domingo, 26 de junho de 2016

O coração e a razão

Como se pode depreender do que escrevo, não sou uma mulher fria. Pelo contrário, sou emotiva. Mas, anos e anos de vida com gente profundamente racional, conseguiram fazer de mim uma criatura pragmática na forma como me impus ver o mudo à minha volta. Não quer dizer que me desgaste menos o controle das emoções do que as próprias emoções. Mas teve que ser assim depois de alguns anos de análise me terem feito perceber que a “minha realidade familiar” teria que ser gerida de forma muito objectiva pouco propícia a estados de alma.
Estou, aos poucos, a soltar-me. Foi isso que o Miguel me disse que fizesse, quando o irmão deixasse a política, algo que ele previu com muito maior sagacidade do que eu. E nós éramos parecidíssimos...
Tenho-me dado conta disto na forma como vou reagindo aos acontecimentos dos últimos meses, quer cá quer lá fora. Pessoalmente tive problemas de saúde. E, além disso, como toda a gente assisti à queda da Dilma, às duplas eleições em Espanha, ao Brexit, ao terrorismo, aos refugiados, ao desastres naturais e ao futebol, tudo ocasiões impróprias para cardíacos, mas a que me não subtraí. Porquê? Por puro pragmatismo. Porque, agora, eu já não estou sujeita às emoções familiares de antigamente.
Porém, raramente aqui falei destes temas, na medida em que adivinhava muito do que veio a acontecer e não queria ser a mensageira de mau agoiro. À excepção das catástrofes naturais, nunca duvidei que o Reino Unido sairia – a própria Rainha o preferia – e que em Espanha fossem necessárias novas eleições que, até acredito, possam ter de repetir-se.
Nunca fui europeísta, nunca me senti sequer parecida aos outros 27 e sempre julguei que a Europa Unida que hoje conheço diferia muito, nos objectivos, daquela a que assisti a fundar. Á vista está o resultado!

HSC

24 comentários:

Anónimo disse...

A propósito da nova vida do seu filho Paulo, para além da descrição feita pelo repórter da revista «Sábado», sobre esta ida recente dele a Cuba, com vários empresários, que delícia de entrevista, de que o seu Miguel, seguramente, teria gostado.
Parabéns à Mãe!

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 18:42
Não tenha dúvidas que lá em cima ele está sorrir para nós muito contente!

Anónimo disse...

🌹🌹🌹

Anónimo disse...

Porque o Miguel gostava de futebol e hoje a Selecção Portuguesa de Futebol de Praia, venceu a final em Belgrado.Deve estar duplamente feliz.
Campeões europeus novamente.Muitos Parabéns!

http://www.fpf.pt/pt/Not%C3%ADcias/Not%C3%ADcia/news/5066

Silenciosamente ouvindo... disse...

Gostaria de ter a certeza que a Rainha preferia sair da UE.

Mas a Rainha não vota, não é? E não se pronuncia em público.

As eleições espanholas já se efectuaram. Uma enorme abstenção

e estão a contar os votos. Veremos se vai sair Governo.

Todos os dias são de uma tremenda incerteza.

Os meus cumprimentos.
Irene Alves

Unknown disse...

Dra. Helena.
Ontem vi o seu filho Paulo na televisao. Ele está mais feliz e eu fico feliz de o ver assim. Beijinhos.

Fátima.

Fátima Magalhães disse...

Dra. Helena. Gostava que soubesse que na altura que o Miguel morreu fui à Igreja do Sagrado Coração de Jesus, ajoelhei me junto à estátua do Sagrado Coração de Jesus e pedi para o Miguel ir para o Céu. Ninguem sabe disto e estou a contar-lhe na primeira pessoa.
Eu conheci o Miguel. Ele ofereceu-me um cafe e eu ofereci-lhe um livro de Banda Desenhada.

Fátima. ( A senhora que lhe ofereceu um sabonete pintado. )

Fátima Magalhães disse...

Dra. Helena.
O meu pai é escritor e argumentista de Banda Desenhada. Há aqui uma parte genética.

Neste momento ele tem uma exposição na Bedeteca da Amadora juntamente com Augusto Trigo um Desenhador admirável.

Anónimo disse...

Luísa Santos disse...

''Nunca fui europeísta, nunca me senti sequer parecida aos outros 27 e sempre julguei que a Europa Unida que hoje conheço diferia muito, nos objectivos, daquela a que assisti a fundar. Á vista está o resultado!''

Srª Drª,
Este seu último parágrafo fez-me lembrar as previsões de Álvaro Cunhal a propósito da entrada na então CEE. Goste-se ou não foi a voz mais premonitória que tivemos. «É um logro grosseiro apresentar a integração no Mercado Comum como uma panaceia para a solução dos problemas da economia portuguesa e para o lançamento do desenvolvimento económico''.DN, 18/2/1977;
«Contrariando a integração, que significaria que na economia portuguesa (e em breve também na política portuguesa) passaria a mandar o Mercado Comum, lutamos para que em Portugal mandem apenas os portugueses.» Intervenção na Conferencia do PCP 'Portugal e o Mercado Comum', Porto 31 de Maio de 1980, pp 18 e 31-35.
Os anos, parece, deram-lhe razão.
http://www.omilitante.pcp.pt/pt/322/alvaro_cunhal_centenario/766/%C3%81lvaro-Cunhal---A-independ%C3%AAncia-e-a-soberania-nacionais.htm
Cumprimentos,
Luísa Santos

Anónimo disse...

