sábado, 24 de maio de 2014

Manuel Palito


“ À laia do tema da apelação à violência, vi hoje no noticiário da SIC a cobertura jornalística à captura do Manuel "Palito", o fugitivo às autoridades durante 34 dias. É triste o espectáculo de populares a aplaudir, não a actuação da GNR e PJ que o capturaram em circunstâncias difíceis, mas o fugitivo e "alegado" homicida, que durante tanto tempo causou medo às populações. É triste ver que há gente que mais facilmente vive com o medo e a violência sobre os mais fracos (diga-se que as vitimas foram fortes as que o enfrentaram e fortes as que lhe sobreviveram), desde que o "Poder" de quem os realmente protege não saia a ganhar. É mais triste ainda que o jornalismo tenha feito a cobertura deste evento como se fosse a chegada de uma "vedeta", que nada tem de exemplar nesta nossa sociedade que pretende erradicar a violência doméstica. Com fracos resultados, diga-se. O meu coração está com as vitimas, mortais e sobreviventes, estas sim que enfrentaram esta "vedeta" sem os recursos daqueles que tinham obrigação cívica e moral de as ajudar. Os mesmos que aplaudiram o retorno à civilização de um animal que não merece viver no mato onde se escondeu nestes 34 dias”.
                                  
                                        Daniel Ferreira

Este foi um comentário a um post meu no blog colectivo Delito de Opinião. Porque ele traduz exactamente o que senti quando vi a reportagem televisiva, partilho-o com os meus leitores, repetindo uma vez mais que Portugal precisa de se tratar da doença que a liberdade mal digerida lhe trouxe!

HSC 

12 comentários:

Anónimo disse...

Os valores nacionais estão enfermos e, dificilmente, se sairá deste pântano.

Isabel BP

Fatyly disse...

Por estar farta de ver situações idênticas, não vi, mas calculo como tenha sido e subscrevo totalmente o comentário de Daniel Ferreira.

Mas também o MAI deveriam ter sabido gerir e tinham poderes para isso "na caça ao homem". Vi alguma coisa e desliguei por completo...numa de solidariedade para com as 4 mulheres que foram alvo deste bandalho e nem consigo imaginar os horrores que passaram ao longo de anos e no dia do crime...como terá ficado aquela criança...sempre o elo mais fraco neste tipo de situações?
Foi preciso matar para ficar em preventiva, mas como a justiça tem rodas quadradas irá preso? Já duvido de tudo e de todos e não consigo dizer mais nada!

Anónimo disse...

Olá dra!
Só emendava animal / Monstro.
É que os animais podem não gostar.
Kkkkkkkk

TERESA PERALTA disse...

Muito obrigada pela partilha.
Infelizmente, dou-lhe toda a razão do mundo.
Abraços grandes.

Anónimo disse...

Um espectáculo, que sai carto ao contribuinte...
Não sou fã do «Melhor que falecer», mas ontem era genial, com o tema único da prisão do homem e uma interpretação muito engraçada do RAPereira, fazendo de GNR, autor do sucesso da espera ao homem na própria casa. Se não viu, pode aproveitar para se rir durante uns minutos, o que é cada vez mais difícil

Virginia disse...

Senti na pele este caso como já lhe disse. O meu filho, Juiz da comarca, não dorme há mais de um mês.

Ninguém sabe o que ele trabalhou nestes dias e sob que pressão!

Aquilo é mesmo uma selva.

Anónimo disse...

Há coisas que me custam a compreender. Como é possível que, com tantos meios, as nossas polícias tenham demorado tanto tempo a prende-lo? A Pide teria cumprido a sua missão em muito menos tempo, e sem a tecnologia que se dispõem agora...

Helena Sacadura Cabral disse...

Virgínia
Se há gente que a pode compreender, creia que eu sou uma delas. As pessoas são de uma grande ligeireza nas suas apreciações e formam juizos com base em palpites ou ideologias, sem cuidarem das injustiças que cometem. É pena, mas é o que temos.
Acredito no sofrimento do seu filho e no seu como mãe que assiste sem nada poder minorar. É muito duro!

Observador disse...

No dia em que Manuel 'Palito' foi presente a tribunal, o povo bateu palmas.
Não, as palmas não foram para o foragido. Foram sim para a incompetência da polícia.

É evidente que um ser humano só pode estar, presumivelmente numa mata, 34 dias, com ajuda. Neste caso, amigos e/ou vizinhos fizeram o trabalhinho.

Displicência das autoridades? Obviamente que sim.

Anónimo disse...

Deixe lá Virginia, imagino o que será ter um filho juiz que não dorme há mais de um mês. Deve ser de facto uma maçada, seja ele juiz, médico, investigador da NASA, ou outras profissões afins.
Imagine o que seria se ele estivesse desempregado :-(

Teresa disse...

Se a justiça funcionasse, quem lhe deu guarida também se devia sentar no banco dos réus!! Que gentinha!!!

Anónimo disse...

Bom dia D. Helena,

espero que já tenha conseguido um tempinho para reflectir :-), por vezes, o nosso tempo é tudo menos nosso!
Já não sei se este tipo de reacção me choca, às vezes, irrita-me profundamente, não consigo entender esta inversão de valores ou será que eu e aqueles que pensam como eu é que andam invertidos!?!
Agora, repugnante mesmo é a cobertura jornalística que dão a estes eventos, a estas pessoas, fazendo-nos crer que isto é que é o normal!

Cumprimentos,
Cláudia