quinta-feira, 3 de setembro de 2015

A sofisticada união europeia

Porque será que os senhores da UE foram tão lestos a reunir-se por causa da Grécia - num contínuo nunca visto, aos domingos e aos feriados, entrando pela madrugada - são agora tão lentos no caso das migrações de refugiados, cujas reuniões são marcadas a quinze dias de distância?! Dias nos quais, claro, irão sempre morrendo mais pessoas? Qual é, afinal, o conceito de "urgência" que tem esta velha e hipócrita Europa?!
E ainda há quem chame nomes àqueles que nunca acreditaram no sonho diáfano da união europeia...

HSC

26 comentários:

Anónimo disse...

Tem toda a razão, é inadmissível. É a Europa para nos sugar até ao tutano, o que não tem o que sugar não interessa para nada, nem que sejam crianças. :-(

Anónimo disse...

Quem estará a patrocinar a migração?Como gente tão pobre paga aos traficantes quantias avultadas?Deve haver algum interesse em desestabilizar a Europa,digo eu,que não entendo nada de nada...
Sara

Anónimo disse...

A imagem do corpo de uma criança nos areais foi nos últimos tempos a coisa que me deixou revoltado à náusea...

Esta noite apertei os meus filhos um pouco mais forte.

João Menéres disse...

Mas a Srª Merkel agora portou-se bem...
Já não digo o mesmo da dita UE.
E Portugal vai receber refugiados e disponibilizar habitação condigna.
Não será possível receber muitos, mas é muito importante para quem cá chegar !
O caso de Penela, por exemplo, é merecedor de destaque.

Melhores cumprimentos.

C.N. Gil disse...

Já me chamaram alguns nomes, eu que nunca acreditei que o que não se casou pela cultura podia ser casado pelo dinheiro...

...mas os casamentos por interesse raramente dão bons resultados...

:)

Fatyly disse...

Uma VERGONHA e devem estar de férias! Subscrevo totalmente o que diz!

Silenciosamente ouvindo... disse...

Só me ocorre dizer: INSENSÍVEIS!!!
Parece que quantos mais morrerem melhor!!!
Cumprimentos,drª. Helena.
Irene Alves

Anónimo disse...

http://youtu.be/otUJkN7NeAI

:-)

Anónimo disse...

Meus queridos, a Alemanha vai receber refugiados mas os que lhes interessam... os que têm um curso superior, que falam inglês, que estão em idade de trabalhar, etc.

Realmente acham que a Alemanha vai dar casa e uma pensãozinha choruda a quem nunca fez nada pelo estado germânico... imaginem um casal com mais de 60 anos a chegar a Alemanha, que apenas fala árabe e não têm como se sustentar... areia pros olhos. Assim que a poeira assentar vai-se saber de repatriações com base em sabe-se lá o quê.

Anónimo disse...

Parabéns pela brilhante entrevista do seu filho Paulo agora mesmo na TVI, bem em todos os temas e também muito bem relativamente à tragédia humana das migrações de refugiados.
Inês Galvão

Anónimo disse...

Ontem fiquei com os olhos rasos de água e uma tristeza enorme apoderou-se de mim quando vi a capa do público. Como pode o mundo encerrar tanta tristeza, tanta dor? Aquela é uma imagem insuportável! Nela vi os meus filhos, e todos os filhos do mundo sentem o mesmo medo, sentem da mesma forma a dor e o terror de uma fuga desesperada. Não é uma tragédia de ontem, é uma tragédia que soma já muitos dias e aquela imagem só nos veio encostar à parede e questionar quantos dias mais serão precisos, quantas vidas mais, para entendermos que independentemente de todos os medos, legítimos, que nos assaltam, todos os riscos e temores que sentimos, não podemos virar o rosto e dizer que é efectivamente um infortúnio, mas de outros, ou não seremos homens e mulheres dignos de um destino melhor!
Obrigada Helena por também manifestar a sua indignação com a leviandade e parcimónia com que esta questão tem sido encarada por quem devia liderar uma Europa que devia ser sábia!
Marisa

Anónimo disse...

Ë tudo mto bonito e agora estão todos comovidos e somos todos mto altruístas... mas quem é o primeiro a acolher uma família destas? Quem de quem aqui comenta deu dinheiro para ajudar as crianças? Quem já fez alguma coisa pra mudar isto excepto publicar uma foto que é de facto perturbante mas que também é o perfeito exemplo do uso desmesurado por parte dos media em puxar a lágrima fácil.

rosaamarela disse...

É a classe média daquelas regiões. .. "os pobres" nem se mexem de onde estão .
Pode que Tb tenha razão.
A UE é só uma ilusão tal como o pai Natal sabemos que existe mas não está lá .

Virginia disse...

É mesquinho criticar a Alemanha nestes modos, sem saber nada sobre o que tem sido a integração de turcos, portugueses e mesmo outros árabes na Alemanha. A caridadezinha portuguesa, pequenina à nossa medida ignora o que a Alemanha fez para integrar os milhões de leste que saltaram os muros....


Por que não unir esforços e imitar os que se predispôem a ajudar em vez de à boa maneira portuguesa destruirmos e falarmos sem tom, nem som?

Sei de famílias que tem emigrado com qualquer idade para os países do norte e consefuem viver bem melhor do que no sul...

Anónimo disse...


Bom dia Helena
Infelizmente conta mais a dívida que vence de milhões, que os refugiados que morrem diariamente afogados.
São desoladoras as imagens que nos entram pela casa, quem sabe se a imagem do menino à beira da água, toque os corações de quem pode fazer algo. Para que serve o G7 e UE?
Sem palavras.
Boa entrevista na TVI gostei.

