terça-feira, 10 de março de 2015

A "informação" que temos

“Basta ligar a televisão para se perceber o estado de indigência intelectual e política a que chegou o país. A informação, que já foi sofrivelmente sensata, embora parcial e sumária, tem hoje o critério editorial do antigo semanário “O Crime” e da imprensa cor-de-rosa e desportiva.”
                       
Vasco Pulido Valente, no Público

De facto VPV está cheio de razão. Olhar os noticiários nacionais é meio caminho andado para um estado de imbecilização preocupante.
A liberdade de imprensa tem este lado informativo pernicioso que vai do crime – quanto mais tenebroso melhor - ao relato minucioso dos acidentes e das catástrofes, não só no país como pelo mundo.
Dizem que é isto que vende e dá audiências, juntamente com o futebol e os “casos” da política nacional.
Mas não dará também uma imagem terrível da sociedade em que vivemos e da menoridade não só de quem comanda estes órgãos de comunicação social, como de quem está encarregado de os tutelar?

HSC

8 comentários:

Miss Smile disse...

A imagem que dão da sociedade é realmente terrível. Mas é uma construção do real, feita para conquistar audiências. Eu evito esse tipo de informação. Leio jornais onde, ainda assim, penso eu, me posso defender melhor dessa imposta visão do mundo. E o país e as pessoas são no geral bem melhores do que pintam na televisão. Pelo menos é essa a minha experiência.

Fatyly disse...

Subscrevo inteiramente e claro que sim a "menoridade de quem manda e ganha balúrdios" é gritante e verdadeira, impingindo ao povo e a quem infelizmente só tem a televisão para se distrair...autêntica "palha para burros". Felizmente que muitos começam a voltar-se para o velhinho rádio de pilhas...e fico-me por aqui!

Um bom dia

Anónimo disse...

Concordo e acho bem triste os casos, por ex., sobretudo de pessoas de idade,que vivem com medos fundamentados em artigos sensacionalistas.
Apesar de tudo o que de lixo mediatico existe nos tabloides, com a internet, felizmente, temos acesso imediato a sites diversos.
L.L.

Anónimo disse...

Sem dúvida!
Mas um dia o amor há-de vençer...

🌷

Coisas que me tocam disse...

Estou numa fase da minha vida que me escuso a ver televisão. Incomoda-me imenso esta forma tão "podre" de ganhar audiências.

Bom dia

Helena Sacadura Cabral disse...

LL
Você ou eu ou uns poucos podemos ter acesso a uma informação mais limpa.
Mas os outros que não têm acesso a tecnologias e para quem a televisão é o único meio de se informarem e de se distrairem?!

Anónimo disse...


Helena,
existem bons jornalistas, creo que alguns devem pensar o mesmo da comunicação, mas seguem directrizes superiores.
Quem não as segue, tem o lugar a prémio.
Veja, o que aconteceu com o Nuno Santos...
Gosto, de estar informada, mas as noticias deprimem, logo prefiro viver na ignorância!
Partilho um documentário com Coimbra de Matos, participa também Luís Sobrinho. Gostei!!

https://www.youtube.com/watch?v=_VwGJY06LhI

Carla




João Menéres disse...

Tenho muita pena desses, HSC.



Melhores cumprimentos.