domingo, 26 de janeiro de 2014

O fim


O presidente francês confirmou, este sábado, numa declaração exclusiva à France Press, o fim da sua relação com Valérie Trierweiler, colocando um ponto final a quase duas semanas de rumores alimentados pela comunicação social.
Valérie Trierweiller abandonou "La Lanterne", a residência oficial do presidente, e instalou-se num apartamento que havia arrendado com Hollande, em Paris. 
Hoje, deverá viajar para a Índia, a fim de participar num evento da ONG "Acção contra a Fome". 

HSC

15 comentários:

Virginia disse...

Esta gente sofre com tanto conforto!!

Maria Porto disse...

Já se esperava, não?
Tenho pena que não tenha sido ela a dizer, em primeiro lugar, que tinha acabado a sua convivência com tal senhor...
Mas, não fez ela o mesmo à anterior companheira do Hollande? :-)

maria isabel disse...

Se já vai viajar,é porque está melhor.Estas dores bem remuneradas passam depressa.

Nadinha de Importante disse...

Tinha que ser, depois da humilhação pública, não fazia sentido ficar juntos. Mas, nunca se sabe!


nadinhadeimportante.blogspot.pt

Fatyly disse...

Tenho uma peninha deles que até me arrepio. Vidas boas ou boas vidas...o resto? são favas contadas!


Anónimo disse...

E quem paga o apartamento?

Afinal, para os contribuintes isto é que interessa, não se acabou, recomeçou ou até "vive" em simultâneo, interessa sim quem sustenta: se o próprio ou se o estado à custa dos contribuintes!

Cpts
Cláudia

Anónimo disse...

L'aventure,c'est l'aventure!
Mais um triângulo amoroso que vai tornar -se num círculo vicioso,até se alcançar a recta da meta com a taça no final.
Qual dos três ganhará?
Salut!

Anónimo disse...

Para quem não tem vergonha todo o mundo é seu. Aqui se aplica bem esta "máxima".

Anónimo disse...

Acho muito bem: a condição sine qua non de uma união de facto é a coerência. No casamento já não é bem assim...há muitas outras coisas em jogo.

Carla Isabel disse...

Mas a senhora foi internada porque nao aguentou o desgosto???A relação dele com a outra nao durava já há 2 anos?..e ela nunca deu por isso???

Enfim, como ja foi dito, se vai viajar é porque está melhorzinha!!!:)

Helena Sacadura Cabral disse...

Caros comentadores
Esta "estória" só tem algum sentido porque, do que se percebe:
- quando Hollande tomou posse, a relação com a actriz já existia. Então para quê levar Valerie para o Eliseu, dar-lhe um staff e te-la em deslocações oficiais? Bizarro!
- os contribuintes pagaram pelo menos o staff do seu gabinete e as suas viagens.
- Hollande criticou ferozmente a vida familiar de Sarkozy e, afinal, fez igual.
Não acredito que os povos tenham os governantes que merecem. Os governantes é que nem sempre merecem o povo que têm!

Anónimo disse...

Dra Helena!
Hollande apontou o dedo a Sarkozy,ao fazê-lo,tinha três dedos contra ele,certo?
E,mais cedo ou mais tarde a justiça vem á tona.
Quanto a povo e governantes a "estória" é outra,pois lá muito atrás na história,deu-se a escolher ao povo entre Barrabás e Jesus Cristo...e quem é que o povo escolheu?
Ah pois é!...escolheu o ladrão!
Acho que o povo gosto "dos malandros".
E,"malandro que é malandro,não estrilha,muda de esquina!"
kkkkkkkkk
Qualquer dia já estão os três com novas paixões,e...
Igualdade,Liberdade e Fraternidade!
Vive La France!
E que pague o povo pois é quem os ESCOLHE.


zia disse...

É triste ter de vir lavar roupa na praça publica...
Será o mais urgente em França?
As relações amorosas muito dão que falar até nos +aíses desenvolvidos...
Não há paciencia!
Estamos cada vez mais pobres de liders políticos, nesta aldeia global.
Um forte abraço, Zia

Anónimo disse...

Não consigo perceber como é que uma "estampa" como o Hollande tem este "aviamento" todo. Será que é amor? Como eu tenho 38 anos, provavelmente não tenho experiencia de vida suficiente para perceber...

Anónimo disse...

Sempre o considerei um "tontinho", assim como ao seu congénere luso.

E agora que o homem se revelou e alcançou toda a admiração possível (*), via a 3ª prova inequivoca de bom gosto, parece que foi "abandonado" pelo seu, até há pouco, fã nº1 ... o que diz mais de Seguro do que de Hollande.

(*) admiração limita-se ao "sentido do belo".

N381111