segunda-feira, 20 de abril de 2015

É urgente tomar medidas



O naufrágio da madrugada de domingo, a 70 milhas da costa líbia, constitui uma tragédia de proporções aterradoras. Quer sejam 700 ou 950 os ocupantes da embarcação naufragada, como diz a imprensa e garantem os 28 sobreviventes, o horror permanece.

A resolução deste problema exige medidas em duas frentes distintas. Umas no destino e outras na origem. No destino urge que a Europa unida tome medidas, porque a Itália não pode arcar sozinha com um problema que respeita a todos nós. Na origem criando condições para que estes seres humanos não procurem uma morte certa. E aqui é mais difícil intervir porque há questões de soberania e de diplomacia que são difíceis de ultrapassar. O que é impossível é continuar a fingir que não vemos este drama.

HSC

14 comentários:

Anónimo disse...

Um horror.
Desejo que as suas palavras façam eco além fronteiras e surjam soluções para que isto termine.
RIP
Maria

Agulheta disse...

Boa tarde Drª Helena.Ando doente de tamanha desgraça que se abateu sobre este povo,já chegou o Holocausto,este vai acabar com muito jovem, e crianças que fogem a guerra fria e sanguinária.Haja vontade para acabar com esta tragédia!
Abraço

Fatyly disse...

A meu ver a Europa continuará a sua ineficácia porque as medidas drásticas deveriam ser feitas junto dos países destes pobres desgraçados feito escravos. O mesmo pergunto à ONU e a outros.

Infelizmente tudo ou quase tudo gira em torno da "economia, mercados sem rosto e capitalismo" em detrimento "dos seres humanos" onde tudo falha.

Acabei agora de ouvir que há mais 300 a serem procurados/ajudados.

Nada posso fazer, jamais finjo que não vejo porque passei "terrores" na péssima descolonização que a história ainda tem muito por contar e sei dar o valor, porque o MEDO E A FOME não tem sexo, raça, religião e idade!!!

Faço minhas as palavras do Papa Francisco: É UMA VERGONHA!!!!!

Carpe diem to me disse...

É urgente que se faça alguma coisa. Trata-se da vida de seres humanos como nós. Seres humanos que merecem ter todas as condições para a sua própria felicidade. Não consigo ficar indiferente a tanto sofrimento e penso que as autoridades europeias também não deveriam ficar indiferentes. Há que agir para um mundo melhor.

Helena Sacadura Cabral disse...

Caros comentadores
O problema é que este problema tem que ser resolvido em duas frentes. De um lado o país de origem. Do outro a Europa...

CF disse...

É um assunto devastador, este, que parece ficar esquecido há tempo demais. Não consigo conceber que nada se faça, nem de um lado nem do outro, e que se percam assim vidas humanas. Um horror... :(

Correia da Silva disse...

Nem mais !
Subscrevo, cara HSC.

Anónimo disse...

Muito triste :-(

:-)

Anónimo disse...


Estas notícias, deixam-me bastante triste.
Só, desejo que esta tragédia, faça a quem de direito,tomar medidas de modo a não se repetirem.
Trágico/arrepiante.

Carla

Anónimo disse...

🌷

Anónimo disse...

É um cenário DANTESCO.

Ghost

George Sand disse...

Este drama tem vários nomes. Um deles, chama-se tráfico de seres humanos. Outros, chama-se terrorismo. Outro, chama-se o uso de pessoas, realmente desesperadas como "carne para canhão".
A Europa assobia para o lado? será? Ou haverá também na Europa sobejos interesses para que isto se esteja a passar?
A coberto do drama humanitário, que obviamente existe, estão uma série de questões.
Esses países de origem de muitas destas pessoas que fogem da guerra, não estão destruídos por acaso, nem os exércitos radicais que os destroem estão extremamente bem armadas, por acaso...
Não acredite em acasos.
As coisas acontecem, porque há interesses muito bem escudados (até agora, que a impunidade pode não durar para sempre) para que isso aconteça desta forma.
A "Europa Unida" é uma definição que começa a ser cada vez mais complicada e mais difícil de ser sustentada. No caso de estar a pensar na união dos países europeus, entre si. No caso de serem outras uniões, que também as há, espero que terminem em divórcios e que sejam penosos, para os responsáveis.
As catástrofes humanitárias, são isso mesmo: catástrofes causadas por homens. A não ser as que são por causas naturais e não é o caso.
Há uma coisa que começa a ficar bem à vista: esta Europa que não sabe antecipar e lidar com nada...vai nua. Já ninguém a quer!
É evidente que cada vez que se põe em casa a "santa Europa", vem logo o discurso, também uma técnica que não é nova (felizmente já está tudo muito visto) de...melhor assim do que nada. Nada é o vazio, o medo, o terror, o desmoronamento...sempre o mesmo: O MEDO e as pessoas que controlam o MEDO. Quem sabe, possam ser alguns dos responsáveis. ( a ter em conta a História e o uso do MEDO, noutras ocasiões).

Helena Sacadura Cabral disse...

G. Sand
Creia que não acredito em acasos e a Europa e a América têm enormes responsabilidades no que se está a passar.
Mas alguem tem que estancar este sangue que por enquanto só cai à porta dos que lhe estão no caminho. Mas estes sozinhos já não poderão fazer muito mais e o PM italiano bem o diz.
É preciso actuar nos países de origem com programas de desenvolvimento que evitem esta sangria. Pagos, claro, por quem se não devia desresponsabilizar...

Anónimo disse...

Trata-se de um genocídio levado a cabo por máfias criminosas que ganham milhões com estes transportes de terror e tragédia.

Temos de olhar o mundo com olhos novos, só assim poderemos começar a vislumbrar soluções para problemas tão graves.

Não esqueçamos que recentemente a Cáritas demonstrou que Portugal foi o país em que mais aumentou o risco de pobreza e de exclusão, à frente da Grécia, Irlanda, Roménia, etc.

Existem cerca de 2 milhões de portugueses pobres, entre eles estão as crianças e os jovens menores de 18 anos.

A pobreza não aumentou só entre os desempregados, mas entre os portugueses com emprego e os reformados.