terça-feira, 16 de setembro de 2014

Teresa Guilherme


Pode ou não, gostar-se de Teresa Guilherme. Eu gosto - foi ela que acreditou e me convenceu de que eu seria capaz de fazer televisão - e julgo que ninguém poderá negar que é uma mulher de fibra, que sempre viveu a sua vida da forma que quis e a que considerou ter direito. Este vídeo mostra-o uma vez mais!

HSC

32 comentários:

bea disse...

Teresa Guilherme é uma mulher de desafios, e, nesse aspecto - e até noutros, que a conheço muito pouco e não aprecio os seus programas -, uma mulher admirável. Por acaso prefiro admirar outras qualidades, noutras pessoas; menos espectaculares, talvez.

Anónimo disse...




Helena,
gostei de a ver, está elegante faz inveja a muitas jovens.
Só penso, que os programas que apresenta não estão ao nivel da profissional que é, programas ocos!!

Carla

Anónimo disse...

Teresa esteve muito bem num programa em que o espectáculo é o que lhe dá vida.
Dançou dentro dos moldes e fê-lo á sua medida.Desafio superado.
Que continue a deliciar aqueles que certamente cativa.
Felizmente que há quem olhe com olhos de ver para falar bem.
MT

Anónimo disse...

Simplesmente hilariante,e é disto que o povo gosta. :-)))
Bravoooooooo Teresinha!
"Tudo vale a pena quando a alma não é pequena."
José M

Virginia disse...


Acho que a TG é única. Pode-se concordar ou não com o seu modo de apresentar alguns programas menos ortodoxos - como os reality shows - mas ela já provou que é capaz de outro tipo de actuações. O que gosto nela é a improvisação, a sensibilidade e uma certa garra que lhe permite ousar onde outros se tornam ridiculos. Já a admirei, já a destestei, mas nunca me foi indiferente. E isso já é dizer bastante duma mlulher que se fez a pulso e ainda está aí para durar...

Isabel Mouzinho disse...

Concordo consigo, Helena!
Eu também gosto imenso da Teresa Guilherme. Conheci-a nas noites do "Happening", numa altura em que ela ainda não era a figura pública em que entretanto se tornou. Era, já nessa altura, extremamente simpática.
O que eu gosto nela é da capacidade de se rir de si mesma e de dizer tudo o que lhe passa pela cabeça sem se importar com o "politicamente correcto" e do seu enorme profissionalismo. Goste-se ou não, ela faz bem tudo o que faz. E confesso que apesar de não gostar da "Casa dos Segredos" e afins, vejo muitas vezes as galas, porque me farto de rir com ela. É que sou fã mesmo.

Beijinho, Helena!

Observador disse...

O estilo televisivo de Teresa Guilherme não me satisfaz.
O que não evita que lhe reconheça algum mérito.

Fatyly disse...

Subscrevo na integra o comentário de "bea"!

Anónimo disse...

Tem muito valor, sim senhor. É uma pena que se preste a determinados programas e refiro-me especialmente ao último que faz aos sábados à tarde. Não percebo o que faz ali aquela apresentadora, mas pronto!
Quanto a viver a vida como sempre quis, bem, é como todos nós, umas vezes é isso mesmo e outras vezes não é. Para a Teresa não é diferente, acredite.
E vamos tê-la já no domingo a apresentar mais um Big brother ou casa de segredos ou o que seja...

Anónimo disse...

Kizomba pede saia justa e mini,mesmo mini - perfeito.
Teresa ousou e fez certamente com que muitas mulheres ganhassem ânimo para ficarem a pensar em arriscar.
Foi sensual e kizombou - Á valente!
Olhe p'ras invejosas a falarem mal do tamanho do seu vestido e do seu bellíssimo cabelo!
São as pig's do burgo...ups,falei!
Mas,como a TG muito bem diz: " Isso agora não interessa (mesmo)nada!"
Continue a brilhar e que brilhe também quem divulga.

Um jeito Maravilhado

Anónimo disse...

Comentadora Carla
O importante não é despertar inveja a ninguém.
O importante é fazermos o que nos faz feliz independentemente do que os outros possam pensar.
E o que uns acham oco,outros encontram um sentido de vida. Tudo é relativo.Temos de ter a humildade de entender que há quem goste do que nós não gostamos.
Continue o seu caminho de busca que com tempo vai encontrar a serenidade.
E se entender que vale a pena tente encontrar o livro - Crónicas do Céu.É um bestseller internacional de Sol Blanco-Soler.
Para quem viu partir alguém que ama é um bálsamo.

