terça-feira, 5 de novembro de 2013

Expoente literário...

valter hugo mãe, em entrevista ao DN

Que pensar do jovem, talentoso e premiado escritor que assim se exprime?!

HSC

44 comentários:

Luis Filipe Gomes disse...

Talvez ele tenha nascido de cesariana.

Anónimo disse...

e certamente bateu com a cabeça em qualquer lado.....
Nocas

Dalma disse...

O que dizer do jovem, pergunta, eu respondo: subiu-lhe a importância à cabeça!! O que é lamentável, embora preveja que haja gente que goste dessas enormidades!

Anónimo disse...

Está visto que escritor talentoso é o que só diz aquilo que gostamos de ouvir e assine por baixo da nossa visão do mundo.

Anónimo disse...

Para este post teria como comentário o famoso poema de Guerra Junqueiro "A Porra do Soriano", que descobri na "Antologia da Poesia Portuguesa Erotica e Satírica" de Natália Correia, mas por respeito a Senhora Dona Helena, nao o publico aqui. Eu, Feliciano, sou homem de origem humilde, e certo, mas de boas maneiras, alem de culto e letrado, em que pese aos invejosos que sao o Embaixador Seixas da Costa e o Senhor Alcipe...

a) Feliciano da Mata, o mais respeitado critico literário do Golungo Alto

Anónimo disse...

Para este post teria como comentário o famoso poema de Guerra Junqueiro "A Porra do Soriano", que descobri na "Antologia da Poesia Portuguesa Erotica e Satírica" de Natália Correia, mas por respeito a Senhora Dona Helena, nao o publico aqui. Eu, Feliciano, sou homem de origem humilde, e certo, mas de boas maneiras, alem de culto e letrado, em que pese aos invejosos que sao o Embaixador Seixas da Costa e o Senhor Alcipe...

a) Feliciano da Mata, o mais respeitado critico literário do Golungo Alto

ERA UMA VEZ disse...

Li apenas um dos seus livros e gostei. Mas como diz a nossa "Um Jeito Manso" há algo de sinistro neste indivíduo.
Não sei bem do que se trata mas parece que "inventa" situações e falas estranhas e insólitas para que ninguém o esqueça.

Vedetismo, "umbiguismo"???
Não sei bem... mas perdi o interesse.
Soa-me a falso.A pré-fabricado.

Helena Sacadura Cabral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Alcipe
Conheço a antologia da Natália, que a própria me ofereceu e boas gargalhadas dei com ela por causa do Soriano.
Aqui deixo uma ideia aos outros comentadores:
“Pedro Soriano, um dos mais famosos patifes dos muitos que povoavam Lisboa no final do século XIX, ficou na história pelo seu atributo singular - um descomunal membro viril -, cantado por Guerra Junqueiro. Inicialmente, o poeta mostrou-se incrédulo, mas, tirando as dúvidas pela observação directa, pasmou e terá exclamado que semelhante instrumento merecia ser cantado num poema. Nasceu assim «A Torre de Babel ou a Porra do Soriano, que alcançou de imediato um sucesso estrondoso.Note-se que Junqueiro nunca permitiu que o poema, fruto de um repentismo ditado por abundantes libações, fosse publicado, mas os amigos que o ouviram fixaram-no e depois surgiram várias edições clandestinas, passando a ser a obra mais rara e cobiçada de Guerra Junqueiro. Ao poema segue-se o texto «O Casamento Simulado», de autoria anónima. A colecção de Livros Licenciosos tem como mote um verso do Canto IX de «Os Lusíadas»:«Melhor é experimentá-lo que julgá-lo.»

rmg disse...


Pois não se pensa nada , ele cabe perfeitamente aqui :

“Quantas pessoas não são abstractas senão para parecer profundas!”
Joseph Joubert (1754-1824)

RuiMG

Anónimo disse...

Um pobre pateta!
a)Conde de Abranhos

Anónimo disse...

Ao Valter Hugo Mãe apenas digo que o aspecto dele também é sinistro e muito pouco lavável.

É apenas mais um "intelectualoíde" a quem a fama está a subir à cabeça... ou melhor, à afirmação sexual!

PALERMA! FEIOSO! :))

Isabel BP

P.S. Nunca me deu para ler nada da criatura!

P.S.1 Concordo com o comentário do RUIMG.

maria isabel disse...


