terça-feira, 6 de agosto de 2013

Made by HSC

Tenho amigas que não acreditam que compro algumas coisas nas lojas dos chineses. Compro sim. E divirto-me muito a recria-las. Ontem levei a um encontro um fato vistoso que fora adquirido numa dessas lojas e a que eu havia emprestado uma alteração pessoal, colocando umas aplicações de minha autoria. 
O vestido - porque era desta peça de vestuário que se tratava - custara onze euros. As aplicações em crochet eram de linha que já tinha - gosto de fazer tricot e crochet - estavam engraçadas e tornaram a farpela original.
Uma das senhoras que lá estava e que só veste roupas de marca, perguntou-me se a minha fatiota era Missoni, sabendo que é uma casa de alta costura de que gosto, porque apreciar o que é bom e de qualidade, é natural. Comprar já o pode ser menos...
Quando lhe respondi que era da China, admitiu que seria de alguma viagem que eu tivesse feito. Quando a esclareci que era de Campo de Ourique, não queria acreditar. Insistiu tanto na dúvida que hoje obriguei-a a ir comigo ver a dita casa. 
Ficou embatucada. Mas ainda arriscou um "e o resto?". Aqui, vaidosa, respondi que era "made by HSC". Levou, acreditem, uns segundos a compreender...

HSC

17 comentários:

Virginia disse...

Como a compreendo, Helena!

Também sou daquelas pessoas que usam roupa dos "chineses" e não se envergonham pois são giras e nos ficam bem. Também faço tricot e crochet e adoro trabalhos manuais, desde que fiquem bem. Os meus netos têm pulovers de todo o género que lhe faço todos os anos - agora sem mangas, pois as casas são aquecidas e as escolas também -.
Em tempos fui ao casamento da minha irmã com um colete todo crochetado por mim com fio prateado - e no dia a dia, uso roupa barata de que gosto. É raro comprar roupa cara, não acho que valham o dinheiro!!

Anónimo disse...

Muito prendada sim, senhor, gostaría(mos) de ver o adereço HSC.

;)

Não que duvide dos seus dotes nos labores... pura curiosidade minha, que sou mais dada ao ponto-de-cruz.

Um beijinho
Vânia

Isto e aquilo disse...

Pois eu, Helena, confesso a minha faltinha de jeito para encontrar essas coisas fantásticas de que fala nas lojas chinesas e apesar de em Alvalade, por exemplo, haver uma em cada esquina, quase me esqueço que elas existem. E depois também não sou especialmente dotada para os trabalhos manuais. Será isso?
Mas há outras lojas onde se compram também coisas muito interessantes a óptimos preços, digo eu...
Gosto da fotografia da Ferreira Borges e, ainda que não venha a propósito, também gostei muito da entrevista no Económico :))

Beijinho
Isabel Mouzinho

Anónimo disse...

Cara HSC,
O homem diferencia-se entre o ser e o ter. O ter torna-se o mais importante, mas dificilmente percebemos que só administramos as coisas, nunca as possuimos! O ser torna-nos únicos, insubstituiveis. como um dia alguém me disse "gosto das coisas simples mas só quero o melhor" ... Demorou mas percebi!
L.E.

maria isabel disse...

Doutora Helena
Também gasto dessas botiques e dou-lhes um quê pessoal que faz espanto aos colegas das minhas filhas. Basta um monograma bordado numa perna das calças ou um canto de crochet para esconder um bolso que tem a marca da china e também lá vou eu e ninguem acredita que vivo com dificuldades.
criatividade não me falta
beijinhos
maria isabel

Fatyly disse...

Ora nem mais e que bela lição e talvez se fosse Missioni (que nem imagino que tipo de roupa é) não teria dado tanto sucesso!

Também gosto muito de fazer tricot e crochet e nem imagina o que já fiz e para mim é a melhor terapia para tudo:)

João Menéres disse...

Ai se não acredito !

Melhores cumprimentos.

( Por motivo de férias, vou falhar várias vezes...)

Um Jeito Manso disse...

Olá Helena,

Como a compreendo e como me revejo nessa sua atitude. Alinho pela mesma bitola.

Como poderá ver lá no meu canto, sou bem mandada. Lá fui à Parfois e, tal como tinha dito que faria, lá fiz a minha 'instalação'.

