quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Previsões leva-as o vento!


O drama das previsões é a frequência com que elas falham... Mas, quando isso se passa no campo financeiro, os resultados podem ampliar-se muito para além do que se espera.
Decorrido um ano o Novo Banco ainda não foi vendido. Ou seja, os 4,9 mil milhões de euros que o Estado disponibilizou através do Fundo de Resolução – indexados ao défice – fazem com que o sonho dos 2,7% como meta, possa atingir mais do dobro.
Goradas as negociações com a Anbang seguem-se as negociações com a Fosum, que já entrou na Fidelidade e no Hospital da Luz.
Duas preocupações me surgem neste momento, se estas negociações não chegarem a bom termo. Uma, julgar que Maria Luís Albuquerque não poderá cumprir o défice. Outra, considerar que, em Portugal, a China se está a expandir demasiado, num período que me parece o menos propício para tal.


HSC

7 comentários:

Silenciosamente ouvindo... disse...

Subscrevo as suas preocupações, mas ainda tenho a seguinte:
quem vende, deve dizer que quer vender rapidamente?
Quem quer comprar(?) sabe que vai haver eleições no dia x,
que o Governo quer lavar a face(!!!) e que quer vender
rapidamente, daí que: vai oferecer o melhor preço?
Obviamente que não, até porque o Novo Banco é um Banco
Problemático, muito problemático. E se comprarem deve
constar lá uma cláusula que proteja o comprador de
responsabilidades várias.
Novo Banco - má experiência - isto de querermos ser
cobaias, não poderia dar bom resultado.
Cumprimentos.
Irene Alves

Madalena Ferreira disse...

Olá,

Dra.Helena não esteja preocupada, porque o ministro da economia diz que está tudo bem!

As previsões, são só isso mesmo ... Previsões!

Um grande abraço,

Anónimo disse...


O povo ficou desacreditado no BES, o Banco Novo foi uma má aposta, mau investimento. Alguem quer depositar o dinheiro num banco mesmo que sendo novo,trouxe arrastado os problemas do Bes. Os bancos sobrevivem com o dinheiro dos clientes, não creio que clientes novos o façam. Não acredito que haja um investidor, que compre um banco sem perspectiva de sucesso. Só espero, que não tenhamos mais surpresas com outros bancos, começo já a ficar com sérias dúvidas qual será o credível.

Carla

Fatyly disse...

Mas quem (des)governa é que manda e o que fazer?

Já agora faço-lhe duas perguntas para as quais não encontro resposta:

1- O NOvo Banco ficou com tudo que era bom do BES. Levou a tal injecção de 4,9 mil milhões de euros. Como justificam a enormidade dos prejuízos?

2- Sabia-se que havia 3 "pretendentes" : Fosun, Apollo e a Anbang. Portanto chineses, americanos e chineses. Num ápice o jogo mudou, chineses, chineses e se estes últimos falharem então irão negociar com os americanos.

Neste cebolada acho que aqui há muita coisa por explicar como a pressa e já diz o velho ditado : a pressa é inimiga da perfeição.

Tudo ou quase tudo já foi vendido, sobretudo aos chineses...e agora com o que se está a passar com "esse gigante" Portugal terá novas facturas.

Desculpe a ignorância, mas gostaria que me explicasse se não for muita maçada.

Helena Sacadura Cabral disse...

Fatyly
1. Espero a publicação das contas do Banco para ver, uma vez que também eu faço essa pergunta a mim própria.
Admito que o activo principal do banco, os clientes, se tenha reduzido bastante. E isso teve consequências.
Depois, o NB pagava taxas remuneratórias muito altas para atrairem clientes. Isso também deve ter agravado a situação.
Mas o "grosso" da explicação deve estar noutra causa que havemos de perceber.
2. Também eu acreditei que os americanos da Apollo eram os segundos. Parece que não, o que levanta justas dúvidas que convem sejam esclarecidas.
Pessoalmente, julgo que se não devia por tudo nas mãos dos chineses da Fosun. Mas isto é só o que eu penso, que sou muito cautelosa e não sou governo...

Fatyly disse...

Obrigado Dª. Helena pelo esclarecimento porque havia muito boa gente que dizia que eu estava a perceber tudo errado. Afinal não sou tão "naba" e aguardarei pelo desenrolar das negociatas.

Um beijo

Anónimo disse...

Apesar das preocupações, abençoada Mãe que criou o político mais brilhante deste país! Muita saúde para ambos!