Carla

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Anónimo das 07:28
Acaso se o anónimo tivesse feito alguma coisa ia propagandeá-lo aqui?!
Julga que não há quem dê, mesmo tendo pouco?
Se fosse a si metia as mãos na consciência e tentava perceber porque é tão descrente na raça humana.
Pois eu acredito que haja muita gente em Portugal disposta a ajudar, com o pouco que tem.
A minha família acolheu quatro crianças austríacas vítimas da Segunda guerra Mundial, com quem continuamos a manter rlações de amizade e a ver sempre que podemos. E já cá estiveram as gerações seguintes, nascidas na paz.
Além disso não sabe o que, por exemplo eu, estarei hoje disposta a fazer, depois de ter tido aquela experiência. Fale por si e não pelos outros porque pode correr o risco de vir a ofender os que estejam dispostos a fazer o bem sem olhar a quem.

Anónimo disse...

Helena, para ser sincero... nao acha que há uma diferença entre uma família muçulmana de uma austríaca (que se supoe crista)? E uma diferença entre acolher crianças e uma família composta por adultos.

Eu sei que nestes momentos nao se olha a quem, mas há uma diferença muito grande de tradiçoes e cultura, isto poderá vir a trazer grandes problemas.

Anónimo disse...

Pergunto-me porque nao descem até à Arábia Saudita, Qatar, Emiratos e outros países que gozam do boom do petróleo e gastam balúrdios em obras faraónicas... decerto terão mais do que nós aqui na Europa, e além disso, as tradições são em tudo semelhantes.

O que acontece é que venderam a ideia que todos podem vir pra Europa e que aqui terão a vida facilitada... é bonito todo o parlapie de "temos que nos por no seu lugar"... e se fosse connosco? e se Portugal ou a Europa estivessem em guerra, será que os países árabes nos acolheriam? Teriamos que olhar pro outro lado do Atlântico por ajuda.

Dalma disse...

Tenho que estar de acordo com o/a anónimo/a das 13.07!
Também os meus pais acolheram um austríaco tendo já 4 filhos, mas não é a mesma coisa dado que as culturas dos refugiados de hoje são muito diferentes, logo problemas latentes! Repito, problemas latentes!

George Sand disse...

Anónimo das 13.07, são sempre os anónimos que vão pondo o dedo na ferida. As pessoas já têm medo de falar. Não é o único espaço onde isso se passa, infelizmente. A resposta já foi dada hoje, parcialmente, pelo ISIS: Se a Europa enviar tropas para a Líbia, enviam 500.000 migrantes.
Os migrantes são apenas a "carne para canhão".
Faltam algumas questões além dessas.
A primeira e mais importante: quem financia isto e quem lucra com isto?
Quem são os rostos que estão por detrás dos exércitos do Isis?
Qual é o verdadeiro NEGÓCIO?
Se conseguirmos que as pessoas façam as perguntas...talvez se consiga obter as respostas. Porque há sempre respostas! E elas vão aparecer!!!
Cumps
G.S

Anónimo disse...

http://youtu.be/KPVKGs1cZjU

:-(

Anónimo disse...

Pois!

http://desblogueadordeconversa.blogspot.co.uk/2015/09/6-perguntas-que-nos-deviamos-estar.html?spref=fb

JoséGonçalves

Anónimo disse...

Os árabes são em geral hipocritas... e antes que venham com coisas, eu já vi num país árabe e sei do que falo (Emiratos Árabes Unidos, para ser mais exacto, para o qual fui enviado em trabalho e no qual contava os dias para sair pq nunca tinha vivido numa sociedade tão marcada pelo dinheiro e luxo, muito de "fachada" e onde nunca tinha visto tanta podridão escondida)... mas adiante.

Nunca as "profecias" de Oriana Fallacci foram tão certeiras como agora. Há cerca de 15 anos ela escreveu que isto um dia ia acontecer... infelizmente, ela acertou e se continuar a acertar daqui a uns tempos teremos uma luta interna entre estilos de vida opostos dentro da Europa.

Quem está a destabilizar a Europa a este ponto? Agora esqueceram-se da Grécia? Como é possível que um conflito como o da Síria que decorre há 4 anos só agora tenha gerado uma onda tão grande de refugiados?

Marisa disse...

7 mil milhões de pessoas, existem certamente muitas diferenças, mas não se atrevam a afirmar que a dor daquele pai quando agarrou os filhos mortos é menor que a de qualquer pai português, que o desespero destas vitimas quando enfrentam a morte vale menos que o nosso! Há momentos na vida em que temos que ser melhores, temos que ser humildes e perceber que somos mais iguais do que o que gostamos de acreditar. Trata-se de auxiliar outro ser humano. Os portugueses são um povo valente e com espirito humanitário, e que quando a necessidade se impoe tem sabido dar resposta. Já o demonstrámos muitas vezes e estou certa que o faremos novamente.
Quanto à Alemanha, está a agir como deve para fazer face a esta tragédia humanitária, que é responsabilidade de muitos, mas para a qual cada um de nós deve fazer o melhor que pode para ajudar os outros.
Marisa

Observador disse...

Não estaremos diante de um problema político e religioso?
A União Europeia tem dois pesos e duas medidas, no mínimo.
E não é verdade que neste caso nenhum dos países da UE pode dar ordens?

Anónimo disse...

Pq é q as nações do Golfo não aceitam emigrantes Sírios?

http://edition.cnn.com/2015/09/06/europe/europe-migrant-crisis/index.html


HIPOCRISIA!