segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

E o Montepio Geral, pergunto eu?

Bom, não se fala de outras coisas, que não sejam o Banif e o imbroglio dos resultados das eleições em Espanha.
No caso do país vizinho, parece-me que vai ser muito difícil Rajoy conseguir apoios parlamentares para governar. Ou seja, é possível que daqui a pouco pouco tempo os espanhóis possam ter eleições antecipadas. Mas até lá é preciso governar... e iremos ver de que tempera o novo rei é feito, já que o seu pai, no passado e no campo político da época, não se portou mal. 
Mas a Espanha tem um problema gravíssimo com as autonomias e mais tarde ou mais cedo a bomba vai rebentar e perceber-se que há vários países dentro de um só. Para já aguardemos  atentos, porque o que quer que passe no país vizinho tem consequências em Portugal.
Já quanto aos nossos sucessivos desaires na banca de que falei noutro post, ocorreu-me hoje perguntar se António Costa já se terá lembrado do problema seguinte que vai ter e que se chama Montepio Geral.
Convinha que o actual governo não se distraísse desta matéria porque o caso é mais complexo do que o do Banif e andam todos muito calados sobre o assunto. É que empurrar o caso com a barriga não vai dar resultado. É urgente olhar para o problema agora e sem demora!

HSC

12 comentários:

Fatyly disse...

Espanha está numa salada à medida dos tempos que correm e a ver vamos no que irá dar.

Quanto aos bancos...Dª. Helena... O Montepio Geral será nuns episódios mais à frente desta triste novela em que estamos envolvidos e que ninguém é responsabilizado por nada.

Estou cansada e muito revoltada e se tivesse poderes mágicos bem que outro galo cantaria!

Helena Sacadura Cabral disse...

Pois eu estou convencida que o problema vai estalar mais cedo do que se espera e que era bom prevenir!

Anónimo disse...

pois não dará... como fizeram com o Banif, empurraram com a barriga para não fazer feio. á estão a aparecer os verdadeiros podres que nos foram escondidos...

Anónimo disse...

Será que o Montepio não serviu para o governo PSD/CDSPP esconder o BNIF por mais uns meses? O Montepio não foi intervencionado, minha senhora. Tem uma AM (mãe da CEMG) forte e robusta! A CEMG cumpre os rádios de solvabilidade e capital. Reflita p.f, sem parcialidades, mesmo que sejam afetivas!

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 09:14
As minhas parcialidades, como diz, são diferentes das imparidades bancárias que possam surgir, se é que me entende.
Onde quer chegar eu sei, mas falta a biqueira para o sapato, como se diz na minha terra.
Sou economista e prezo-me de não ser estúpida. Como me prezo de saber analisar o que vejo, independentemente de ter tido dois filhos com visões opostas na política. Eles filiaram-se . Eu nunca me filiei. Essa é a grande vantagem das opiniões que emito. Com as quais pode discordar. Mas não esconda a discordância com piadinhas familiares para as quais não tenho idade, nem paciência. Já devia ter percebido isso!

Virginia disse...


A Espanha permite eleições a curto prazo. Nós teríamos de esperar seis meses.....é a diferença.

Quanto aos bancos, já desisti de perceber. Em boa hora puz o meu todo na CGD. Mesmo sem darem juros quase nenhuns, espero que não fique sem ele.

Um Bom Natal, Helena.

Anónimo disse...

Boa tarde, Dra Helena.
Depreendo ter conhecimento de informação pertinente acerca deste assunto.
Não acha mais proveitoso publicar o que sabe de uma vez por todas, ou seja, como se diz na minha terra, "chamar os bois pelos nomes"?
É que tocar em assuntos desta natureza somente para criar dúvidas e teorias temos nós assistido com muita frequência nos últimos tempos...
Ação é que é pouca... Ou nenhuma !
Cumprimentos
Luís Paulo.

Anónimo disse...

Agradeço a sua resposta: Reafirmo com convicção que a CEMG cumpre os rácios de solvabilidade e capital! Não podemos levantar suspeitas infundadas como a Sra Dra o fez. Como sabe, as imparidades afetam todos os bancos em Portugal e na Europa e ao contrário do que aconteceu noutros países em Portugal apenas existiu recapitalização da 4 bancos e as imparidades foram esquecidas com a não limpeza dos Balanços.
Mais afirmo que o buzz em torno do Montepio serviu apenas para esconder o lixo do Banif. Espero que entenda e acredite, apesar da dificuldade já percepcionada!

Helena Sacadura Cabral disse...

Luis Paulo, a mim cabe-me alertar para fenómenos que considero estranhos. Ao governo e ao regulador cabe explicar se eles o são ou não.
O caso do Montepio anda a ser falado, há muito tempo, nos jornais. Como muito se falara, antes, do BPN. Neste último foi o que se viu.
Tem aqui comentadores que devem saber mais do que eu - nao tenho informação privilegiada - e que garantem que as minhas suspeitas são infundadas e obedecem ao desejo de desinformar.
Eles lá sabem porque o afirmam.

Anónimo disse...

Boa tarde, Dra Helena.
Pois, percebo o que me diz.
Contudo, todos nós sabemos que o nem tudo o que sai na comunicação social sobre pessoas e entidades corresponde à verdade...
Parece-me que abordar tal questão tendo por base supostas notícias (por sinal desmentidas pelo supervisor e CMVM inclusive) não terá demasiada ligeireza ?
A situação do BPN não se deveu a questões de imparidades mas sim de outra natureza.
Até questionava os "comentadores", mas, salvo melhor opinião, entendo não o dever fazer pois não foram eles o originador do "post"...
Cumprimentos
Luís Paulo

Anónimo disse...

Boa tarde Dra. Helena Cabral
Concordo com as suas dúvidas, mas se fossem introspetivas, sem manchar o bom nome de instituições centenárias. Que são diferentes e que fazem a diferença. Ela está com as pessoas, instituições de solidariedade, cultura, desporto, mulheres e homens de negócios, bem com as empresas.
Sabe, de todas as notícias que leu, nem uma se confirmou. Às vezes a comunicação social é madrasta… os interesses são muitos… conhece-os bem…
Mas sobre o Banif, já se pode falar…
O presidente do Lloyds, Horta Osório, defendeu hoje, em entrevista à comunicação social, a realização de uma auditoria externa que mostre aos portugueses o que aconteceu no Banif, chamando-o de "um assunto chocante".
Sim! É chocante o que a direita fez, é chocante esconder-se o mal, é chocante falar-se de coisas que não se conhecem… Sim, é chocante instilar-se que “António Costa já se terá lembrado de um problema seguinte…” alvitrado durante 2015 pela direita no poder, como se depreende agora, com intuito em ofuscar o caos do BANIF. É chocante um primeiro ministro ter falado na CGD. Sabe o que lhe digo do fundo da minha alma? É tudo muito triste, minha senhora!
Laura Domingues

Observador disse...

Não será novidade para ninguém que o Montepio é, de todos, o 'caso' mais político.
Sim, estou consciente de que em todos os outros - BPP, BPN, Novo Banco, Banif - a mãozinha politizada das gentes que interpretaram essas novelas foi uma evidência. Só que na sustentação do Montepio, mais concretamente na sua génese, há dinheiro. E onde há dinheiro...

Votos de um feliz Natal.