Há jovens escritores tão talentosos, tão talentosos,que dizem frases tão profundas que ninguem as entende. Não sou apreciadora deste talentoso escritor porque só me lembra da história do "Rei vai nu". Ou então sou mesmo burra.Pois serei!!!

Anónimo disse...

É só talentos à solta!...

Anonymus disse...

Caríssima Helena:

E que tal a senhora abrir uma excepçãozita e tratar este assunto.
Deixo-lhe a dica.
É do interesse público explorar a contradição entre o verbo e a verba, muito praticada pelo PCP.
Vá lá, condescenda um pouco.
Fico à espera.

Deixo-vos um link muito interessante:
http://diariododistrito.pt/index.php?mact=News,cntnt01,detail,0&cntnt01articleid=1267&cntnt01returnid=84
É de um jornal regional (digital), Diário do Distrito (Setúbal), que reproduz o artigo «O esbulho fiscal no distrito de Setúbal», saído Sábado, 2/11, no Expresso, Caderno de Economia, pág. 30.
Este assunto merecia um post.

Marta Guerra disse...

Olá Helena,

eu não li a entrevista onde ele proferiu esta frase, mas parece-me tirada de contexto.

Aconselho-vos a lerem "O remorso de Baltasar Serapião" deste autor, pois penso que é onde ele bem expressa a opressão em que as mulheres viveram até há bem pouco tempo. Não há outro livro que me tenha feito sentir próximo desse medo antigo que era ser mulher, cujo simples direito de existência era duvidoso, a garantia de sermos obra do diabo era certa e qualquer frase mal dita ou qualquer desarranjo mental masculino ditava a nossa sentença de morte.

O livro tem um tom medieval, é duro, extremamente incomodativo, e envolve-nos naquela mentalidade escura e triste.
Por estes motivos, acho que ele entende e expressa mesmo muito bem a opressão histórica do sexo masculino sobre o feminino. O que me faz pensar que esta frase só pode ter sido tirada de contexto.

Para ser 100% sincera - avancei bastante mas não acabei o livro, tenho pouco tempo para ler livros que me angustiam, tenho outros interesses de leitura e estou numa fase de não-ficção. Isto sem qualquer descrédito para o autor.

Obrigada.
Marta Guerra

Atlante disse...

Bom dia,

Não sei quem é o senhor em causa mas cada um é livre de admirar, adorar, venerar o que bem entender. Esse senhor gosta da sua genitália... e arranjou uma forma muito alegre (gay) de o descrever. Pois bem, eu gosto da minha genitália sinistra (eheh) e não estava à espera que um homem entendesse a sua beleza e subtileza! :)

Helena Sacadura Cabral disse...

Marta Guerra
Pode ler a entrevista na íntegra no Diário de Notícias do dia 23/9/13.
Não há "contexto" que lhe valha!

Paulo Abreu e Lima disse...

Helena, perdoe-me, mas não vejo qualquer aberração nesta frase - contextualizada, descontextualizada, como quiser.

Observemos palavra a palavra:

- mais honesto -

Sem qualquer dúvida. Engrandece com o que lhe agrada, minga quando receia e estabiliza quando deixado sossegado. Não dissimulando e comportando-se tal qual se sente, não engana e, se não engana, é mais honesto.

- mais visível -

Alguém tem dúvidas? Alguns terão...

- mais facilmente lavável -

Desde que o prepúcio não lhe encubra a glande, ele próprio chega à água e ao sabonete/gel/etc.

- enquanto o das mulheres é mais sinistro -

Tudo o que é mais honesto, visível e lavável é menos sinistro, com certeza.

A frase só é parva de tão óbvia, mas percebo a indignação feminina e a dos machos pujantes. Afinal, grande parte da sinistralidade ocorre precisamente quando um e outro truca-truca*.


* Lede inesquecível poema de Natália Correia:

"Já que o coito - diz Morgado -

tem como fim cristalino,

preciso e imaculado

fazer menina ou menino;

de cada vez que o varão

sexual petisco manduca,

temos na procriação

prova de que houve truca-truca.

Sendo pai só de um rebento,

lógica é a conclusão

de que o viril instrumento

só usou - parca ração! -

uma vez. E se a função

faz o órgão - diz o ditado -

consumada essa excepção,

ficou capado o Morgado."