Se quiser por lá passar, poderá apreciar a carteira e a écharpe. (Tive que me conter para não trazer também uma carteira em camel e castanho e uma écharpe em tons terra e laranja).

E, para efeito da dita 'instalação', conjuguei-as com as calças da Zara que tinha comprado ontem e com uma blusinha e um colar de compras anteriores.

Muito obrigada, Helena! A sua dica foi preciosa: estava mesmo a precisar daquelas duas peças... (coisa de que não consigo convencer o meu marido, tal como conto lá, mas isso é um problema dele...:-))

Um abraço!

Soledade Silva disse...

A Dra Helena fica sempre chique pois a classe vem-lhe de dentro, não precisa das etiquetas caras!E já agora aproveito também para dizer q adorei a entrevista q deu ao Diário Económico! Pela primeira vez comprei esse jornal para ler a entrevista e guardar!

maria isabel disse...

No final do inverno numa dessas casas de por os olhos em bico tinha uma promoção: 1 casaco de malha 5 euros 2 casacos 7,5 euros. Comprei 2 um maior e outro mais pequeno. O maior era para eu estar em casa nada modifiquei, mas ao lado da loja tinha uma retrosaria e eu comprei umas cotoveleiras do mesmo tom.as cotoveleiras colam-se passando o ferro, mudei os botões que tinha super antigos e no dia seguinte quando a minha filha chegou ao tribunal passou por ela a juiza que por acaso foi colega de faculdade e disse-lhe: compraste esse casaco na "BIMBA & LOLA" custou 64 euros que eu vi lá. A minha filha respondeu nao sei foi a minha sogra que me ofereceu porque o estado nao paga assim tão bem aos advogados para comprar casacos de malha a 64 euros.
Mas por causa desta minha habilidade fiquei muito prejudicada . nunca consegui bolsas de estudo para os meus 3 filhos, porque a assistente social disse que pelo meu IRS e da maneira que andavamos vestidos nao podia ser e foram dados como não carenciados. Eu era sozinha e tive ajudas de família para conseguir que estudassem.
beijinhos mas já passou
maria isabel

Teresa Peralta disse...

Esta é a segunda vez que estou a comentar este post. Vamos la ver se agora faço tudo bem para que seja publicado. Não percebo nada de telefones e o meu comp. ficou a descansar em casa.
Pois... Hoje em dia é importante adaptarmo-nos as situaçoes, colocando a cabeça a trabalhar e, com criatividade. No entanto, nem toda gente consegue essas proezas... Ainda por cima, pouco conheço da marca, mas sei que tinham cores lindas com estampados soberbos (tive mais experiencia com decoraçao). Posso imaginar o prazer que lhe deu... :-)

Anónimo disse...

Pois é Dra. Helena, são as pessoas que valorizam as roupas! Vestisse eu uma fatiota do mais prestigiado costureiro e...ninguém ia dar por nada! E seria logo associada aos ditos chineses! A classe e o charme não estão no que se veste mas em quem veste!
Bom mês de Agosto.

Brown Eyes disse...

Acho o máximo e admiro-a imenso por este tipo de partilha; eu pessoalmente não aprecio as "lojas chinesas" mas na altura da minha gravidez ainda comprei lá umas coisitas e deram-me imenso jeito - por vezes acabamos por ser um pouco tendenciosos sem termos na realidade verdadeiro conhecimento de causa.

BE

Anónimo disse...

Foi a entrevista que deu a um jornal sobre a "demissão" do seu filho Paulo que me trouxe aqui a este blogue... e que bom que foi! É sempre um prazer ler o que escreve; adoro esse "olho vivo" e humor "fininho" de quem se consegue rir de si mesma. Que bom que vai ser poder seguí-la (por aqui, é claro!)AMO

Isabel Seixas disse...

Boa.
Abraço

andreiaN disse...

Olá Helena,
Não pode partilhar a morada?
Já ouvi falar imensas vezes dessa mesma loja chinesa em Campo de Ourique mas nunca a consegui descobrir.

Obrigada!

Fernandes disse...

É a cretinice em todo o seu esplendor :(
Ao menos chamem-lhe gengis cão