quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Mais outra

A escritora canadiana Alice Munro venceu hoje o Prémio Nobel da Literatura. O seu nome foi anunciado pelo secretário da Academia Sueca.
Nascida em 1931, Munro é considerada uma das maiores contistas da actualidade.
Merecidíssimo prémio a uma mulher que conta mais de oitenta anos!
HSC

9 comentários:

Fatyly disse...

Não conheço a sua obra, mas os meus parabéns e as mulheres vão se chegando à frente!
Estou espectante para quem irá o da PAZ!

Já agora e abusando do seu espaço o que peço desculpa:

"A jovem militante paquistanesa Malala Yousafzai, que defende o direito das mulheres à educação, foi galardoada com o Prémio Sakharov, atribuído pelo Parlamento Europeu."

Virginia disse...

Só é pena é que dêem os prémios quando a pessoa já não pode gozar dele assim por tanto tempo .)

Mas o nosso Manoel de Oliveira bem merecia um Oscar de longevodade!!

Nunca li nada dela, mas vou ver se leio.

maria isabel disse...


E Prémio Nobel da gargalhada mais maravilhosa de ouvir atribuida com muito mérito a HELENA SACADURA CABRAL? Eu voto.

Não vou morrer sem ler isto

Abraço

Maria Isabel

Anónimo disse...

ligo cada vez menos aos premios Nobel. Vi de relance nas gordas de um tabloide que o Higgs andava desaparecido, sem telemovel, para que nao o chateassem.
Por acaso, gostei dos dois contos da Alice Munro que li ha mto tempo. Confesso contudo que,por enquanto, nunca li nada do autor que ganhou o ano passado.
L.L.

zia disse...

que lindo prémio para quem tanto merece.
as mulheres quando querem sobressaiem!
um abraço,
Zia

Anónimo disse...

Bem merecido!

Agora estou a torcer pela a jovem paquistanesa Malala Yousafzaï para Prémio Nobel da Paz.

Isbel BP

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Querida Helenamiga

Tive a honra e o prazer de conhecer esta Senhora, um dia no Québec quando estava de visita a um cunhado que vive em Chateauguy. Na altura ela tinha 63 anos (jornalista "apanha" tudo...) e descobri uma Mulher gentil, aberta, desempoeirada. Foi realmente uma felicidade.

Mas hoje vi na televisão (creio que na SIC) dois comparsas de galhofa: o meu chefe no DN, Mário Zambujal e uma Senhora que dá pelo nome de HSA,,,

Foi na sala de espera da Neurologia do Egas Moniz que esta absolutamente cheia, mais parecia um comício de um qualquer partido no "velho" Campo Pequeno, em pleno PREC.

Por isso não consegui ouvir nem uma vírgula, quanto mais uma palavra. Mas pude imaginar o que se passava no estúdio da Outurela...

E prontos (sem s) já tá.

Qjs

Henrique
________
Continuo à espera dessa tal Senhora HSC, que desde o Quaternário Superior não vista a Travessa...

Anónimo disse...

Nunca li nada desta autora de contos que comparam a Tchekov. Uma das críticas ao seu livro Fugas diz que é uma taça de caviar em cima de uma cama de gelo brilhante com uma colher de madrepérola. Em geral não conheço os prémios Nobel e até tinha algum preconceito admito, mas tenho tido surpresas como foi o caso da escritora romena de origem alemã Herta Muller, prémio nobel 2009, que hoje é uma das minhas escritoras favoritas. Foi perseguida, presa, torturada e proíbida de publicar na Roménia, sob a ditadura de Ceausescu. As vítimas e efeitos da ditadura são o tema central na sua obra, mas com uma escrita muito pessoal e diferente. Até os títulos como por ex. Já então a raposa era o caçador. Já que estou em maré de citações deixo aqui tb a de Malala que muito me comoveu e a muita gente penso- Uma criança, um professor, uma caneta e um livro podem mudar o mundo. Os livros mudaram e continuam a mudar o meu mundo.


patricio branco disse...

uma esplendida narradora de grande naturalidade sendo os seus contos bocados de vida