"Tudo o que aprendemos nesta vida é a luz que levamos para o outro lado."

Tenham uma excelente noite,em especial,claro,a nossa estimada Dra Helena.

Fátima

Anónimo disse...

Com quase 60 anos a Guilherme deveria ter era juizo! Vestida daquela maneira, vestido justo e mini, deu uma imagem de si lamentável. Patética. Há pessoas que não sabem o que significa ter classe.
José Alves

Anónimo disse...

São sempre os mesmos, rodam à volta de si próprios!
Comparemos estas lamentáveis cenas com 'So you think you can dance'
O que é importante é criar condições para que a dança se desenvolva realmente em Portugal e não deitar poeira nos olhos com as aventuras e desventuras destes famosos de trazer por casa, famosos porque sim.
Teresa Guilherme uma profissional sem ética, apresenta programas tóxicos que estimulam a mentira, o embuste, a crueldade mental, o sensacionalismo.
Prefiro de longe a Júlia Pinheiro, tem outro fôlego, outra graça, outra bagagem.
Os jogos de palavras rebuscados, de TG, são deploráveis.Tem péssima dicção, entaramelada e narsísica, dançar kizomba ainda foi o que de melhor(zinho) vi TG fazer, e foi assim assim, não foi mau mas não foi bom, o que é que acrescenta ver TG dançar?
Give me a break...

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das01:30
Entendamo-nos: eu falei de Teresa Guilherme. Não falei dos programas que faz. Quem quer ve-os, quem não quer muda de canal. Eu não os vejo, mas gosto de Teresa Guilherme porque a conheço.
E tem muitíssimas qualidades que outros que passam pela tv a comentar banalidades nem sequer têm. Talvez tenham um Dr que lhes permita fazerem figura sem que sejam, de facto melhores.
Talvez não acrescente nada ver TG dançar. Talvez só distraia uns velhinhos à espera de morrer.
E o que é que adianta um comentário como o seu, que fala da falta de ética de uma pessoa que não conhece?
Ficou mais feliz?
Num ponto esto de acordo consigo: também gosto da Julia Pinheiro. Mas não faço comparações entre as duas.

Anónimo disse...

Teresa Guilherme como apresentadora do BB é patética e grotesca.
Teresa G não tem graça, bem se esforça, mas fica tudo muito forçado, muito rococó.
A banalidade dos BB fascina os espectadores à escala internacional.
Motivos fortes há-de haver!
Sabemos que os BB se apresentam como reality shows, mas na verdade são manipulados, os momentos-chave (selecionados) são editados e repetidos até à exaustão, os sentimentos e atos (brigas, conversas, romances, concursos)dos participantes, sofrem cortes e são descontextualizados, sem dó nem piedade.
São consequentemente mais espetáculo, próximo da novela, e menos 'espontâneos' como nos querem fazer crer.
Resultam da alteração da ideia de que 'é preciso ser alguém para estar na Tv' para a ideia de que 'estar na Tv faz com que se passe a ser alguém'.
A maior parte das pessoas (incluo-me) vê, mas tem vergonha de ver.

O BB tem um guião: no início, os personagens são apresentados com as suas histórias de vida (muitas delas inventadas) para que os espectadores se comecem a identificar e a prender (devem ser muito diversificados para atingir a maior audiência); vale tudo para manter as audiências interessadas: os participantes são tratados como marionetas, são sujeitos a golpadas psicológicas, se lhes derem álcool começarão a dizer e a fazer coisas 'que dão canal'; racionem-lhes a comida e haverá brigas; ofereçam-lhes prémios e fama e desenvolver-se-ão as intrigas e traições mútuas e mesquinhas.
O grotesco dos BB vende. Porque retratam a banalidade dos quotidianos de todos nós numa sociedade exibicionista em que o sonho é sair do anonimato e obter dinheiro e fama fáceis.
Teresa G é a madame balzaquiana deste mundo cão.

Anónimo disse...

Que raios e coriscos!
As pessoas que dizem cobras e lagartos são as mesmas,mázinhas,que quando infelizmente acontece uma tragédia "fazem-se" muito comovidas.
Que mundo cruel sem dó nem piedade.
Porque terão esses programas a audiência que têem?
Quem tem classe sabe ter o livre arbítrio de a manter.
Tem toda a razão cara dra,quantas pessoas sós não se distraem com estes programas,quando muitas vezes já nada as ...
Enfim!
Tenha um dia feliz!

