domingo, 14 de fevereiro de 2016

Amanhã é outro dia!


Eu sabia, claro que sabia. Não se passam duas semanas com incidentes domésticos dignos de uma telenovela mexicana, sem depois ter de se pagar um preçozinho. Eu sei sempre. Mas, como sou optimista acredito que um dia há-de acontecer sair-me a terminação, mesmo sem jogar.
Explico-me. Durante esta quinzena fui acumulando papeis na secretária, os quais, de vez em quando, mudavam de sítio com o respectivo risco de se perder a ordem cronológica. 
Catrapuz foi o que aconteceu depois de uma limpeza de pó mais dinâmica e voluntariosa da minha Luciana, empenhada em fazer render o pouco tempo que agora cá vem. Face à desgraça senti que me corria nas veias o sangue da heroína. Olhei para o "maralhal" de papeis com ar superior, juntei-os todos num só monte e decidi que, hoje, Domingo de chuva, lhes pegaria. Dantesco foi o quadro que encontrei. Era um mix de assuntos pessoais e profissionais meus, mais uns contributos expressivos de papeis pessoais do filho e cartas com que os meus queridos leitores me premeiam e às quais sempre respondo.
Tive um colapso psicológico. Que sempre curo indo para a cozinha, que é o local onde mais gosto de estar quando me enervo. Ficou-me esta "marca" dos tempos em que fiz análise e descobri que cozinhar me serena. 
Pus os Antónios a cantar- o Variações e o Zambujo - dei uma chance ao Camané e. feliz, em lugar de cozinhar, mandei vir um jantar japonês da Confraria só para mim, tendo mandado às urtigas os papéis. Amanhã é outro dia, como costumava dizer-me o Ernani Lopes quando me via aflita!

HSC

5 comentários:

LopesCa Blog disse...

Ui tanto stress, concordo que o melhor é descontrair ao domingo :)


Blog LopesCa/Facebook 

maria isabel disse...

Fez muito bem,Doutora Helena
Não houve chuva suficiente que justificasse tão grande arrumação.
Amanhã há mais.
Bom soninho e boa semana
Maria Isabel

Pôr do Sol disse...

Sempre sensata Dra. Helena.
Pois é mudam-se os tempos...
Minha avó dizia "não guardes para amanhã o que podes fazer hoje". O meu marido diz "se não me apetece fazer hoje, fica para amanhã porque é Deus a dar-me mais um dia de vida".
Boa semana.

Anónimo disse...


Helena
O chocolate de amêndoas e sal já marchou, adorei!!
Obrigado por me levar ao pecado da gula, lá em casa todos adoraram.
O que me serena é praticar desporto, só o descobri também com a psicoterapia. Ainda bem que não é a cozinha, porque para meu mal engordo facilmente. Fez bem em mandar os papeís às urtigas, o domingo é de descanso mental e fisico.
No sabádo quando fui visitar a minha avó, estava ela desfolhar uma revista de 2008, chamou-me a atenção uma entrevista com a sua amiga Silvia Rizzo, fiquei a saber porque se chama assim, gostei do que li, da sua filósofia de vida. A grupa é risonha de espírito positivo. Mais à frente estava a Helena como seu infante, digo-lhe que quase não a reconheci. Gosto muito mais como está agora.

Carla

Maria do Porto disse...

A mim é também a cozinha que me serena...
Estou tão embrenhada que me esqueço do mundo que me rodeia. Tenho também aquilo que eu considero uma qualidade: não me incomoda que alguém entre e queira provar ou experimentar algo que estou a cozinhar, não me enerva, talvez pela serenidade que sinto ao cozinhar. Digo isto porque as minhas irmãs, ficam "possessas" e começam a gritar com filhos, sobrinhos, maridos...quando alguém se atreve a lá entrar, perguntar ou provar o que quer que seja!
Ofereço-me sempre para fazer os cozinhados quando nos encontramos todos. Faço também as entradas, sobremesas, acompanhamentos, tudo. Sabe-me bem...
Bjs