quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Recomeçar...

É sabido que tenho uma vida muito mais ocupada do que a idade imporia que tivesse. Na maior parte dos dias, trabalho entre 8 a 12 horas, apenas interrompidas para a preparação e ingestão de alimentos. A senhora que vem aqui a casa faz exclusivamente limpezas. Da cozinha e da roupa trato eu, para poder quebrar as horas que passo frente a um computador.
Era capaz de ganhar bem melhor a minha vida a preparar alimentos para aqueles que, ou não têm tempo, ou não gostam de os cozinhar. Como não me apetece continuar a publicar dois livros por ano - o último que publiquei deixou-me muito cansada - e tenho recusado todos os convites para voltar à tv, a hipótese de constituir uma empresa de congelados ou de refeições na hora, não é, de todo, impossível. E seria uma surpresa para aqueles a quem presto consultoria financeira, que talvez se tornassem, também, meus clientes nessa área. 
Por outro lado, pedem-me muito que faça coaching de desenvolvimento pessoal, em cursos ou via Skype. Tenho preparação para o efeito e a hipótese não está, de todo, arredada. Enfim, quando as consequências desta malfadada gripe já tiverem desaparecido, irei considerar aquelas hipóteses e mais uns convites que me fizeram e aguardam resposta.
Bom mesmo, era poder descansar e não fazer nada vivendo de uma reforma para a qual trabalhei mais de 50 anos. Mas como isso cai no domínio da utopia e queixar-me não está nos meus hábitos,  haverá que dar outro rumo à minha vida. Aliás, já comecei tantas, que iniciar outra até é capaz de me agradar, agora que me parece, ficarei livre das políticas cá por casa...

HSC

15 comentários:

Anónimo disse...

Mas Dra. Helena, agora que tanto se fala em 35 horas semanais, a Senhora está a trabalhar dessa maneira!?... Olhe que isso vai contra o modelo de desenvolvimento deste governo!...

Virginia disse...


Devia requerer uma renda vitalícia por tudo aquilo que já fez em prol dos outros. Mas este país não reconhece quem tem valor...
É bom é ter essa energia toda ainda. Já não conseguiria dar aulas ou mesmo deslocar-me para cursos e encontros. Sinto-me muito mais velha do que há dez anos.... :)

Isabel Mouzinho disse...

Essa sua capacidade de "começar de novo" é absolutamente fascinante. E muito inspiradora, também...
Ponha-se boa depressa.

Um grande beijinho :)

Silenciosamente ouvindo... disse...

Drª. Helena a minha admiração por si aumenta sempre.
Sempre a querer estar activa e a ter ideias.
Simplesmente fantástica!!!
Seja qual for a sua decisão sei que a fará bem.
Que Deus lhe dê força e saúde para as colocar em prática.
Os meus cumprimentos
Irene Alves

Portuguesinha disse...

Tenho a sensação que para existir de verdade é preciso começar muitas vidas novas numa só. Ainda me falta muito calejar, estou longe da sabedoria dos que cá andam faz muito tempo... Mas é o que sinto. Acho que, pelo menos uma, já foi. Mudamos sem em nada sermos diferentes, como os répteis mudam de «pele». Admiro quem se mantém ativo! Boas escolhas.

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 17:41
Gosto de trabalhar
Gosto de me sentir útil
Gosto de ganhar dinheiro para ser independente e viver à minha custa
Depois nunca me lembro de ter trabalhado 35 horas. Ia-me sobrar imenso tempo...
Finalmente, o modelo laboral deste governo não é o meu. O do anterior também não era. Como sou independente pago mais impostos, mas faço o que quero. Opções!

Anónimo disse...

E porque não conciliar trabalho e não fazer nada, não é impossível.
Está muito a tempo de deixar de ser workaholic.
Mas HSC, recomeçar é lindo!
Recomece com um novo modelo de gestão de ócio e negócio, aplique nisso a sua sabedoria.
Não me leve a mal, mas é como se eu estivesse a falar comigo.
FL

Anónimo disse...

Dr.ª Helena! Muito bem! Que bom ler estas ideias!
Adoro o seu estado de espirito e a sua força. Sem dúvida que é uma pessoa inspiradora. Deus lhe dê muita saúde e muita força para concretizar todas as suas opções e distribuir essa força por quem tem falta dela. Não é bem o meu caso porque também me considero uma pessoa muito activa. Ainda me sinto uma miúda (64 anos), não era para dizer mas já disse. Com uma carreira de 45 anos. Todos os dias sinto que o dia não me chega para fazer o que está nos meus planos. Ainda não estou reformada. Não me apetece passar a esse estatuto. Mas garanto que ler estas suas ideias e opções de vida a esta hora da manhã...ajuda e dá ainda mais força.
Obrigada pela sua força e pela sua escrita que adoro ler.
Beijinhos
Maria M

Anónimo disse...

🌷

Anónimo disse...


Helena
Um curso de coaching de desenvolvimento pessoal era bem pensado, já aprendi muito consigo. Creio que não sou a única, muitos leitores já devem ter sentido o mesmo. A empresa de congelados já não sou fã, mas vinda de si a qualidade devia boa. Não se esqueça do que escreveu à meses aqui, das viagens que gostava de fazer.
Já vi que é mulher para não ficar parada. Assim vai chegar aos 102 como Manuel de Oliveira, quem corre por gosto não se cansa. Digo até rejuvenesce.

"Cem é a minha dose, eu quero chegar aos cem".
"Um corpo que não sonha é como uma casa desabitada - a ruína é o seu destino."
Coimbra de Matos

Carla

g. disse...

Carla
permita-me dizer-lhe que Manoel de Oliveira chegou e ultrapassou os 102 anos. Pois nasceu a 11dez1908 e faleceu a 02abr2015 com 106 anos e 92 dias.

espero sinceramente que a Helena Sacadura Cabral tenha bebido do mesmo elixir da vida, saúde e longevidade.

Helena Sacadura Cabral disse...

G
Ambos gostávamos muito do que fazíamos e convivíamos bem com as críticas...

Anónimo disse...

Para una Mujer Hermosa

Sabías que? Ser mujer es ser
Princesa a los 15,
Bella a los 25,
Pasional a los 35,
Inolvidable a los 45,...
Dama a los 60,
Especial a los 75 y
Hermosa toda la vida!!!!!

Ser mujer es llorar callada los dolores de la vida y sonreír en apenas un segundo...

Es tropezar, caer y volver a caminar...

Ser mujer es ser elegida para traer vida al mundo...

:-)

Anónimo disse...


G.
Obrigada pela informação, fiquei parada nos 102, afinal viveu muito mais.

Preciosas palabras en español, muy bonito me ha encantado.

Helena aceitar as críticas, também é uma aprendizagem, quem não aceita precisa de evoluir, não quer melhorar, estagna.

Carla

Sara Sá disse...

Pense nisso, Drª Helena. Há falta de gente sábia que deixe um testemunho vivo e sentido e dedicado. A sua experiência de mulher, mãe, empresária, economista,etc..., pode ajudar as mulheres mais jovens. Seria bom que também viesse ao Porto. Um abraço. Muita saúde. Continue assim.