segunda-feira, 15 de julho de 2013

DSK e a sua circunstância

Tenho uma pecha, confesso. Sempre me seduziram os homens inteligentes. Ainda hoje, com esta bela idade, não lhes fico indiferente.
Vem isto a foice de martelo de uma notável entrevista dada por Strauss-Khan à CNN. A lucidez, a inteligência, o brilho, fizeram com que, durante 45 minutos, eu esquecesse completamente tudo aquilo de que este homem havia sido acusado, presa que estava do fulgor da sua análise.
O ponto central do discurso assentava na incapacidade que a Europa havia manifestado de compreender primeiro, e conviver depois, com o fenómeno da globalização. E demonstrava que, ainda mais do que a austeridade - uma consequência -, essa incompreensão é que havia conduzido o Velho Continente à situação actual.
Quando interrogado frontalmente acerca dos problemas sexuais que havia enfrentado nos EUA e que ainda decorriam na Europa, não se atrapalhou e foi claro, confessando o seu maior erro: o de ter ousado pensar que um homem público poderia ter vida privada ou estar acima de qualquer um.
Para quem, como ele, foi tão brutalmente acossado, ser capaz de, publicamente, assumir esta posição - que, se não lhe retira culpas, permite-lhe, pelo menos, não enfileirar no rebanho das vitimas marginalizadas - merece um mínimo de indulgência. Possivelmente se DSK não fosse tão brilhante eu seria menos complacente. Admito e por isso comecei confessando a minha fraqueza.
É, de facto, uma pena que uma cabeça destas se tenha perdido por causa de outras cabeçadas. A França perdeu um Presidente altamente qualificado, a Europa perdeu o homem que, no FMI, bateria o pé à América e ele próprio passou ao lado do seu destino natural. 
Mas, devo confessar, depois de ver a entrevista fiquei com a ideia de que se não fosse a sua idade, muito possivelmente, a sua história política estaria longe de estar fechada.

HSC

27 comentários:

Dalma disse...

A ser verdade o que li há tempos num jornal francês sobre a sua vida privada,(mas também não se pode acreditar em tudo o que eles, jornais, nos dizem) o estilo não era diferente do de Berlusconi!
Como podem eles com a "cabeça a flutuar" gerirem os destinos dos outros? Terão "departamentos"tão distintos no seu cérebro que possam pensar em duas coisas tão diferentes como sexo e economia financeira do Mundo em que se movem uns quase sete mil milhões de seres humanos?
São inteligentes, com certeza! Mas não são os manipuladores inteligentes?
As minhas ??? são apenas perguntas retóricas!

António Pedro Pereira disse...

Helena:
De facto, com a tara sexual que tem, este sujeito tem não reunia condições para ser PR.
Mas sabe do que fala: economia ao mais alto nível.
Quando vemos outros que lhe ocuparam/ocupam o lugar, por mais «bem comportados» que sejam, não lhe chegarem aos calcanhares e, ainda por cima, serem adulados por muitos que criticam este, é caso para ficarmos perplexos.
E as tontas (estou a ser bem-educado na escolha dos termos) que se deixaram seduzir/ofereceram ao sujeito virem lavar a roupa suja em público a troco de fama (provavelmente de dinheiro também)...
Triste mundo o nosso.

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Dalma
Os franceses estão muito habituados a este tipo de originalidade familiar. Mitterrand acolheu no Eliseu as suas duas mulheres, pagas pelos contribuintes e ninguém se ofendeu com o caso...
Todos sabiam da sua filha Mazarine e só quando o pai consentiu é que os jornais falaram.
E na França republicana os "casos" abundam.
O sexo não comanda a vida, embora seja uma parte importante dela!

rmg disse...


Cara Drª Helena

"A foice de martelo" ou "a talhe de foice" (linha 3)?
Nem me atrevo a tirar conclusões !

Excelente análise a sua , lembro-me bem de que já uma vez aqui falámos de como tudo poderia ter sido diferente se ele tivesse ficado no FMI ou fôsse presidente da França .

RuiMG

P.S. - Não resisto e espero que a "Dalma" não me leve a mal : a cabeça dos homens não funciona como a das mulheres , como se sabe .
Não digo que seja bom ou que seja mau - é assim .

