domingo, 15 de junho de 2014

Os psicopatas


Kevin Dutton é um psicólogo da Universidade de Oxford que concedeu uma entrevista ao jornal Publico que merece ser lida com atenção, já que quando falamos de psicopatas é sempre num sentido pejorativo. 
Pois bem aqui aprende-se alguma coisa a esse respeito, já que ele acaba de publicar um livro sobre o assunto que talvez leve a rever alguns preconceitos que a maioria de nós tem relativamente a esta "doença". 
Podem faze-lo carregando nas palavras a vermelho, porque vale a pena pensar no que ele diz.

HSC

6 comentários:

Mãe Sabichona disse...

A verdade é que todos temos um pouco de tudo, ou seja, também temos sempre "alguma" psicopatia quando esse traço não é o mais evidente. Simplesmente uns traços de personalidade estão muitos mais presentes do que outros. E acho que acaba por ser mais útil conhecer quais os traços evidentes e de que forma estes nos beneficiam e prejudicam (porque há sempre os dois lados da moeda) do que "tentar aumentar" outro. Mesmo porque não se muda de personalidade, podemos é compreendê-la e mudar comportamentos e sentimentos.

CF disse...

Vale mesmo Helena. E o mundo sempre com medo deles...

Um beijinho para si.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Querida Helenamiga

Excelente ideia de alertar para uma entrevista muitíssimo interessante; li-a de fio a pavio.

Não vale a pena aqui fazer transcrições do texto; vale sim, acentuar aquilo que escreveste e ler a entrevista. Muito obrigado, querida Amiga

Qjs

Na Travessa dou-me ao luxo e à "desavergonha" de ter iniciado uma nova rubrica - NA PRIMEIRA PESSOA,em que irei contando estórias que vivi ao longo duma vida atribulada mas tão importante que voltaria a vivê-la JÁAAA!!!!!... Ousadias de velho...

Isabel Mouzinho disse...

Já tinha lido, através da nossa amiga CF e, de facto, é muito interessante o que ele diz e dá que pensar. Porque tendemos a viver um pouco formatados e esquecemos às vezes que nunca nada é a preto e branco mas encerra em si uma infinidade de cores.

Beijinho

Carlos Duarte disse...

Cara Helena,

A psicopatia é sempre negativa (não para o próprio, entenda-se). Em termos sociais, os psicopatas são seres parasitários, que se aproveitam de todos os meios ao seu alcance para atingir os seus objectivos (com base em análises racionais de custo-benefício). Se o nosso objectivo for considerar que o melhor ser humano é uma máquina, então sim, o psicopata é o ser humano por excelência.

Anónimo disse...


Helena gostei do artigo, penso que vai gostar de ler o de Coimbra de Matos homem que admiro tambem, os seus livros, as suas palavras foram a minha zona de conforto durante meses... grande Homem!

Entrevista:
http://www.youtube.com/watch?v=KLTPfatO1-Q

http://www.psilogos.com/Revista/Vol2N1/Indice3_ficheiros/Matos.pdf

Carla