Anónimo disse...


Permita-me que a trate por Fátima.

Fátima quando, falei que a Teresa fazia inveja, foi no bom sentido não de criar a inveja má, mas sim de verem que as mulheres podem ser elegantes, bonitas independentemente da idade que têm.
Concordo consigo, o que é oco para mim pode ser interessante para outros.
Dou o exemplo da casa dos segredos, sei que a TG sabe e bem como cativar o público, caso fosse apresentadora não me sujeitaria a fazer tal programa.
Aliás cada vez vejo menos televisão, refugiou-me na leitura, é onde tenho aprendido muito.
Conheço bem a Sol Blanco-Soler, vi entrevistas dela, videos no yotube, em busca da minha serenidade, da minha tranquilidade, videos de Francisco Xavier o famoso medium brasileiro, uma amiga espanhola enviou-me o livro Aguila y la Rosa, livro esse que me sereno nas noites que passava em branco.
Como li outros deste tema, que comprei, fui ao Tivoli ver as mediuns, na minha dor fiz imensas pesquisas, mas sem respostas...
Cheguei a uma fase que decidi seguir outro caminho, preciso de ver para crer, pois não obtinha a resposta que queria, queria mais...
Talvez um dia tenha o que procuro, mas até lá vivo na incógnita...se existe algo ainda bem, que conforta quem acredita.
Agradeço muito a sua sugestão, mas felizmente já passei essa fase, agora procuro conhecer o meu "eu" , com as perdas também aprendemos outras, no meu caso quiz conhecer-me melhor...
É um longo percurso, espero um dia encontrar o equilibrio que tanto desejamos.

http://www.amazon.com/Aguila-levantan-vuelo-Spanish-Edition/dp/8466638067


http://www.youtube.com/watch?v=JgFyB_NGgk8

Carla



Anónimo disse...

Que grande novidade nos dá o Anónimo das 10:44!
Será que já não sabemos todos a "arte" que os meios de comunicação têm de manipular?Não é uma característica dos humanos(alguns)?Cabe a cada um de nós deixar, ou não,sermos manipulados.
É muito melhor ver o Dança com as Estrelas do que filmes violentos,ou Jornais noticiosos que nos desesperam e deprimem.
Penso que dança e música,mesmo as de fraca qualidade,sempre hão-de animar alguém e ter o seu público.Os gostos não se discutem,e pode-se mudar de canal.
Ás vezes penso eu:terá TG uma vida tão feliz sem problemas para ter aquela disposição e dizer larachas para animar os outros?
Vejo uma pessoa sensível capaz de se emocionar e nos momentos de tensão apaziguar as hostes.
Mas claro,cada um vê consoante as "lentes"que usa.
Sejam felizes e zanguem-se menos por coisas que não interessam nada!

Anónimo disse...

Em muitos lares de idosos a tv é colocada numa prateleira alta, num canto, e a maioria deles, sentados, numa sala sobrelotada, não consegue ver nada do que se passa no visor. Muitos tb não ouvem nada, não só porque ouvem mal, mas porque o som está baixo, para não incomodar as funcionárias e pessoal auxiliar.

Não gosto de Teresa G., claro que estou a falar da sua prestação profissional, não a conheço, nem gostaria especialmente de a conhecer.

Na apresentação da Casa dos Segredos, afivela um sorriso-máscara, que não desmancharia mesmo que os concorrentes se matassem uns aos outros.

É um sorriso que branqueia e nega o que se passa, que induz os espectadores a pensar que está tudo bem, que tudo é permitido, que nada de mal acontece.
E não estou a falar de moralismos hipócritas, estou a falar do stress psicológico a que os concorrentes são submetidos, e à custa dos quais outros, ela por ex., enriquecem.
Pomposa, complicada e sem humor, TG enrola-se nos textos palavrosos que escrevem para ela.

TG quer parecer mais nova, tudo bem, porque não? Gosta de gente mais nova, tudo bem, porque não? Pelo menos nesta sua kizomba, que rouba a uma jovem, vive a sua fantasia (e a de muitas mulheres) com um rapaz, porque não?

É uma versão muito mais simpática, do que a da matrona de máscara afivelada que enriquece à custa do sofrimento dos outros, atirados à arena em espectáculos deprimentes.

