domingo, 10 de agosto de 2014

Finalmente o 44/46


Quando era nova vestia o tamanho 38/40. Não era gorda, mas estava longe de ser um conjunto de ossos ligados por tecido muscular. Era o que se chama de portuguesa padrão, talvez mais alta do que a média, com os meus 1,67.
Nesse tempo as mulheres desejavam-se relativamente roliças e ainda não tinha despontado a moda dos modelos S ou XS, que protagonizam seres famélicos que só a maquilhagem consegue valorizar. E que quando desfilam exibem entre pernas um arco que compete com o da Rua Augusta. Inveja, dirão uns e, possivelmente, têm razão...
Com a idade o tamanho foi aumentando e a altura diminuindo. Sempre encarei o processo como normal e quando estava mais gorda, tinha o cuidado de me não ver de perfil. Assim fui continuando e, dever-se-ão decerto aos quilos a mais que tenho, a lisura da pele que possuo.
Entretanto, um dos meus filhos teve de emagrecer e eu pus-me à labuta, para encontrar receitas agradáveis, mas dentro dos limites que lhe haviam sido impostos. Foi deste modo que ele perdeu oito quilos e eu ganhei mais um livro que, ainda hoje, continua a dar-me direitos de autor, ou seja, a ser vendido.
Acabo de saber que o Calendário Pirelli escolheu este ano Candice Huffine, uma americana de 29 anos, com 1,80 de altura e pernas quilométricas como uma das protagonistas da próxima edição, apesar dos seus 90 quilos peso. A modelo “plus size” está entre as mais requisitadas para desfiles e editoriais de moda em todo o mundo. 
É uma escolha revolucionária na história de um dos mais belos e famosos calendários. O que pode significar que as futuras modelos talvez venham a ser mais reais/palpáveis e não um fonte de transtornos alimentares. 
Claro que eu não passei, por este facto, a ser magra. Mas talvez passe a ter mais por onde escolher. Nada mau... 

HSC

12 comentários:

Paula Ferrinho disse...

Ah, ah, Helena, muito bom, como sempre!!!
Beijinhos!

Marta Veloso disse...

Pronto...e eu exatamente sempre no 38/40 com 1.75 . Nao tarda a vestir um 44... bato palmas quando vejo curvas destas destacadas no calendario Pirelli... custa tanto fazer dieta. Com filhos em crescimento entao... beijinhos Helena. Gosto imenso de si.

Fatyly disse...

Soltei uma sonora gargalhada e este ponto está o máximo: " E que quando desfilam exibem entre pernas um arco que compete com o da Rua Augusta. Inveja, dirão uns e, possivelmente, têm razão..."

E como é terrível essa "fonte de transtornos alimentares" e ainda bem que aos poucos vão mudando.

É um mundo que nunca gostei e nem sequer aprecio ver desfiles com "cada mono e coisas tão disparatadas" que mais parecem extra-terrestres:):):)

Já uns bons anos que existem roupas mais largas e deixe-me que lhe diga que veste muito bem, melhor que muitas outras as tais "damas" :):) e isto não é para lhe dar graxa:):)

Bom domingo

Virginia disse...


Adorei.

Quando vou ao cabeleireiro, dedico-me a ler as revistas horrendas de fofoquices e eventos para pseudo famosos e os comentários são sempre os mesmos: X com uma figura invejável apesar dos seus 44 anos, Y em excelente forma física, exibindo as suas curvas em bikini ou trikini ou mesmo topless, Z revelando os resultados de muitas horas de ginásio no intervalo das gravações, etc.etc.etc.

Pergunto-me: Qual o interesse de tais notícias, que espécie de gente compra tais revistas nos tempos de crise, porquê tornar tais criaturas exemplares como se todos nós devêssemos seguir aquele padrão para sermos reconhecidos como gente?

Nunca fui elegante. Também atribuo aos quilos a mais a frescura da minha pele quase sem rugas ( é verdade!!), mas adorava emagrecer uns 10 quilos. Seria muito mais feliz e andaria muito melhor. Faço o que posso, mas sou muito desregulada, não consigo obedecer a regras de nutrição. Acho-as chatas!!! E livros, é uma prateleira deles!!! :)

Bom, tenho de ir ver o rosbife e as batatinhas e temperar a salada que o meu filho já aí vem e estou esfomeada....