Não me referia ao futebol, mas, sim, à entrevista concedida por Paulo Portas em Cuba, bem como ao artigo sobre ele. Sou outra Mãe, embora tenha posto a cruzinha no anónimo, amicíssima do Miguel, que era absolutamente extraordinário, tal como o irmão é. Aliás, com ele aprendi a apreciar o Paulo, em termos de uma coisa em desuso, que se chama carácter. É um orgulho vê-lo e ouvi-lo. Ainda ontem, em Madrid. Ninguém fala como ele... e a língua portuguesa até parece outra... Tenho um filho da geração deles, já sou «velhinha», como diria o Sobrinho Simões.. Tenho saudades de me rir com o Miguel, às gargalhadas e, felizmente, quero lembrar-me sempre deses momentos e de outros, exemplares, de uma pessoa de carácter. Tal Mãe (sem ofensa para o Pai), tais filhos. Beijos

Anónimo disse...

Macacos me mordam!
Desapareceu o post do novo blog com a grupa?
Que se passa?

Anónimo disse...

A razão com compassos certos abre a porta do coração...mesmo que seja uma :-))

https://youtu.be/zF26jtMA9U0

Cidália Ferreira disse...

Um texto maravilhoso cheio de tantas verdades.

Sempre admirei muito esta Senhora, na TV. E agora que a encontrei através de um blogue amigo em comum, fiquei feliz por poder lê-la.

Seria para mim um enorme gosto que visitasse o meu blogue, querendo e podendo claro.

Beijos
Dia Feliz

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Jaime Reis disse...

Parabéns pela Feira do livro. Sou escritor.

Jaime Reis disse...

Portugal vai ganhar o Europeu.

Anónimo disse...

Jaime Reis
Se Portugal fizer como o Sô Costa, eu já acredito em tudo - até em vacas a voar - .. que memo perdendo já ganhámos.


Anónimo disse...

❤️

Anónimo disse...


Helena
Que bonito o que conta a Fátima Magalhães. Gosto da maneira genuína com que escreve.

Houve uma frase que me fez eco, ouvi-a do Paulo aprendeu consigo.
As alegrias partilham-se, as tristezas não se democratizam.


Ontem reparei numa pintura lateral de um prédio. É nítido o seu significado.Uma balança enorme num prato o coração, no outro o cérebro, os pratos estavam equilibrados. Pena que nem sempre seja assim como a balança.

Carla

maria franco disse...

"Nunca fui europeísta"
"À vista está o resultado"
Subscrevo, e acrescento que todos
os países eram completamente diferentes
em muitos aspectos.
Muita gente beneficiou... e agora, pagam
os mais pequenos.

Teresa SAC disse...


gostei imenso deste seu texto.
é com a idade que vemos melhor a vida; saboreamos cada momento.
Só vale a pena reter aquilo que nos dá e deixa uma alegria sem fim.

Teresa Campos

Anónimo disse...

:-))...Mesmo que seja uma caranguejola sem maestro.
A 22:42

Fátima Magalhães disse...

Cara Sra.

Carla

Fico agradecida pelo seu comentário.

Felizmente também tenho boa cabeça!!

Na Universidade estudei Geologia, mas não pude acabar o curso. Sempre fui boa aluna.

Agora gostava de ser Webdesigner, Pintora e Fotógrafa.

Dá va para fazer tudo ao mesmo tempo. O Paulo inspira me.

Tenho boa cabeça e cheguei a ter 20 valores em informática, mas este país nao aproveita os cerebros.

Pagam mal e nunca tive direito a subsidio de férias ou de natal por causa da precariedade.

Pintora já sou graças à ajuda que tenho do estado, senão não podia fazer nada!!!

Agora vou ver se consigo comprar uma máquina fotográfica reflex.

Os cursos de informática é que são muito caros e inacessíveis para mim.
Infelizmente os meus pais não podem ajudar.

Não estou feliz por estar nesta situação e ser subsidiária. Não era isto que queria para a minha vida Carla.

Anónimo disse...

Senhora,as suas melhoras.Tenha um doce dia.

Ambrósio

Anónimo disse...

Dra Helena,ponha o seu cachecol e invoque os seus santinhos para uma vitória do bacalhau português ao bigos polaco.
Força Portugal a um dia perfeito!Força Ronaldo!

💚❤️💚❤️💚❤️💚❤️💚❤️💚❤️💚❤️💚❤️💚❤️💚❤️💚❤️💚❤️💚❤️💚❤️💚❤️💚❤️💚❤️

Fãs do Sporting