sábado, 31 de maio de 2014

Do virtual ao real


No meio desta aventura que é a blogosfera, ganhei alguns amigos. Ontem decorreu um animadíssimo jantar que me juntou com quatro comentadores habituais deste blogue. Falámos de tudo o que aqui se ventila, contámos peripécias da vida de todos nós, abordámos a política nacional, comemos bem e bebemos melhor.
Sempre gostei de conhecer pessoas quando lhes sinto afinidade intelectual ou afectiva. Era o caso, uma vez que, individualmente, eu já tinha tido oportunidade de conhecer todos nos meus lançamentos. Mas entre si só se conheciam dois a dois, o que tornou o encontro muito divertido.
Acabaríamos às duas da madrugada com uma verdadeira surpresa. Um dos participantes havia deixado as luzes do carro ligadas e por isso a bateria fora à vida. Salvou-nos um previdente comentador que tinha no seu carro tudo o que era necessário para carregar a bateria. A segunda surpresa havia de chegar quando, passados 20 minutos sobre esta contastação, verificámos que o empregado do parque de estacionamento pese embora tivesse sido informado  do que se passava decidiu, sem avisar ninguém, ir-se embora e deixar-nos fechados no parque...
Enfim, uma aventura digna dos tempos que atravessamos, em que o profissionalismo e a solidariedade perante uma situação inesperada não existem e um empregado resolve sair sem cuidar de dar qualquer ajuda ou se importar com o que pudesse acontecer-nos. Pelo menos não conseguiu estragar-nos a alegria do jantar...nem evitar que a amizade virtual que já nos unia, se tornasse um pouco mais real!

HSC

13 comentários:

Observador disse...

Há quem diga que a blogosfera não presta. E invoca uma série de 'defeitos' que no seu entender a colocam num cenário quase dantesco.

Não tenho essa ideia. A blogosfera é fita, dia a dia, passo a passo, por seres humanos. Logo, imperfeita. Contudo, nem por isso lhe retira a seriedade que a maioria das pessoas lhe imprime.

Gosto desses encontros onde o principal é um convívio são, onde se conversa de tudo, em tom sério e muito a sério.

Os meus cumprimentos, estimada Helena. Com votos de um bom fim de semana.

Anónimo disse...

Há cerca de 20 anos, numa visita a um familiar em Zurique, aconteceu algo parecido. Recordo que o meu cunhado deu conta do que aconteceu à polícia e, em cerca de 15 minutos, estava tudo resolvido. Mas foi na Suíça...

Isabel Mouzinho disse...

O episódio "parque de estacionamento" é na verdade um triste indício de um tempo feito de egoísmos, indelicadezas e desumanidades - e por isso tem que ser denunciado, mas também não deixa de ser um episódio rocambolesco que veio "apimentar" ainda mais uma noite especialmente alegre e divertida.
E o que há nela de mais enternecedor é para mim uma recente descoberta. Eu sabia que as amizades são fruto de uma casualidade qualquer, que há pessoas a quem sentimos que alguma coisa nos liga, que há afinidades, empatias e cumplicidades que se vão fazendo afecto e que não sabemos, não podemos, nem precisamos de explicar.
Mas só há pouco descobri que elas podem também começar pelas palavras e só depois materializarem-se num corpo e confirmaram-se no fundo de um olhar.
E essa é uma magnífica e enriquecedora descoberta... :)

Gosto muito de si, Helena!
Um beijinho
Isabel

Um previdente disse...

Gostei particularmente do à-vontade com que se saltou em defesa de um bom charuto.

Comensal disse...

As donzelas esvoaçantes deram-me um apetite medonho; felizmente, o Carmim sossegou-me...

Prescrição: repetir com regularidade...

Participante disse...

Filmar aquelas meninas a empurrar a cancela do parque de estacionamento para cima, enquanto saíamos, dava um excelente teaser para um filme do 007. No final, todos salvos e livres.

Helena Sacadura Cabral disse...

Meus queridos amigos foi mesmo um bocado de bom convívio do qual, acredito, vai sair reforçada uma bela amizade entre todos nós.

CF disse...

Uma noite com marca, portanto. Não há dúvida, é para continuar... :)

TERESA PERALTA disse...

Uma noite de coração aberto sem dificuldade de partilha, fruto de uma sentida amizade que começou por ser virtual e que agora todos sabemos que é mais do que real.
À responsável por esta agregação envio um abraço apertado, daqueles que não fazem doer os ossos mas que inflamam qualquer alma.

Fatyly disse...

É sempre bom olhar olhos-nos-olhos quem está por detrás deste monitor e ao longo de anos já conheci algumas pessoas e parte delas digo que são mesmo amigos(as).

carolina disse...

Ola boa tarde
Como gostaria de um dia participar

mas é uma daquelas coisas que jamais poderei realizar, é que para mim ainda há coisas que são impossiveis

Anónimo disse...

Bela história! Votos de muitos jantarinhos, com o calor da Amizade!

Ana Loureiro disse...

Tão engraçado e tão real.
Descobri hoje o seu cantinho e estou
encantada.
Vou voltar sempre que possível.
Bem haja.