terça-feira, 25 de novembro de 2014

José Sócrates

Não comentei, até hoje, a detenção do antigo Primeiro Ministro. Nem me pronunciarei, neste momento, sobre a medida de coacção que lhe foi aplicada. Porque, até agora, ignoro se os fundamentos dessa medida respeitam ao cidadão ou especificamente ao período em que esse cidadão ocupou cargos públicos. No caso vertente, só estes me interessam. 

HSC

22 comentários:

maria isabel disse...

Não me dá alegria nenhuma assistir a um espectáculo assim.
Fico triste por ser no meu país

Anónimo disse...


O nosso país, está na boca do mundo, não pelo lado positivo...
Não, tenho conhecimento algum sobre penalidades, mas segundo o ex.bastionário Marinho Pinho a detenção não foi a mais correcta. Na rua, do aeroporto já existiam câmaras escondidas à espera de Sócrates.
É para perguntar, quem informou os meio de informação?
Parece que estamos no Brasil, onde todo o espectáculo policial, é feito como de uma novela se trata-se...
Pensei que só tinhamos feito o acordo ortográfico, a meu ver sem fundamento!!

http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=4257524

O ex-bastonário da Ordem dos Advogados Marinho e Pinto defende: "Isto foi uma violação clara dos direitos fundamentais, uma machadada violenta e um exagero da forma como foi feita." Os especialistas em direito penal consideram que aqui têm de ser analisados os pressupostos que estão por trás das detenções, independentemente de quem sejam os alvos em questão. E independentemente de terem sido feitas em locais menos ou mais discretos.

Carla

Paulo Abreu e Lima disse...

Helena, um dos indícios é corrupção. Esta só existe no exercício de cargos de Poder.

Virginia disse...


Espero que seja feita justiça, que há muito tem sido adiada por compadrio com a figura em questão. Saúdo os magistrados que agiram com coragem. Pergunto-me como é que vozes vêm protestar quanto ao mediatismo inerente.
Sócrates sempre se serviu dos media sem discrição para exaltar a sua obra.
Os media não podem ignorá-lo nesta hora.

Helena Sacadura Cabral disse...

Paulo
Não sou jurista. Mas se alguém tentar corromper um médico e ele aceite ser corrompido, não é juridicamente "corrupção"?!
De qualquer modo, todo este processo decorreu em moldes que, a meu ver, carecem de cabal esclarecimento por quem de direito e não certamente por jornalistas. Vai ser necessário aguardar para se poder fazer um julgamento pessoal credível. E aí, sim, emitir uma opinião.

bea disse...

Bom. Nunca fui sequer uma simpatizante de José Sócrates. O meu Sócrates fugiu da política e provavelmente foi morto por ela, mas até ao fim lhe obedeceu. Nada escrevendo, deixou bastante à humanidade em geral. E chamo-lhe meu por sempre aprender nos livros que a sua figura inspirou a um discípulo dilecto, lugar onde o meu pensamento cruza o dele.

Mas há nos portugueses uma sede de sangue e arena que impressiona. No 25 de Abril deixámos sair em paz ministros e presidentes cessantes. Algo de muito importante se perdeu entretanto. Toda a gente é pessoa, seja quem seja, e decorre daí que há uma dignidade a respeitar, em quaisquer circunstâncias. Facto que não infringe os princípios da justiça e da investigação necessários, que não obstrui a verdade nem nega a punição a quem a mereça.

Aguardemos. Nenhum juízo de nariz virado à poça de sangue merece crédito.

Paulo Abreu e Lima disse...

É corrupção no exercício do "cargo" de médico. Não consta que Sócrates tenha exercido outro cargo para além de político. Mas, tem razão, aguardemos, muitos e bons anos, que isto em questões de Justiça não está, como nunca esteve, para celeridades.

Teresa disse...

Assino por baixo o que escreveu!!

RH disse...

Coacção, Helena :) Bem sei que o AO é um contaminante corrosivo que anda por aí...

Anónimo disse...

Bom, é provável que agora as detenções não parem. É que, falta tanta gente...

Observador disse...

Perante a situação só há uma coisa a fazer, por enquanto: silêncio.
Tudo o que se diga é pura especulação.
Há muito ruído em redor do caso por se tratar de José Sócrates. Como aqui está patente, em alguns comentários.
Nada digo enquanto não estiver de posse de todos os elementos do processo.

Cumprimentos, estimada Helena.

Anónimo disse...

Socrates ou Sócrates?
Vou ter saudades deste amor.

Gralhas


Anónimo disse...

Tanto ódio Virginia, porquê? Porque não vai de vez para o Reino Unido lá é otimo.

Anónimo disse...

Vou ter saudades deste amor - de revisor,note-se!

Gralhas

Anónimo disse...

A dona Virgínia parece saber tudo. Não minha senhora, o que pensa é fruto da sua estranha forma de estar na vida.

Fatyly disse...

Mal se liga a televisão lá vem novamente o assunto à baila e que me interessa a mim e a muitos com certeza que é o preso nº tal, que isto e mais aquilo? Eu quero é saber quem é quem, o que fizeram e sobretudo se forem culpados que devolvam o dinheiro para ver se não me cortam mais a reforma e se deixamos de ser taxados por tudo e por nada.

Mas aguardarei sentada para não me cansar e televisão zero a nível de notícias, apenas leio online o essencial.

Um abraço

TERESA PERALTA disse...

Á semelhança de um Novo Banco, emerge uma Nova Justiça, ponto fulcral para atingirmos uma Nova Dignidade, política e nacional.

Anónimo disse...

Obrigado pelo post que me dedicou.Estou muito orgulhoso.
Sempre atento.

Gralhas

Anónimo disse...

Virginia, estou completamente de acordo consigo e nem ligue a esse anónimo que lhe escreveu com tanto ódio.
Numa das milhares de entrevistas que Sócrates deu, disse que tinha pedido um empréstimo bancário para poder viver visto estar desempregado!!! Como é que se pagam empréstimos no desemprego??? Como se dão empréstimos a desempregados???
Isto ele disse na televisão não é inventado.
Inês Galvão

Anónimo disse...

Uma nova justiça? é capaz, sim senhora. Mas só para alguns, não é verdade? Para mim a justiça não tem de ser nova nem velha, tem de ser apenas 'justiça', e igual para todos. O que não está a ser, o que é demasiado grave.

Anónimo disse...

UI ! UI ! Falta, e não são poucos!

zia disse...

o nosso pais esta um lugar muito estranho...
todos estes "escândalos" não são simples e têm consequências graves sejam elas as que forem. Que Deus nos continue a dar um bocadinho de fé Nele e no homem.
Um forte abraco, zia