ERA UMA VEZ disse...

E se lhe fizéssemos um desenho???

Ás tantas ele nunca viu e está falar sem conhecimento de causa...

Anónimo disse...

A demonização da mulher e a ideia da sua menoridade e impureza persistem nos nossos dias, se pensarmos que as mulheres ainda hoje são apedrejadas.

A própria Bíblia se refere à impureza da mulher com o fluxo menstrual ou no parto. É considerada contagiosa, amaldiçoada e não deverá ter qualquer tipo de contacto, nem mesmo um simples aperto de mão.

Historicamente existiram muitas crendices e preconceitos sobre a mulher. Era tida como um ser demoníaco e perturbado e o próprio Hipócrates afirmava que o mal que atingia as mulheres era causado pelo próprio útero. Daí derivou a palavra histeria. Ainda hoje muitos homens quando não conseguem ter sobre a mulher o controle que desejariam, lhe chamam 'histérica'.

Isso é ainda muito comum atualmente, mesmo sendo conhecido que essa neurose atinge homens como mulheres e não tem nada a ver com o útero.

Tudo isto para dizer que a frase de Valter Hugo Mãe é infeliz, mas quem as não diz, e é contraditória com a sua escrita com uma visão libertadora da mulher, e isso é que é importante.

Na minha opinião VHM quis dizer que ainda hoje a genitália masculina e feminina são vistas assim como afirma. A genitália feminina ainda hoje é considerada assustadora, escondida, desconhecida e suja.

Só que hoje está tudo muito encoberto pelo politicamente correto. Tudo isto que nos parece tão longínquo permanece nalgum recanto de algumas mentes masculinas contemporâneas.

Se também persiste malgré lui num recanto da mente de VHM, ele tem feito por redimir-se pela escrita, e isso é que é importante.

Helena Sacadura Cabral disse...

Paulo
Vejamos ponto por ponto.
1. "Engrandece com o que lhe agrada, minga quando receia e estabiliza quando deixado sossegado" (sic).
E porque é que este iô-iô é sinal de honestidade? Se fosse o contrário era deshonesto?
Se honestidade for sinónimo de frequência de penetração, então está certo porque o dito, qual barata tonta, só não penetra o que não pode ou não deixam.
2. Mais visível. Alguns, porque outros só o são em função. Não falando já daqueles que mesmo em trabalho deixam muito a desejar...
3. Mais lavável. Só se for circuncidado... porque os outros só são lavados no duche!
4. Sinistro será a meu ver o vosso caso. Em riste são agressivos. Em quietude constituem um apêndice que será tudo menos tranquilizante, compassivo ou bondoso (antónimos de sinistro).
Mais uma vez estamos em desacordo, meu caro!

José María Souza Costa disse...

Olá, bom dia.

O tempo é de luzir. Então cada um de nós que busquemos o nosso Sol.
Ele paira, e nos convida ao aquecimento do cotidiano. Não por que queremos, mas por que o tempo, exige em exposição, que cada um de nós, busquemos o nosso lugar. Abraços.

Dalma disse...

HSC, a sua resposta é absolutamente fantástica!!!

Anónimo disse...

Nem tudo são corolas, sementinhas e cegonhas!
Nem tudo são conchas, rebentos, berbigão, bivalves, pevides, flores-do-corpo!
Estojo, bainha, fenda, furna, vaso, gruta, bichana, pomba, almofada!
Fonte, ilha, imãn, jóia, segredo, romã!
Também são bacalhaus, poços sem fundo, perseguidas e bimbas!

Nem tudo são espadas, flautas , vergas, pistolas, bordões e poderosas!
Também são badalos, minhocas, falidos, analfabetos, misantropos, enfadonhos e forretas!

Anónimo disse...

Fiquei pasma. Não encontro palavras.

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 17:47
O seu dicionário compete xcom o Houaiss!

Paulo Abreu e Lima disse...

Caríssima Helena,

1. Se fosse ao contrário, não só seria desonesto como dissimulado. Se há órgão mais honesto num homem, será sempre o seu sexo. Nunca o vi grande contrariado, pequeno em euforia ou normal quando instigado. Depois, frequência na penetração é mais no âmbito da competência, o que até pode acumular, sendo um honesto competente. Até ao dia em que falha e nunca por tal deixará de ser honesto. Incompetente, mas honesto. Sempre.
2.Bom, isso de tamanhos é discutível, há quem prefira o desempenho. E aqui também acumula: um pequenino ou é velhaco ou dançarino.
3.Não precisa ser circuncidado, que para o arregaço basta não ter freio curto.
4.Sinistros são os dois, mas repito, resta saber por qual ocorre maior sinistralidade.

