segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Já está. Falta o resto.

O fim de semana foi, como se previa, cheio de emoções. Uns satisfeitos pelas vitórias reais alcançadas, outros a disfarçar algumas derrotas e outros ainda derrotados mesmo. Na política como na vida, é preciso "estar preparado".
Confesso que, acamada com uma virose que não me tem dado muitas tréguas, andei com o zapping entre a tv nacional e a tv espanhola. Quando os resultados estavam aqui apurados, pensei que a política seria, de facto, a única actividade que eu nunca exerceria. Ela exige um conjunto de qualidades que não possuo e um conjunto de defeitos que eu tenho, mas que, felizmente, sendo necessários, não são suficientes. Talvez por isso tenha conseguido lobrigar, entre beijos e abraços, um ou dois rostos que me lembro de se estarem a regozijar, há uns tempos, noutras áreas de poder. Mas quem é que, ao longo da vida, não muda? Os burros, como se sabe.
Assim, Portugal, essa nação una e indivisível, tem agora o seu mapa regional clarificado. E eu não serei capaz de tecer, no momento, qualquer outro comentário  sobre este assunto. O povo votou, cumpra-se a sua vontade que é a única verdadeiramente importante.
Já o mesmo não se poderá dizer de Espanha, infelizmente. E o que se passa aqui ao lado vai trazer consequências até para nós. Basta pensar nas populações raianas, que se deslocam todos os dias entre os dois países, para lembrar que há vírus que se podem transmitir com o passar dos anos e das fronteiras. Se, um dia, a Espanha ficar sem algumas das suas regiões, podermos correr o risco de sermos olhados de forma bem gulosa. Hoje não há guerras como aquelas que a nossa história comum conheceu. Mas o poder das armas,  foi substituído pelo poder financeiro e este fere mais do que as balas...

HSC

4 comentários:

João Menéres disse...

Pois eu fiquei satisfeito com o resultado no Porto e com o AVANÇO que a alegria contagiante da Assunção Cristas trouxe à campanha.
De caras de zangados estou farto !
E de sorrisos sarcásticos também...

As suas melhoras, HSC.

vitor manuel disse...


Comungo muito das suas preocupações
em relação a Espanha e das implicações
que poderá ter para Portugal.

Desejo muito as suas melhoras.

Os meus cumprimentos.

Irene Alves

Anónimo disse...

O que se passa na Catalunha é o que aconteceria a Portugal se a ideia estúpida de uma união ibérica fosse adiante! Por mim continuamos dois países de costas voltadas

Anónimo disse...

Que sortudos são os seus vírus! Desfrutam "coisa boa"...com o devido respeito.
As suas rápidas melhoras.