Até amanhã, Helena. Nunca a vi, nem mais gorda, nem mais magra, mas gosto de si assim!

ERA UMA VEZ disse...

Querida Helena

Esta coisa do peso é um pouco misteriosa e às vezes parece ter pouco a ver com o que se come.
Quando era miúda era a mais magrinha da aula.Chamavam-me Palito de la Reine. Cresci assim e quando casei pesava apenas 43 quilinhos. Comia bem e de tudo.Tenho uma filha comilona que mais parece passar fominha.

Entretanto a idade(só a partir dos 50) foi subtilmente acrescentando peso sem que eu passasse a ser glutona. Às vezes tento fazer alguma dieta. Asneira!
Só de pensar nisso fico infeliz, irritada e irritante e só imagino coisas deliciosas.E a balança nem mexe.

Depois encolho os ombros e consolo-me de mim para mim "às tantas se ainda fosse magra tinha a cara mais enrugada" ou então"afinal conheço as duas sensações"

A história de "não temos para a sua medida" isso sim, isso irrita mesmo, oh oh!!!
Vivam as lojas dos chinocas!!!Aí não há "ploblema".

Abraço grande.

Anónimo disse...

Boa noite Helena!
Um calendário muito bem pensado, lúdico, a magreza extrema das manequins faz-me impressão...
Algumas pessoas parecem esqueletos, porque infelizmente nada têm para comer, outros não comem porque a carreira assim o exige, vamos lá entender isto!
Comprei mais um livro seu, já são 2, o 1º vou na página 100, o 2º comprei ontem foi a leitura do meu serão de hoje « A espuma do amor», 40 páginas lidas num vicio que só uma boa história nos prende.
Fez bem em mostrar o que tinha guardado nas gavetas, é uma pessoa romântica não tenho duvidas.
Adorei " Nós", senti uma certa nostalgia vinda de si de outros tempos, quem não as têm?
Não consigo ler as palavras escritas lateralmente ao longo do livro.
Se puder vou ao lançamento do seu próximo livro, quero ter o prazer de a conhecer pessoalmente!!
Gosto de si!!

Boa semana
Carla


bea disse...

ah,ah, ah...pois, ao contrário de muita opinião, penso que as magras têm vantagem na confecção da roupa que usam. E durante anos fiquei bem contente por serem meias esqueléticas as modelos: animavam-me o ego; ainda que, na verdade, e por não existirem tamanhos S e XS quando mais jeito me daria, tudo no pronto a vestir me escorregava sem graça. A roupa de que gostava ficava bem nas minhas amigas, pessoas de corpo bem mais animado que levantavam suspiros fundos e olhares impúdicos nos homens e invejosos nas mulheres.
Agora que existem - o S e o XS -, claro que não me servem.Há pessoas que teimam em não acertar com a onda, que se há-de fazer?!

O pronto a vestir mais hábil é o que sabe o corpo das pessoas normais. Talvez o cérebro do Pirelli tenha pensado assim. Em agradar ao gosto comum. Pode ser que pegue, a senhora da foto é altamente sugestiva:)

Achei imensa piada ao cuidado em não se ver de perfil. Porém, os outros vêem-nos de qualquer ângulo. Cingem-se à imagem, se não tiverem imaginação para ir mais à frente.

Anónimo disse...

Medidas maravilhosas! eh eh eh eh

Anónimo disse...

1,70, 68,5 quilos e 42/44 é o que possuo e vou possuindo, lá em casa. Estou satisfeito. Não tenho queixas. Nem ela.
Cumprimentos,
a)1,78 e 75 quilos

Anónimo disse...

Você é Linda!

http://youtu.be/7QWzShM3fbo

:-)

Anónimo disse...

subscrevo o que disse. só é pena é que as pessoas que são metabolicamente magras, (quase esqueléticas)sejam consideradas "culpadas" dessa situação...i.e. consideram que não comem e não engordam porque não querem...tanto preconceito não ajuda, certo?

Maria

Anónimo disse...

Directamente ao seu coração. Hand on Hand.

http://youtu.be/bQ4wLE-np8c

Ghost Casper