Mas TG não dá ponto sem nó, e todo este seu esforço, não foi para fazer os velhinhos felizes, não.
Foi um 'canto do cisne', foi marketing de lançamento da nova Casa dos Segredos!

Anónimo disse...

Dra Helena,boa-noite!
Permita-me agradeçer á comentadora Carla os links que teve a gentileza de me enviar assim como as suas palavras.E também em utilizar o seu blogue para esta troca de correspondência.
Carla,o problema com a palavra inveja não é seu,é meu,reconheço.Não sei o que representa porque nunca senti nada me fizesse despertar esse "estado"!!!Mas fala-se e há talvez quem faça por despertar nos outros!!!
Sinto-me uma felizarda por não sentir inveja de nada nem de ninguém.Sou feliz com o que tenho e com o que tive.
E as perdas Grandes que sofri que vou superando dia a dia ensinaram-me que tudo só faz sentido quando fazemos os outros sorrir.
E a TG tenta fazer os outros sorrir,só por isso já mereçe a minha consideração,mesmo sem a conhecer.
Tenha uma boa noite e extensiva á "nossa" heroína,a nossa Dra Helena.
Fátima


Helena Sacadura Cabral disse...

Caros Comentadores
Pelo que aqui li, os que não gostam de Teresa Guilherme vêem-na, numa vocação para o sacrifício de que eu não suspeitaria.
É por isso que andamos mal dispostos!


Anónimo das 14:02
Estou consigo. Animemo-nos e sejamos felizes. Ah! E atenção às lentes que pomos. :-))

Anónimo disse...

Abanem-me por favor!
Ou estou doido ou para lá caminho!
Depois de ler que têm vergonha e vêm o programa da TG!!!
Mas por quê?! São masoquistas? Não têm mobilidade para mudar de canal? É penitência a cumprir por algo mau que cometeram?Expliquem-me por favor,pois não consigo entender por mais que me esforçe.
Obrigado!
Incrédulo

Anónimo disse...

Anónimo das 14:16
Se isto aqui na Terra fosse tudo Rosas seria o Paraíso.
Nem no PS que faz gala nas Rosas a situação é florida!
Aquilo ali é mais espinhos para se rasgarem uns aos outros que é obra!
Estou certo ou estou errado?Mas que se entendam!...
Sou peace and love.
Make Love Not War.

Anónimo disse...

Tem muita graça: uns gostam de Guilherme e não vêm os seus programas, outros não gostam de G e vêm os seus programas!

Não me incomoda, aceito a contradição do ser humano.

Mas como se pode gostar sem ver?!
Já ver e não gostar, parece ter mais lógica.

Não me incomoda, aceito que o ser humano tem muito de ilógico.

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Anónimo das 01:10 eu só falei da Teresa Guilherme como pessoa. Não falei dos programas dela. Falei da sua participação num programa que não é dela. E esse vejo e gosto. Como gosto da Teresa. Entendidos?!

Anónimo disse...

Valia mais a pena ter falado de Sílvia Rizzo (Sílvia Riso), penso que ainda não lhe foi dado um papel que mostre bem as suas qualidades de humor natural, de interpretação, excelente na sua idade (sem ser forçado) , profissionalismo e espírito positivo.
Acho-a única! Não porque a conheça, mas na minha opinião quando falamos de um programa de Tv, não interessa nada falar da pessoa, mas do profissional.
Concordo com um comentador (ou comentadores, já ñ sei) que disseram que a Teresa G tem má dicção. Se consegue esforçar-se até fazer razoável figura a dançar, porque não se aplica tb a melhorar a dicção. Os actores fazem isso, trabalham isso. Será que ela não sabe, que nunca ninguém lhe disse, que enrola as palavras, que as precipita e encavalita umas em cima das outras? Nah TG nahhh. Com o que ganha, tinha obrigação de se esforçar mais.

No meu caso vi a Casa, não gostei, deixei de ver. TG e a prepotente e arrogante Voz vão ao ponto de humilhar os miúdos, para provocar o riso alarve. Passam-lhes rasteiras psicológicas, obrigam-nos a praticar 'missões'que arrasam os seus sentimentos, desrespeitando o seu ser mais profundo. Trazem à tona o pior. Provocam choros, depressões, fanicos, agressões, confusão emocional, dislates, boatos, traições, intrigas, um inferno. A maior parte daqueles jovens, são como a pasta dentífrica para a Tvi - use, esprema e deite fora.
Chegavam a dar choquezinhos eléctricos aos pobres concorrentes para que eles se torçam e deixem cair as coisas. Mas que gracinha tão sádica!!

