quarta-feira, 31 de maio de 2017

Os Amigos


Sou uma mulher de afectos e gosto de pessoas muito diferentes. Tenho a sorte de possuir bons amigos à esquerda como à direita, se é que a política pode ser chamada para esta matéria. Mas hoje pode e já explico porquê.
Ontem à noite, no Jardim de Inverno do Teatro S. Luis, reuniram-se um punhado de amigos de Mario Castrim, para lhe prestarem homenagem. Com discrição, em família. Presentes o Presidente da República e o Ministro da Cultura, ambos na dupla qualidade de amigos e de representantes do país. Estava, também, Jerónimo de Sousa e muita gente dos mais diversos espectros da vida nacional. Seria entediante referi-los todos, mas vale a pena salientar que o antigo núcleo duro do bom jornalismo estava todo lá. Como estavam aqueles que pela pena afiado do Mário, aguentaram as suas críticas e se "fizeram", como o Goucha e o Zambujal, meus dois ótimos companheiros.
Os discursos dos "grandes" foram excelentes. Mario Castrim era um homem tão especial que reuniu Marcelo, Luis Castro Mendes e Jerónimo de Sousa de forma tão originalmente harmoniosa, que seria difícil dizer qual o discurso melhor.
Fiquei feliz de lá ter estado e de ter revisto muitas caras conhecidas, unidas pelo mesmo fio condutor. O que eu devo ao Mário só ele e eu sabemos. Mas algo posso dizer. É que nunca, mas nunca, teria chegado até aqui se não tivesse encontrado o Mario. Que, em herança, me deixou uma das minhas mais apreciadas amigas, a Alice Vieira, viúva que não quer e bem, que o nome do marido seja esquecido pelas novas gerações pelas quais ele tanto batalhou.
Cheguei a casa feliz. Mas esperava-me uma triste noticia. Tinha acabado de morrer a minha querida amiga Maria Helena Serras Gago. Fiquei de rastos. Acabava de louvar um amigo e de perder outro...

HSC

7 comentários:

Jose Andrade- Santos disse...

Missing you in FB 😯

julio paulo disse...

Palavras, justas, de uma SENHORA.

Dalma disse...

Estava eu na faculdade e lembra-me com que avidez lia as crónicas dele. Já não me lembra em que dia da semana escrevia, só sei que nesse dia eu e aquele que viria a ser o meu marido, comprávamos inevitávelmente o DN.

Silenciosamente ouvindo... disse...

É assim a vida drª. Helena.

Momentos reconfortantes e logo de
seguida a tristeza!

Os meus sentidos pêsames à família
da sua amiga.

Os meus cumprimentos.

Irene Alves

Anónimo disse...


Helena
Tão bonita a foto, pelo que descreve deve ter sido uma bonita homenagem. Achei piada chamar grandes.

Os discursos dos "grandes" foram excelentes.

Sinto a perda da sua amiga.

Abraço afetuoso
Carla

lolita disse...

Tb eu lia com avidez as lúcidas críticas do Mário Castrim.

Anónimo disse...


Helena

Veja quem está aqui :)
http://cabaredogoucha.pt/super-mario/

Abraço
Carla