segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Tempos críticos...

Parece que Puigdemont e os cinco ex-secretários – Borràs, Comin, Forn, Bassa e Serret - se terão deslocado para Bruxelas, um dia após o ministro de Asilo e Migração belga, Theo Francken, do partido nacionalista flamengo, ter provocado ampla polémica ao abrir a possibilidade de concessão de asilo ao ex-presidente, oferta logo depois negada pelo primeiro-ministro.
A viagem veio a público poucas horas depois do procurador-geral do Estado, José Manuel Maza, ter anunciado a existência de uma ação judicial formal contra Puigdemont e todos os ex-membros do governo catalão, por crime de rebelião, sedição e desvio de dinheiro público. Os quais dão, a meu ver, com esta "fuga", um triste exemplo de abandono, aos confiantes nacionalistas da Catalunha. 
E, mesmo o argumento de que se poderia estar a encarar a possibilidade de formação de um governo catalão no exílio pouco colhe, nas actuais circunstâncias. Como bem disse a Rainha D. Amélia quando embarcou com D. Manuel na Ericeira, do exílio não se regressa.
A representação catalã perante a União Europeia, cujo responsável assumiu, nesta segunda-feira, a destituição por parte do Executivo espanhol, afirmou não ter informações sobre aquela viagem. O partido nacionalista flamenco negou-se a confirmar ou a desmentir se representantes seus se reuniram com o ex-presidente da Generalitat.
Confesso achar estranho, que um país membro da União Europeia, possa ter recebido, nestas condições, estes eventuais "fugitivos". Mas se o fez, não consigo descortinar como o governo irá explicar à UE a situação. O que adivinho, sim, é que se o gesto pega, se avizinham tempos críticos...



HSC

8 comentários:

João Menéres disse...

O Puigdemont nem sonha as consequências nefastas do seu acto para a própria Catalunha !


Melhores cumprimentos, HSC.

Pedro Coimbra disse...

E a confusão em Espanha segue dentro de momentos.

Anónimo disse...

“Kick and run”...

Silenciosamente ouvindo... disse...

Há uma grande confusão, drª. Helena. Parece que foi

contratar um advogado, mas a verdade ainda não se sabe.

Está muito confuso, por enquanto.

Os meus cumprimentos.

Irene Alves

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Irene Alves
Se eu vou a Espanha consultar um advogado é porque são as leis espanholas que me interessam. Se ele foi consultar um advogado na Bélgica é porque são as leis belgas que lhe interessam. Para quê? Para as usar, julgo, a seu favor...

Helena Sacadura Cabral disse...

Meu caro João Menéres
Vai ser terrível para a Espanha, para a Catalunha e para nós. Porque o abalo na economia regional vai afectar o nosso comércio. E porque vai pôr à prova UE.
Tristíssimo!

João Menéres disse...

Oh, minha rica Barcelona !...

Sei lá disse...

O que eu acho incrível não é facto de herói da Catalunha "pensar com as pernas", na hora do perigo. O que me parece incrível e indecoroso para a Bélgica é o facto desse senhor poder ser considerado "perseguido político".
Alguém que afronta dolosamente as leis do seu país não é um refugiado, é um criminoso.