Mas não concordo que deixar de ver seja essa a solução. Temos o dever e o direito a uma opinião crítica.
Contudo a análise destas Casas dos Segredos, não é fácil. É um fenómeno de massas que veio substituir as novelas cujos ingredientes já estão muito desgastados.
As pessoas identificam-se com os concorrentes da CS, uns com este, outros com aquele. A banalidade do programa está próxima da vida real.


Anónimo disse...


Helena,
conhecendo um pouco de si, creio que, não se vai importar que troque mais umas palavras com a Fátima.
Sendo eu, uma pessoa sensível não podia deixar de responder. Obrigada, antes de mais por o seu espaço ser um lugar aberto, aos nossos denaveios, porque "De sábio e louco todos temos um pouco".

Fátima não a conheço, mas fico feliz por se sentir feliz.
Já eu, posso dizer que em tempos o fui sem saber, e agora sou menos que antes. Falta-me uma peça do puzzle, peça essa que foi perdida mas não esquecida.
Infelizmente só damos mais valor à vida quando perdemos algo, não devia ser assim, mas a maioria das pessoas segue esse raciocínio.
Logo, o que perdi, fez com que eu desperta-se para outras esquecidas, esse despertar ( posso dizer trabalho) não foi só meu, mas sim de um profissional que me ajudou a pensar, jamais o consegueria sozinha, simplesmente porque fiquei bloqueada.
Hoje, sinto e sei que sou outra pessoa, já vejo o mundo de outra forma, como a morte.
Na vida, existem adversidades que nos deixam sequelas para sempre, o importante é conseguir nos adaptar e suportá-las, não temos outro remédio.
Fazer feliz os outros é uma dávida, porque 1º temos que nos sentir felizes, sendo felizes conseguimos fazer o outros também.
Aprendi que o mais importante são os afectos, a relação, o amor, os bens materiais são necessários, mas menos importantes.
Aprendi mais em quase 3 anos, do que na minha vida toda, tudo na vida é um processo de crescimento, eu cresci, com a perda!
Fiquei mais forte, mas também fragilizada, por vezes arrogante ( revoltada) mas no fundo melhorei em todos os apectos.
Segundo opinião dos meus amigos e concordo.

Deixo-lhe mais um livro que li, gostei na fase do conforto, hoje talvez já não o lê-se, mudam-se os tempos e os gostos!

http://boasnoticias.pt/mobile/noticias.php?id=12506

Carla

Anónimo disse...

nervosinha, picuínhas, complicadinha, hiper auto-centradinha, mandonazinha, dominadorazinha, irritantezinha, gaiteirazinha, graças forçadas, boca cheia de favas- quem é, quem é?!

Anónimo disse...

Esse «ganda pugrama», a «casa dos degredos». Do mais «inducativo » que há!
E se ... todo o horário nobre das televisões fosse preenchido com programas-tipo que esta senhora apresenta? Seríamos tão «enstruidos» e «coltos»,«prontos»!
Bendita RTP2!
Fernanda

Anónimo disse...

Também gosto da RTP2,ainda bem que há opções na vida.Não vale a pena é insultar a apresentadora TG.
Se as pessoas se inscrevem nesses programas,todas maior de idade ,já sabem no que vão participar.E aí vem outra edição.Muitos vão falar mal mas não vão certamente mudar de canal...e é tão fácil.
Teresinha continue a espalhar o amor como até aqui como tem feito jus á sua fama de casamenteira.
E se dançar Kizomba a faz feliz,continue.Aos 70 aos 80 ...haverá sempre alguém que sorrirá para si.E vai valer a pena.

Anónimo disse...

Eu, por acaso, também detesto a Teresa Guilherme. Faz-me lembrar as alcoviteiras das obras do Gil Vicente, sempre a congeminar arranjinhos, intrigas...
Esta é daquelas que até vendia a mãe em direto, se desse audiência.

Anónimo disse...

E domingo TG provou em directo que há muitos que gostam de a ver e de assistir aos seus programas.Até aquelas que antes de dormir precisam sempre de destilar veneno.
A audiência falou mais alto,e quanto ao resto,deve ser para o lado que a TG dorme melhor.