terça-feira, 25 de novembro de 2014

O 25 de Novembro


Quem se lembra, hoje, do 25 de Novembro? Poucos, muito poucos. No entanto, passaram 39 anos sobre o golpe militar que naquela data, pôs fim à influência da esquerda mais radical iniciada em Portugal com o 25 de Abril de 1974. Golpe que terá permitido ao pais o estabelecimento da democracia de que actualmente gozamos. E que substituiu o PREC – Processo Revolucionário em Curso – pelo Processo Constitucional em Curso, no qual o General Ramalho Eanes teve um importante papel.

HSC

18 comentários:

Virginia disse...


Não sei se não precisaríamos de outro 25 de Novembro para restabelecer a democracia que hoje não conhecemos, mas desejamos.

Fatyly disse...

Ainda estava pela minha terra e anos depois já em Portugal é que li sobre este assunto.

Teresa Duarte disse...

Cara Dra.Helena

O meu comentário nada tem a ver com o que escreveu sobre o 25 de Novembro que assino por baixo.
É só para lhe dizer que hoje cruzei-me com a Dra.Helena numa superfície comercial, e como não tive coragem de a interpelar como tinha acabado de fazer uma senhora, venho dizer-lhe o que gostaria de lhe ter dito pessoalmente. Existem duas pessoas neste país que me prendem com tudo o que esccrevem e que dizem a Dra.Helena Sacadura Cabral e o Dr. Sobrinho Simões.
Bem haja pelo que partilha com os outros, bem haja por existir.
É ainda mais bonita pessoalmente do que no écran do televisor.
Felicidades.
Teresa

Alcipe disse...

Ramalho Eanes, como Melo Antunes, Vasco Lourenço, Vítor Alves, Costa Brás… A memória constrói-se dos esquecimentos.

a) Alcipe

Anónimo disse...

Por falar em Ramalho Eanes: Um dos poucos políticos portugueses em quem se pode confiar. E contam-se pelos dedos de uma mão!...

Helena Sacadura Cabral disse...

É verdade Alcipe.
Apenas referi Ramalho Eanes porque foi Presidente e é pessoa por quem tenho uma imensa admiração.
Melo Antunes foi das pessoas mais brilhantes que conheci e, se me lê, sabe que já aqui o disse por mais de uma vez.
Ainda bem que só referiu esses nomes - bem esquecidos, por sinal - porque em relação a outros poderiamos ter alguma divergência e eu gosto muito de si.
Como ontem dizia a minha querida Leonor Xavier que é amiga da Maria Cavaco Silva, com ela não fala de política...
Eu posso falar consigo e até acredito que pensasse que eu era muito diferente daquilo que realmente sou.
Um beijo pelo dia de hoje que, afinal, relembrei de outro modo. :-))

Helena Sacadura Cabral disse...

Teresa
Bem haja pela comparação que fez com o Dr Sobrinho Simões uma das pessoas que mais admiro em Portugal. Deu-me, creia, um belo presente!

Anónimo disse...

Naqueles tempos "eles" usavam patilhas bem definidas! ehehehehe

Anónimo disse...

A Stora Helena nunca postou nada sobre os COMBATENTES DO ULTRAMAR.

Correia da Silva(o tal do 4913) disse...

Caríssima Dra.Sacadura Cabral:
Quem escreve com una Montblanc e está sintonizada no Mezzo, merece a maior condecoração neste "país" mergulhado em música/cultura pimba. Bem haja.

Anónimo disse...

Helena,
passa no programa da manhã da Antena 1 com o António Macedo uma rubrica chamada «Sons de abril» com a Helena Matos e a Iolanda Ferreira sobre esses anos conturbados, com passagens do arquivo sonoro. É por volta das 7h45m, tenho aprendido bastante, pois eu nasci em 71.
Outro programa imperdível é « A vida dos sons» de Ana Aranha e Iolanda Ferreira também na Antena 1, sábados, às 9h e picos.
Não sei se já ouviu, aborda um ano em cada programa, divulgando os acontecimentos nacionais e internacionais baseado no vastíssimo arquivo sonoro da rádio. Aconselho vivamente a todos.
Beijinhos
Fernanda

Correia da Silva(o tal do 4913) disse...

Ramalho Eanes, sim!
HOMEM de verticalíssimo carácter!!!!!!!!!

antónio m p disse...

Foram Otelo e Salgueiro Maia, com outros, que resgataram o povo português da ditadura; esses de que fala e a que poderia juntar Carlucci e toda a extrema direita portuguesa, deram-lhe a forma da «democracia de que actualmente gozamos»...

Correia da Silva disse...

Corroboro e subscrevo na íntegra, a opinião deste anónimo.

Correia da Silva disse...

Sra.Dra. Helena:
Hoje venho (pela última vez)confessar que cometi um GRAVÍSSIMO ERRO, merecedor de um castigo à "moda antiga", ou seja, estender as mãos à palmatória de cinco olhinhos,pela segunda vez em toda a minha vida. A primeira foi nos anos 50, e curiosamente o nome da professora era Helena.
-Abominando eu os anónimos, postei um comentário(26 NOVEMBRO 16:12, e não me identifiquei.IMPERDOÁVEL!!!!
Apresento sinceríssimas desculpas, (bem sei que não fico isento das réguadas), e prometo jamais a incomodar.
Continuarei a seguir atentamente este seu interessante blog(com clássica/jazz no MEZZO).A minha MONTBLANC extraviou-se hà uma boa dezena de anos, e ainda não fiz o luto daquela beldade!
Patrióticos cumprimentos.

Helena Sacadura Cabral disse...

Antonio MP
Respeito a sua posição. Mas não gostaria de neste blogue misturar Ramalho Eanes com Otelo Saraiva de Carvalho.
A direita, extrema ou centrada, por sua única culpa, tem as costas largas. Ao contrário, a esquerda, por sua culpa e culpa da direita tem as costas estreitas.
É muito fácil atribuir culpas à direita. Mas eu tive um familiar proximo que viveu 7 anos na Roménia e 8 na antiga Russia. E tive um filho que pertenceu 18 anos ao PCP. Julgo conhecer alguma coisa da esquerda, Não há como viver num país destes, para se compreender a noção das liberdades e garantias individuais.

antónio m p disse...

Estimada Helena S. Cabral

Ao contrário do que possa ter interpretado, eu apoiaria mais facilmente Eanes do que Otelo para presidente da República, mas outra coisa é o papel histórico de ambos no processo histórico iniciado em 74.

Eu também não confundo as duas personagens citadas, mas é pela razão de não confundir a rutura com a ditadura e a rutura com o processo revolucionário.

Quanto ao PCP há-de concordar que por boas razões o seu filho esteve todos esses anos no partido, tendo em conta que ambos temos em boa conta a inteligência e boa-fé do Miguel.

Obrigado pela atenção.

Anónimo disse...

Também eu.
INCONDICIONALMENTE