quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Falar antes de tempo

Hoje foi um dia para esquecer. Acreditam que me perdi nuns descampados entre Paço de Arcos e Carcavelos? E que tive a sensação de que não sairia mais dali? Estão-se a rir da parvónia da cidade? Pois riam.
Para fugir ao trânsito da auto estrada, apinhada de carros às 18h, à saída de Carnaxide decidi virar para Caxias e seguir pela marginal. O que terei feito não sei. Mas dei comigo numa portagem. Passei e, surpresa, acendeu luz vermelha, o que me parece impossível porque tenho a via verde em ordem. Chegada a casa decidi ligar para os serviços competentes e tentar perceber o que se passava. O número de apoio ao cliente é só um 707, uma ratoeira libertina, que conta ao minuto e dá cabo do bolso do incauto contribuinte. Optei por enviar um mail. Veremos se me respondem...
Estafada, reclamando que, se fosse rica a única mordomia que teria era um motorista, fui para a cozinha preparar a janta. Liguei a televisão e ... pimba, apanhei-os todos. Todos a reclamarem da falta do apoio televisivo. Têm uma graça enorme. Só em Sintra são dez candidatos. Não se enxergam, como diz a Ana, que limpa as minhas escadas.
Portanto, derrubada pelo peso dos acontecimentos, vim para aqui confessar-me. E acabei com um sorriso - talvez fosse melhor chorar mas, hoje, já nem para isso dava - com a proposta que estou a ouvir, ao longe,  de mutualização da dívida. É o PS, claro, a propósito de autárquicas.
Há dias em que se não deveria sair de casa nem ligar a TV!

HSC 

26 comentários:

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Helena: há uns dias, bem à noite, saídos da zona do Palácio da Ajuda, deu-nos para meter por uma rua que não conhecíamos? O que fomos fazer! Perdemo-nos por zonas "insuspeitadas", algumas "de cortar à faca". Não foi fácil! Estou a reaprender Lisboa...

Um Jeito Manso disse...

Eu felizmente agora tenho GPS porque coisas dessas aconteciam-me com alguma frequência. Já dei comigo perdida no meio de Benfica ou da Damaia sem perceber como lá tinha ido parar. Uma aflição. Não há sinalização, não dá para parar o carro, mesmo que pudesse não havia a quem perguntar. Essa sensação: a de que corria o risco de ficar por ali, perdida, até ao fim dos meus dias.

(Mas, enfim, já tive essa sensação no meio do IKEA e a andar a pé. ia sozinha, resolvi atalhar para me despachar mais depressa e, às tantas, vi que estava no mesmo sítio, que estava a andar às voltas, e já sem perceber qual a direcção da porta. O que vale é que lá encontrei um empregado que me orientou. É que nem quis dirigir-me às pessoas que andavam às compras, toda a gente com ar habitué e eu, saloia, perdida).

Quanto às eleições, só tenho ouvido qualquer coisa na TSF, quando estou no carro, e, de forma geral, é de doidos. Há com cada maluco que até assusta.

Um abraço, Helena. E mantenha o sorriso que é o melhor que faz. Chorar para quê, não é?

Dalma disse...

Que tal adquirir um GPS? Por aqui tem-nos feito um jeitão!

Bartolomeu disse...

Excelentíssima Senhora Dona Helena Sacadura Cabral, permita-me que lhe indique o nº da Via Verde, onde poderá obter indicações acerca do identificativo que ocasionaou o acendimento da luz encarnada; 707500900.
Nem sempre o sinal encarnado corresponde a qualquer irregularidade ou mau funcionamento do dispositivo, por vezes é o próprio sistema que está desactivado, ou em reparação, etc.
Quanto à campanha para as autárquicas... também me associo às reclamações dos candidatos; não por uma questão de equidade, mas porque os "tesourinhos" têm sido tantos e de tanta qualidade, que eu penso que se todos os candidatos tivessem direito a um tempo de antena, tinhamos tido a oportunidade de passar uns serões divertidos, muito mais que aqueles que a programação dos vários canais nos proporciona. Mutualização da dívida... não é má ideia, não senhor... assim podemos ultrapassar À vontade os cento e trinta e tal por cento do PIB, gastar à tripa forra, que depois o seguro paga. Só não sei quem é que vai querer responsabilizar-se pelo prémio do seguro... seguramente que não será o Seguro!

Anónimo disse...

Num dia desses, em que mais valia ter ficado em casa,no aeroporto Schipol entrei despistadissima na casa de banho dos homens e fiquei ali especada e desnorteada durante uns 5 minutos. Todos se riram,excepto eu que apenas achei piada no dia seguinte depois de ter descansado,comido e dormido.
L.L.

Maria Júlia Sobrinho disse...

Olá Dra.Helena! Tem razão, "há dias que não devíamos sair de casa" mas só lá vamos com um chip que nos pré-avise, senão, acontece tudo. E mesmo com o aviso, ainda teimávamos a verificar a validade do chip.
Foi só para rir um pouco, porque já me aconteceu de tudo, perdida sem saber onde estava, confiante nas setas da sinalização e mais grave, a gasolina acabar e os gentis encartados a dizerem todos os disparates, pq estas coisas só acontecem a mulheres, etc, etc, como se a nossa carta de condução nos tivesse saído num pacote de farinha para bolos...Tenha um dia melhor e oxalá lhe respondam.
bj da júlia

Alcipe disse...

Assustei-me, querida amiga, o principio do seu post parecia o "Bonfire of Vanities" do Tom Wolfe! Mas felizmente tudo acabou bem.

Virginia disse...


É por isso que não conduzo. Cada vez acho mais confuso o transito e os GPS ainda vêm ajudar à festa. Nada como apanhar transportes publicos e taxis. Poupa-se imenso dinheiro ( seguros, reparações, garagem, óleo, gasolina, acidentes, parque, etc.) e tem-se a certeza de chegar a bom porto. Não sair de casa é que não!!

