segunda-feira, 14 de setembro de 2015

As grandes obras


Devido a diversos acidentes e falhas de segurança, o novo Museu dos Coches já conta, em quatro meses, com mais reclamações do que as antigas instalações em 20 anos. Segundo o jornal i, o edifício não cumpre o regime de acessibilidades e, de acordo com relatos de funcionários e utentes, esta questão já provocou vários feridos. Dão-se como exemplos uma norte-americana que ficou presa numa casa de banho e teve de ser puxada por cima da porta, um segurança que tropeçou e abriu o pulso e um cego que bateu com a cabeça num pilar impossível de detectar com recurso à sua bengala. Faltam cadeiras de rodas para visitantes com mobilidade reduzida e o elevador destina-se a 70 pessoas. Como não tem botão de fechar portas, não permite o transporte de pequenos grupos. E também não existem cadeiras ou bancos no espaço de visita. Se alguém se sentir indisposto ou cansado terá de se sentar no… chão.
A ser verdade o que se refere nesta notícia que apanhei num jornal, confesso que não fico surpreendida. Não sou arquitecta, mas não preciso de o ser, para considerar o novo Museu dos Coches um bloco de cimento, que na minha opinião pessoal pouco tem a ver com aquilo para que foi destinado. Mas as deficiências aqui referidas, importantes, a serem verdadeiras, repito, dizem bastante do modo como certas obras - ia dizer faraónicas - são concebidas no nosso país.
HSC

13 comentários:

Anónimo disse...

Obras faraónicas,sim senhora.É tudo muito bonito mas...pecam por falhar.E hoje, Jerónimo de Sousa disse e bem,na TVI,,como a gestão socialista foi ruinosa numa das maiores càmaras do país - a Câmara de Loures.E quem é que lá esteve?! Ah pois é! Se tivessem ganho,teríamos em Loures o maior centro desportivo do mundo - obra digna de um Dubai.Quem sabe o Engenheiro Carlos Teixeira e seu ajudante Costa tenham descoberto algum poço de petróleo em Fanhões ou Frielas.Que a área cheira mal,cheira!E não há fumo sem fogo!
Ainda bem que Bernardinho,exemplarmente tomou o comando.Mas investiguem,investiguem os contractos socialistas,não percam tempo se querem descobrir buracos faraónicos.Quem avisa amigo é.
José Gonçalves

Madalena Ferreira disse...

Olá,

Onde estiveram os arquitectos, os engenheiros e outros, durante a construção do Museu?
Antes de abrir ao público, esta ou outra obra qualquer, não tem que ser vistoriada?
Isto de obras - grandes ou pequenas - tem muito que se lhe diga!

Um abraço,

Silenciosamente ouvindo... disse...

Ainda não o visitei, mas agora já estou aviasada.
E assim se gastam milhares de euros e com a pressa
das inaugurações nem se analisa cuidadosamente
se está tudo "mesmo pronto" para ser aberto
ao público.
Cumprimentos.
Irene Alves

Anónimo disse...


Bom dia Helena
Não gosto da sua arquitectura, uma obra de esta dimensação não poderia ter cometido esses erros.Desconhecia esses acidentes.

Estou a ler A cura de Schopenhauer, muito bom.
Aqui está uma frase em que revejo a Helena na sua filosófia de vida.

Por sabedoria entendo a arte de tornar a vida mais agradável e feliz possível.
Arthur Schopenhauer

Carla

Fatyly disse...

Conheço quem já tenha visitado e queixaram-se do mesmo. Alguns não conseguiram visitar tudo!

Um dos famosos arquitectos o português Ricardo Gordon nos seus 48 anos não pensou no assunto?

Coisas que falham e não só nesta obra mas como em muitas outras.

Anónimo disse...

A perfeição custa muito tostão.
A imperfeição custa muito trambolhão
E assim a mão
Já não lava o chão
Para onde atiram o pão.

G

Anónimo disse...

Ó Dra Helena o bloco de cimento não tem de obedecer ao PDA,só ó - PDQ.
P- podes
D- dar
Q- quedas

E sendo assim,confere.
Se não fosse trágico,até podia virar o Museu dos Coxos.




Sandra Santos disse...

E a legislação de acessibilidades já existe desde 1997... Por exemplo, nos novos centros escolares e outros edifícios do género ainda hoje se constrói sem respeitar a legislação de acessibilidades. O "problema" é que as obras públicas não precisam de pareceres de certas entidades para serem construídos! Mas existem termos de responsabilidade assinados! Pessoas que se responsabilizam que está tudo de acordo com a lei em vigor. Pergunto-me se alguém, alguma vez, foi chamado a assumir essa responsabilidade...

Anónimo disse...

Em tempos, quando visitei o Museu do Prado, depois de horas andando de sala em sala, sentei-me e adormeci, tal era o cansaço. Felizmente havia bancos...

Anónimo disse...

Senhora,e se alguém lhe oferecer música...isso é?
Um doce Outono.

http://youtu.be/230RgLax-_o

Ambrósio

Anónimo disse...

Talvez seja um bom negócio o aluguer de bengalas,cadeiras de rodas,e caixas de curativos á entrada.

Digo eu,né!
Que com fé
Até posso partir o pé,
E nem me salva o rapé
É tão pouco a água pé.
Digo eu,né
ai ué,ai ué!

Zézinho

Anónimo disse...

Enquanto isto acontece,arquitectos portugueses somam prémios atrás de prémios com projectos geniais.

Vasco Vieira digno de mérito e de uma homenagem.

Excelente as casas de vidro,pedra e madeira,conjugadas com os elementos essenciais da natureza água,e luz que lhe dão um toque único.

Trabalho muito bom.

Jo

Anónimo disse...

🌹🌹🌹