terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Para pensar....


Não é preciso saber línguas para perceber a mensagem deste vídeo. Ele é feito para ver e pensar. Oxalá todos sejamos alertados pelo seu conteúdo!

HSC

15 comentários:

Anónimo disse...

Ontem partilhei este vídeo. Dá que pensar e tantos (pais e filhos) se reveem nele. Grande mensagem.
Pedro

diogo disse...

leitura : os profissionais bem sucedidos abandonam os pais velhotes que lhes pagaram os cursos .
mas isto sou eu , mente retorcida , que gosto de olhar pelo outro lado da questão .
uma boa crítica a todos os bem sucedidos individualistas .

Madalena Ferreira disse...

Olá,

Dra.Helena vi o video na TV, mas obrigada pela partilha.

Faltam-me as palavras para descrever a emoção que sinto. Oxalá toque bem fundo no coração de alguns e desperte consciências adormecidas.
É errado pensar que só os pobres,os sem abrigo, estão só.
Tantas pessoas, que tendo tudo materialmente, não têm afectos, e pior, não querem ter.

Um grande abraço,

Anónimo disse...

Sim, para ver e pensar e... com certeza, que todos irão rever logo a seguir...

Anónimo disse...

Life is a Song - sometimes happy,sometimes sad.It's in our hands the happiness.
Thinking...

Ghost

Anónimo disse...

🌹🌹🌹

João Menéres disse...

É preciso saber das fraquezas forças e da tristeza ALEGRIA !


Melhores cumprimentos.

Anónimo disse...

Oxalá...
Um abraço
Inês Galvão

TERESA PERALTA disse...

Um video que deve ser visto por pais e filhos e por todos aqueles que se esquecem de pensar que a disponibilidade também é necessária para efectivarem o amor e os afectos. (Pois, nem sempre aparece um Ser humano com tanta esperteza… Este já tinha virado muitos frangos… ).
Beijinho com milhões de abraços.

Anónimo disse...

Oxalá alguém que me é muito chegado veja este vídeo.

Obrigada pela partilha Dra. Helena, apesar dele me ter deixado ainda mais triste...

Janita

braulia disse...

Obrigada Dr Helena, este post veio hoje mesmo a preposito! Tomei a liberdade de o partilhar no meu fb porque preciso de passar esta mensagem. Desculpe a ausadia. Abraço

Anónimo disse...

Confesso que fiquei um pouco envergonhada!
O discurso habitual de que o meu sogro virou um velho picoinhas chaterrimo e dificil de se aturar tornou-se, quase sem darmos por isso, numa desculpa egoista.
L.L.

Anónimo disse...

Se bem percebo, a mensagem centra-se mais na noite de Natal, destaca o abandono na noite de Natal. Ora, penso eu, a companhia, o interesse, a comunicação com os mais velhos, devia ser uma constante. Um telefonema, uma visita mesmo que fugaz, espalhados ao longo do ano, seriam bem vindos. Mas na verdade só nos apercebemos bem dessa importância quando chegamos lá, à idade e à solidão. É então a nossa vez de lembrarmos que também não fomos tão presentes e constantes como devíamos ter sido. Mas isto é a vida, também. É o ''aprender'' até morrer.
E, como diz um comentário acima, ''fazer da tristeza ALEGRIA'' é também, por muito que custe, uma forma de vida que temos de aprender. Basta olhar para a senhora, tão inspiradora nesse aspecto. Acho que o dramatismo das solidões e abandono no Natal é muito mediático. Lembro as ceias de Natal com pobrezinhos à mesa, tão na moda actualmente. Fico-me por aqui, embora saiba que a ironia não a incomoda, Drª Helena.
Parabéns pelo último livro!
Luísa Santos

Tété disse...

Tocante de tão real. Grande lição para pais e filhos.
E já agora quero dizer-lhe que bisei há dias "Caminhos para Deus", um para mim, outro para uma amiga.
Obrigada querida Helena por tudo o que partilha e nos faz aprender.
Grande abraço

Anónimo disse...

Devo ser das poucas pessoas que não interpreto este vídeo da mesma maneira.
Sinceramente, acho que se os meus filhos me abandonassem no Natal, eu não iria mendigar a presença deles....