segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Parole, parole...

Por norma, os comentários neste blogue são elogiosos para a autora dos posts. Eventualmente, até, demasiado elogiosos. Terá sido por isso, creio, que em quatro anos de blogosfera, apenas cortei dois. E publiquei alguns que mereceriam, talvez, que o não tivesse feito, dado que só visavam ataques políticos. Mas eu não tenho qualquer medo de ter uma família de políticos de largo espectro. Tenho pena da desinteressante ocupação, o que é muito diferente!
No princípio, por acanhamento - também tenho, de quando em vez, reacções deste tipo -hesitei em publicar tanto elogio. Depois, pensei que pior seria não publicar por me sentir menos à vontade. Finalmente, entendi ser uma prova de má educação da minha parte, cortar a palavra a quem só me manifestava estima e apreço. 
Com efeito, quem aqui comenta, fá-lo em total liberdade. E, se gosta do que eu escrevo ou do que eu penso, ainda bem, porque ninguém escreve para o próprio umbigo. Assim, deixei-me de vergonhas ridículas e, neste blogue, haviam de ficar as palavras que me foram dirigidas, ao ritmo daquelas que fui escrevendo.
Dizem-me que há quem neste espaço elogie e noutros locais comente de outro modo. Porque não o haviam de fazer, quando a duplicidade parece não incomodar ninguém? Será uma mera perda de tempo comigo. Não tenho qualquer tipo de poder nem desempenho qualquer tipo de funções ligadas a ele. Logo, pessoalmente, não me afecta. Se o que se pretende é afectar os meus, é bom saber que, nesse campo, eu sou coriácea. Distingo, de modo exemplar, o que é profissional, o que é raiva e o que é ódio, do que é pessoal. E sei que quem se arrisca na blogosfera, conhece o que ela tem de bom e o que ela tem de mau. Eu só aproveito o primeiro lado. 
Neste canto não bolso rancores nem iras. Tão pouco faço catarse de dramas pessoais. Seria desperdiçar a excelência do dom de viver, e eu não existo para alimentar conflitos, políticos ou outros, porque a minha vida vale muito mais do que isso.
Portanto, elogiando ou criticando o meu trabalho - e não a vida dos outros, que só a eles diz respeito -, as nossas conversas virtuais serão sempre muito bem vindas e apreciadas.

HSC

11 comentários:

Relógio de Corda disse...

Olá!
Muito bem dito (escrito). Compreendo perfeitamente a sua posição, mas acho que esta sua frase, por assim dizer, resume tudo:

"Seria desperdiçar a excelência do dom de viver e eu não existo para alimentar conflitos, políticos ou outros, porque a minha vida vale muito mais do que isso"

Anónimo disse...

Sem "papas na língua" como sempre.
Admiro-a de tal forma que dou comigo com o comando na mão na noite de quarta feira a "puxar a fita" para trás para a ver na tv.
Um beijinhos da sua amiga virtual :)
FL

Raúl Mesquita disse...

Parabéns, Cara Helena!

Raúl.

maria isabel disse...


Parabens.

Quem gosta ou não dos escritos da doutora, que comente. Quanto à política é nas eleições que se devem manifestar.
Há mais leitores a dizer bem que a dizer mal.
Beijinhos pela força que tem
Maria Isabel

Dalma disse...

HSC, nem Deus agrada a todos, como se costuma dizer! Porém podemos discordar sem agredir, contrapor ideias, argumentar, às vezes receber contra argumentação e isso é que dá "sal" ao seu blog!

Maria Joao Morgado disse...

Os elogios não são em demasia ... digo eu!
Este post é prova disso.

Anónimo disse...

"se gosta do que eu escrevo ou do que eu penso", desculpe mas esqueceu-se de uma coisa: também gostamos muito de si... (e desculpe que nunca me dirigi assim à senhora mas não sei como escrevê-lo de outro modo) da Helena, simplesmente.

Da Helena que ri...
Da Helena que faz rir...
Da Helena que tem os olhos brilhantes...
Da Helena que tem um sorriso simples e radiante...

... da Helena.

Um beijinho
Vânia Baptisa

Anónimo disse...

A fe apara todos os golpes. A fe transforma o veneno em agua cristalina.
Palavras de um escritor que vende imensos livros e divulga a lingua portuguesa, como poucos outros, mas que continua a ser muitissimo criticado.
L.L.

Teresa Peralta disse...

Parece que há gente para tudo!...Educação para a dignidade nunca fez mal a ninguém e, deveria ser essa uma das orientações a preservar na civilidade de todos nós. Pela parte que me toca, os elogios são bastante controlados, sempre que comento os seus posts :))
Um enorme abraço

Anónimo disse...

Cara H.S.C.,

«Os cães ladram e a caravana passa», e todos nós que seguimos o seu blog a admiramos e respeitamos.

Um abraço da

Anabela S. R.

HOPE disse...

Alguém disse"palavras para quê?é um poeta português"
E eu acrescento:
-É uma mulher portuguesa com certeza
Parabéns Dra por ser quem é pela forma de estar na vida,e quem se sentir incomodado que se mude,alias,acho graça às pessoas que criticam,se criticam é porque a lêem,será só com a finalidade de criticar?Pois,fica a pergunta...
E já agora "dos fracos não reza a história",e a Sra fez,faz e fará história...
cumprimentos