, se me arranjar um pézinho desta arvore, eu que até nao sou muito dada para andar a catar o piolho na folha da roseira, juro que me dedico ao "verde".

Anónimo disse...

Também é bem verdade Helena, mas por cá igualmente há esse tipo de clientela. Nada de mal (para os de cá), entendamo-nos. Não só não invejo, como não quis criticar. Foi apenas uma observação. Bem vistas as coisas, quem o tem gasta-o como quer. Está nesse direito. Já se o dinheiro vem de o extorquir a um povo, que está na miséria, como o exemplo que citou, então sim, já é condenável. Mas o Mundo é assim, sobretudo ainda em certos continentes.
Uma boa Passagem de Ano! A minha será tranquila, detesto reveillons e multidões.
P.Rufino