segunda-feira, 9 de junho de 2014

O que se diz por cá (8)

Em Santarém, de visita à Feira da Agricultura que está a decorrer, Pedro Passos Coelho realçou que “o programa acabou a 17 de Maio”, mas que a transferência da última tranche do Memorando de Entendimento está suspensa. 
Relembrou que ela deveria ser paga a 16 de junho, mas “ já só poderá ser canalizada para Portugal” depois de resolvidas as dúvidas em torno dos cortes a implementar por parte do Executivo decorrentes da inconstitucionalidade de três medidas incluídas no Orçamento de Estado para este ano, decretadas pelo Tribunal Constitucional.
Segundo o PM, “a deliberação do TC ocorreu antes de o FMI ter podido realizar a reunião do seu ‘board’, onde seria libertada a última tranche”. As dúvidas sobre o caminho alternativo do Governo aos cortes chumbados “impedem estas instituições de procederem à transferência” da última parcela do empréstimo acordado com a troika.
Na perspectiva do primeiro-ministro, falta “ver como  ultrapassar esta situação criada por Portugal, que alterou o combinado na 12ª avaliação”.

Passos Coelho alegou ainda que “a leitura do acórdão deixa ao governo dúvidas sobre outras decisões, nomeadamente o orçamento rectificativo”, o qual também irá passar pelo crivo do TC.

O país anda suspenso pelas dúvidas do governo, pelas metáforas de circunstância do Presidente da Republica, pelas inseguranças de Seguro, pela bicefalia do BE, pelo futuro comportamento de Marinho e Pinto, pela insatisfação de todos nós. 
É muita complexidade junta...

HSC

6 comentários:

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Querida Helenamiga

Ora cá está um (mais um) excelente comentário. SOBRETUDO EM RELAÇÃO AO POVO, para melhor, À PLEBE. Oxalá tanta complexidade em 2014 não resulte no que decorreu do 28 de Maio de 1926: o aparecimento dum ditador paternalista... Lagarto, lagarto, lagarto!

Qjs

Anónimo disse...

Afinal havia outra... ah ah ah ah

João Menéres disse...

HAF

Não estaremos a pedi-las ?

patricio branco disse...

onde cheqaram de facto a arrogancia do poder e o desprezo pelos cidadãos, melhor, pelo povo, de parte dum governo que maneja os argumentos e as circunstancias a seu belo prazer e conveniencias!!
o pr por sua vez é uma personalidade enigmatica e de pensamento escondido, lançando ocasionalmente uns vagos principios e indirectas.

optima ideia esta de selecionar na imprensa estas opiniões de comentadores a que se acrescenta uma curta conclusão a proposito do assunto, util e practica, gosto.

patricio branco disse...

sim, tem razão haf, somos o povo, o povinho, a plebe, a arraia miuda, a ralé, etc etc

Maria disse...

Muito mais importante do que o que dizem, é o que fazem (ou não fazem). A Sra. é uma pessoa tão interessante! Por favor, não perca tempo com esta gente.