Confesso que nunca pensei um dia dirimir argumentos sobre tais assuntos por aqui, mas quanto a isso até suspeito que não estamos em desacordo... :-)

maria isabel disse...


A filosofia está na moda.

Helena Sacadura Cabral disse...

Paulo
De facto há sempre uma vez para tudo. Lá se foi a virgindade deste blog em tais matérias.
Mas não fora o Valter Hugo com a sua afirmação, o Feliciano da Mata com o seu Guerra Junqueiro e o Paulo com a sua Natália Correia, e a pureza imaculada deste canto ter-se-ia mantido...

Fatyly disse...

Dª. Helena como leio todos os comentários, digo-lhe que gostei imenso deste debate e os blogues são para isto mesmo, onde se aprende sempre alguma coisa.

Um Jeito Manso disse...

Estimada Helena,

Entro um pouco tardiamente na discussão e quando muita gente já foi a correr tirar a burka.

De qualquer maneira e não querendo entrar na discussão anatómica permito-me apenas dizer que:

1- Se o Valtinho diz que o sexo dos homens é facilmente lavável eu já fico mais descansada porque do mal ao menos: pode não ter nada na cabeça mas, ao menos, é lavadinho.

2- Quanto ao sexo dos homens ser mais visível, ao contrário dos que por aí muito se pavoneiam mas em que a gente tem que se ficar pelo que apregoam, o Valtinho nisso é mais honesto: 'what you see is what you get'. Como se poderá ver lá no meu canto, o ilustre escritor já se fez divulgar nu. É caso até para dizer que o escritor Valtinho vai nu.

(http://umjeitomanso.blogspot.pt/2013/09/valter-hugo-mae-lanca-o-seu-novo-livro.html)

3. Abona ainda a favor dos dotes do Valtinho o que ele tem divulgado: diz ele que recebe frequentemente propostas de mulheres que se oferecem para serem mães de um filho dele. Ora eu gostava de saber quantos escritores portugueses, por muito conceituados que sejam, já receberam propostas destas.


Portanto, para concluir: não menosprezemos as qualidades e os atributos do Valtinho. Quanto ao que diz e aos livros que escreve, isso já é outra coisa. É o que diz, Helena: não há nada que lhe possa valer.

Um abraço, Helena!

Anónimo disse...

Bem haja por ser como é
Uma senhora que não deixa de dizer o que tem para dizer, tanto na opinião como na resposta, ADOREI
Sobre o escritor valter hugo mãe, na minha opinião ele acha provavelmente que é a chocar que se faz notar e provavelmente lá terá alguma sondagem que lhe dizem que tem razão, para mim não passa de um palhaço.
obrigada pelo tempo que partilha com os seus seguidores "blogueiros".
Beijos AC

João Menéres disse...

Este dito vhm mexe-me com os nervos !
Está visto que não serei imparcial.
Mas, não é também que cada um puxa a brasa para a sua sardinha ?

Melhores cumpriments.

Anónimo disse...

'talvez seja o momento de te dizer que o teu corpo mulher é um exagero do meu deus, generoso mais do que nunca na liberdade da minha fome'
Valter Hugo Mãe

Marta Guerra disse...

Não consegui ler a entrevista completa, pois é necessário subscrever o DN Online.
No entanto, obrigada a todos pelo que já me ri aqui.

Não acho que o autor esteja a descrever o SEU sexo como melhor, está a afirmar que ele gosta mesmo é "de falo" e como se sente em relação a isso.
Hoje encontrei outra entrevista antiga dele em que ele acha as mulheres machistas por competirem na escola dos cortinados e tecidos de sofás da casa. Umas pitadas de rancor e competição q.b. nestas declarações, mas pronto.

"O machismo das mulheres?"
http://www.jornaldeleiria.pt/portal/index.php?id=2382&sid=&layout=print

Anónimo disse...

Será que este post não devia ter uma bolinha(ou duas:)))encarnada no canto superior direiro?

