sábado, 10 de outubro de 2015

Sergio Sousa Pinto demite-se



Sérgio Sousa Pinto demitiu-se do secretariado nacional do PS em ruptura com a estratégia de António Costa de tentar formar governo com PCP e Bloco de Esquerda. Sérgio Sousa Pinto defende que é a coligação que deve formar governo e prepara-se para falar na reunião da Comissão Política do PS marcada para a próxima terça-feira, onde explicará os motivos que o levaram à demissão.

Na sua página do Facebook, Sérgio Sousa Pinto escreveu esta semana:

"Aparentemente o BE e o PCP estão dispostos a viabilizar um governo do PS, um governo com menos deputados socialistas no Parlamento que a coligação de direita. Mas não estão disponíveis para integrar o governo e partilhar a responsabilidade de governar. O que se seguiria seria fácil de imaginar. Uns a pensar no país, outros a pensar na sua plateia, outros ainda a pensar em eleições e na maioria absoluta. A esta barafunda suicidária, sem programa nem destino certo, chamar-se-ia "governo de esquerda" - coisa que nem os eleitores do bloco desejaram, optando pelo partido do protesto histriónico (e agora fanfarrão). Um penoso caos que entregaria Portugal à direita por muitos anos. Mas talvez permitisse ao BE suplantar o PS. E não é essa a verdadeira agenda, velha de 40 anos, de quem se reclama "da verdadeira esquerda"? Talvez me engane".
                                      
                                                            In Jornal i

HSC

8 comentários:

Anónimo disse...

É curioso dar eco aos contestarios do Costa, no seio do PS. Ainda não lhe vi fazer o contrário.
Quanto à escolha deste particular deputado e dirigente do PS, foi uma escolha dir-se-ia infeliz. Sérgio Sousa Pinto tem muito que se lhe diga e Costa não perde rigorosamente nada em Vê-lo pelas costas.

Virginia disse...



Atitude de louvar de um membro importante do Partido. Talvez outros lhe sigam o exemplo...

Madalena Ferreira disse...

Olá,

Onde estiveram as concelhias, as distritais do PS durante a campanha eleitoral?
Se tivessem feito o papel de esclarecimento, do que queriam e ao que iam, nada disto teria acontecido!
Agora há consequências, mas ninguém as quer assumir!
Isto acontece em todos os partidos, só não vê quem não quer ver!

Um abraço,

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 16:38 aconselho-o vivamente a ir ao oftalmologista!

Anónimo disse...

Não passa de um escroquezito, o PS não precisa dele para nada.

Anónimo disse...

Vejo tudo com muito medo que se comam criancinhas ao pequeno almoço, tudo com muito medo de não poderem ir à missinha, tudo com muito medo do bicho papão. Não se evolui, portanto...!

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 12:20
Olhe que são só "medozinhos", coisa sem importância. Por mim, dava o governo aos partidozinhos e ficava à espera para ver e evoluir.

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Anónimo das 00:50
Donde é que conhece o escroquezito?!
Olhe que as más companhias pegam-se...