quarta-feira, 18 de maio de 2016

A complacência de Bruxelas?

O pais atravessou uma verdadeira união nacional para que Bruxelas não aplicasse sanções a Portugal. E contava, para o efeito, com a complacência de Bruxelas, face à injustiça que aquelas sanções representavam. 
Acredito pouco nas complacências em matérias desta natureza, porque este tipo de lamúria colectiva não é própria de países adultos. Destes espera-se outro tipo de comportamento, e não me parece que a posição de fragilidade vá impedir qualquer instituição comunitária de aplicar as regras com que nos comprometemos para entrar no euro. 
Para já, a Comissão Europeia acaba de lavrar a sua sentença: Portugal e Espanha continuam em procedimento de défice excessivo, mas a decisão sobre as sanções a aplicar é adiada para Julho.

Data que não deixa de ser curiosa, face ao facto de a Espanha ter eleições no fim de Junho e de as sanções aplicadas poderem constituir um óptimo tema de campanha eleitoral. Será que todos julgam que somos débeis mentais?

HSC

2 comentários:

João Menéres disse...

Se fomos bons alunos a aplicar todas as regras, porquê sancionarem-nos ?

Melhores cumprimentos.

C.N. Gil disse...

Sim, julgam!
...e o pior é que em muitas vezes eles percebem que têm razão...

:)