Bjinhos

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Bartolomeu
Esse número 707500900 recusei eu ligar porque esbulha ao minuto o nosso bolso como digo no post. E eu não gosto de ser esbulhada por um serviço que se quer de apoio ao cidadão. Apoio ao minuto? Era o que faltava...
Com coisas deste tipo não colaboro e revolto-me.
Ponham um número azul 800 que é gratuito ou um 808 que paga uma chamada local. É uma obrigação!

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Dalma
Eu tenho GPS. Mas o malvado não reconhecia o sítio e só dizia para eu voltar para trás. O que não podia fazer porque só tinha caminho para a frente!
Enfim, um bruxedo.

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Alcipe não foi nada que eu me não tivesse lembrado.
E ainda hei-de contar a aventura do retorno!

Helena Sacadura Cabral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Helena Sacadura Cabral disse...

Cara UJM
Ir ao Ikea é pior que ir ao Tibet. Saio sem aquilo que me lá levou e venho com aquilo que encontrei, achei giro, mas não preciso... E no fim, morta de cansaço olho para os sacos e pergunto-me o que é que lá me levou...

Luisa disse...

A minha experiência com a Via Verde também é trágica... Ainda há dias desperdicei duas horas de vida na loja do "cidadão" (qual cidadão, Um Deus??!)!

Luísa Moreira

maria isabel disse...


Também fico danada quando o GPS diz que não reconhece o caminho. Se eu reconhecesse não precisava de GPS. Assumo que tenho um péssimo sentido de orientação, portanto já tenho andado perdida por esses caminhos de Portugal.E o melhor GPS é sempre um português simpatico que me indica o caminho, eu gosto de perguntar onde estou.

Há sempre um final feliz

Abraços
Maria Isabel

Ivete Ferreira disse...

Drª Helena
É um bálsamo a leitura do seu blog.
A sua descrição de uma ida ao IKEA faz-me recordar as primeiras vezes que precisei de lá ir - acabei a sair pela entrada, depois de encontrar tudo o que não queria. Agora já estou mais apta. Começo numa ponta e termino na outra, mesmo que aquilo que me lá levou esteja perto das caixas. Assim não há engano possível. Da politica nem vale a pena falar..
Muito obrigada pelo bem que me faz ler os seus textos. Bem haja.
if

Anónimo disse...

Cara dr.Helena,
há dias em que a lei de Murphy acenta na perfeição,ó se há!
Mas faz bem em sorrir,se bem que chorar também lava a vista.
Quem não gostava de ser o seu "Ambrósio"?
Muita coisa aprenderia,muitas gargalhadas,(na certa),boa música no cadilac...
Seria uma bela passageira(e não patroa),e quando lhe apeteçesse algo,um belo Ferrero Rocher e um cálice de Porto,ou uma Ginginha de Óbidos em copo de chocolate,não?
Que o dia de hoje seja sem stress,e por falar em doces,que tal um?

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Anónimo das 17:00
Sou mais pelos salgados que pelos doces. Mas acabei de deliciar-me com dois Ferrero Rocher. E estou a pelar-me pelo terceiro...
Só me falta o motorista, o Ambrósio. Isso é que é luxo, ter um driver mesmo que se chame só Ernesto!

Anónimo disse...

Há dias assim... mas já passou.

Beijinhos e bom fim-de-semana
Vânia Baptista

Anónimo disse...

"A importância de se chamar Ernesto". Sem dúvida, ele resolveria melhor do que o Ambrósio, e até mesmo do que o GPS...

Dalma disse...

Como me ri!
Mas então era um caminho que só ia para um lado? Saía, de um largo, de uma garagem de uma propriedade.. e por isso não vinha de lado nenhum? !
Não é coisa que já não nos tivesse acontecido ao longo de uns 10 anos que o temos, mas na generalidade são muito fiáveis!

Dalma disse...

M. Isabel, se calhar tem um marido que não se importa de perguntar! Se fosse como a minha metade veria como o GPS era a única solução para evitar pequenas escaramuças ao volante!

maria isabel disse...


Querida Dalma

É o meu cunhado que não gosta de perguntar,daí uma vez em Bilbao, entramos 5 vezes pela mesma autoestrada e eu não aguentei desatei a rir e disse muito mansamente:não é melhor perguntar? A minha irmã (esposa dele) não se conteve também e então perguntamos, e seguimos certinho ate Burgos.É por isso que eu digo que conheço muito caminho desconhecido por esse Portugal

Os homens sabem sempre o caminho para nos levar a lado nenhum,o seu não é único.

Beijinhos

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Dalma era um caminho que para trás tinha um redondel mínimo e um sinal de proibição de sentido ao lado de outro que dizia sem saída. Um fenómeno.
E creio que o homem que parou e estava agitado ou me queria levar a carteira ou estava tão estupefacto como eu...
Hei-de tentar voltar lá de manhã e acompanhada para perceber o que terei feito.

Benó disse...

Depois duma dose de boa disposição tomada ao ler tudo quanto está escrito acima vou dar-lhe uma ideia pelo acender da luz vermelha na VV. O seu cartão de crédito não teria sido substituído, por ter caducado a data, por ex.? Se assim for tem que ativar o novo cartão no Multibanco. Espero ter ajudado.

Anónimo disse...

Cara dr.ª Helena,e lá diz o ditado - que não há duas sem três -que aqui pareçe fazer jus.
Fico contente que tenha gostado da graça,e imagino a sua satisfação.

O "Ambrósio" já preparou o CV e em breve receberá.
Cordialmente,um driver ao seu dispôr.

Anónimo "do Ambrósio" :)