Que acrescentaria Manuel Maria Barbosa du Bocage a este tema!?

Interessante seria uma mesa redonda com VHM,Bocage,Guerra G,Marquis de Sade etc...
Quão rica a literatura(a faiança das Caldas) portuguesa!...e tão fascinante como HSC a retrata.

O que me ri já ninguém me tira.
Afinal até dá saúde o diaframa distender.
E já agora,brincar com o iô-iô também( mas com cordel extenso ,porque curto já basta o país).
É curto mas Intenso!
Isto são "cosas do demo".
Vou procurar o meu iô-iô,pois de tanto brincar a corda partiu-se...:))))

Anónimo disse...

Só esta noite vi os mui interessantes post e comentários e deles dei conta à 'velha senhora', minha velha amiga, que logo se queixou por não ter sido mencionada no seu comentário das 19:23 do dia 6 e que acaba de ditar sonetilho a propósito:

o meu nome não 'stá nesse
rol de nomes que escreveu:
fico triste, pois me esquece.
mas se o blogue, lhe digo eu,

virgem pura permanece,
ou melhor, permaneceu,
a culpada, me parece,
é a helena co'o seu véu

de pudor, boas maneiras,
que a não deixa receber
palavrões e asneiradas

com que nós, rimalhadeiras,
atiramos pra flixar
quem só quer ver-nos lixadas.

Helena Sacadura Cabral disse...

Neste blog por norma não se lixa ninguém. E também não gostamos que nos lixem, a nós que já andamos lixados por estes e pelos que os antecederam, tão esquecidos, que se lhes aceita os dardos internacionais na estação que nós pagamos!
Tenho visto a Velha Senhora bolsar as suas teses noutros blogs. É lá que devem ficar. Aqui não.
A sorte da Velha Senhora é a idade e, muito possivelmente nem pai ter tido...

Helena Sacadura Cabral disse...

À Velha Senhora
Na sua casa cada um faz o que quer. Mas eu não sou masoquista e não me comprazo com quem pretende fazer-me sofrer. Já me bastam os familiares!
Entendidos?!

Anónimo disse...

Ilustre dr.ªHelena,com todo o respeito,pergunto eu!?
-Será que VHM no desempenho do acto sexual foi mordido no membro viril pela "dita cuja sinistra"?
Vai daí resultou um sinistro!?
Será que foi no Entroncamento?
Ou estaria com alguma velha senhora que sofrendo de Alzeimer se enganou a colocar a dentadura!?
Esta agora deu-me que pensar!!!!???

Anónimo disse...

A 'velha senhora' - essa velha médica, minha velha amiga - é uma senhora muito, muito, teimosa - teimosa de mais. Insiste em que lhe envie esta cantilena para seu conhecimento pessoal, tal como me mandou enviar as rimalhices de há dias para não-publicação ("Na sua casa cada um faz o que quer"!?):

celebremos (ex?-)amiga
nisto estarmos tão de acordo:
choca muito que prossiga
este crime ou desaforo
que a pobreza nos castiga:
cresce o rico em desafogo
mata o pobre de fadiga;
pra tornar tordo mais gordo
trabalha e morre a formiga.
a bolsar de raiva, eu mordo!

responsáveis? mais faltava!
viva a lei do capital!
cabe a pobres sempre a fava,
ricos mandam, bem ou mal,
que prós ricos tudo vale.

concordamos, (ex?-)amiga?
estamos do mesmo bordo?
não publique esta cantiga,
pois manter quer desacordo.
(de mim sofre? isso me intriga)

Helena Sacadura Cabral disse...

Diga à Velha Senhora que concordo quando diz que para os ricos tudo vale!

Anónimo disse...

Inspirada no comentário que a cara HSC publicou (Anónimo às 01:27), a 'velha senhora' redigiu esta manhã o seu, dela, epitáfio:

velha senhora sem pai
o membro do mãe mordeu
nem de dentes precisou
co'a sinistra o sinistrou

aqui jaz a pobre ai ai

foi de alzeimer que morreu
mas antes esperneou
e desdentada bolsou
o epitáfio que aqui vai

aqui jaz sem dentes ai


(Surpreendidos, a senhora e eu, pela inesperada publicação da rimalhice "celebremos", deixamos o destino do epitáfio ao seu alto critério, evidentemente: "Na sua casa…" etc. etc.)