Fernando B. disse...

Tenho uma pecha, confesso. Sempre me seduziram as mulheres inteligentes. Ainda hoje, com esta bela idade, não lhes fico indiferente.

Respeitosamente, é claro!

Anónimo disse...

Tantos que fazem o mesmo ou pior que o DSK e continuam na boa... Independentemente do que possa ter acontecido acredito piamente em linchamento político.

Isabel BP

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Rui MG
O que eu gargalhei com o seu comentário e o meu acto falhado...

Caro Fernando B
Gostei muito do seu comentário!

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro RMG
Ó Deus, hoje não acerto uma e vai daí, chamei-lhe Rui...

Virginia disse...

Penso que a tolerância para com os seus actos deve ser igual ou na mesma proporção aplicada às mulheres, sejam eles e elas inteligentes ou não.

rmg disse...


Cara Drª Helena

Pois só se confirma !
Mas estas pode muito bem não acertar tendo em conta as que acerta .

É que fez muitíssimo bem em chamar-me "Rui" , que é o que eu sou .
Até passei a assinar "RuiMG" os meus comentários desde a vez que se me dirigiu como "Caro/a" .

DNO disse...

Também vi a entrevista que cita e fiquei com a sensação de que o homem não só é brilhante como que foi por causa disso mesmo que lhe prepararam o caldinho... (digo eu que só percebo de economia...doméstica :) )

Paulo Abreu e Lima disse...

Pois penso que, mais para o bem do que para o mal, DSK cumpriu em pleno o "seu destino natural".

Não obstante essa sua sincera fraqueza desatinada pelo brilhantismo intelectual me seja muito próxima... - com todo o respeito, como dito supra.

Um Jeito Manso disse...

Olá Helena,

Percebo bem o que diz e, neste assunto, identifico-me consigo.

Lamentei muito o que aconteceu a DSK e continuo a ter pena.

E também gostei muito de o ver na entrevista. Aliás acabei de escrever sobre este assunto e tomei a liberdade de apontar para este seu texto.

Obrigada, Helena,

Dalma disse...

rmg, não, não levo a mal, já li sobre o assunto, mas concorde que não é fácil lidar com o assunto no campo que gerou este debate!
A natureza realmente fez-nos diferentes... Não há mulheres daltónicas nem hemofílicas e por aí à frente num role de coisa! Temos maneiras diferentes de ver as coisas, daí a diferença e NÃO NAS CAPACIDADES!

Dalma disse...

Sim, sim, estou informada, mas proibindo a imprensa de falar no assunto, parece-me que M. sentia mesmo vergonha da sua conduta! Não seria?

Dalma disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isabel Pais disse...

Sob o ponto de vista científico o homem não consegue fazer duas coisas ao mesmo tempo, só consegue processar uma parte do cérebro de cada vez....penso que está tudo explicado!
Quanto ao facto de ser inteligente e não o ter aproveitado da melhor forma, perdeu ele acima de todos e nós podemos a aprender com o que ele perdeu.

Mas concordo, alguns homens, têm um "Je ne sais quoi..."

Um abraço,

Isabel

Anónimo disse...

O sexo até que comanda a vida! Mas cuidado com as depravações...O seu custo é muito elevado...e não compensa.

Anónimo disse...

Adorei este seu post! Subscrevo na integra!

Anónimo disse...

Bom dia,

Também assisti, embora a uma pequena parte, da entrevista.

Achei-o uma pessoa inteligente que sabia do que falava, além da pronúncia e da gramática inglesa exemplar!

Deu assim uma boa sacudidela aos "grandes" lideres europeus, a Sra. Merkel até deve ter dormido mal! :-)

Quanto ao seu "crime" público ... bem, nada do que disse amortece os seus actos. Pois, a ser verdade o que muito se disse dos seus costumes, público ou privado é, a meu ver, duvidoso. Parece demasiado concentrado na validade das suas vontades, independente da vontade do outro!

Não obstante, parece uma pessoa habituada a pensar e a executar em conformidade com o seu pensamento e, economicamente falando, poderia ter sido interessante.

Como cantaria AV, "quando a cabeça não tem juízo, o corpo é que paga", neste caso, quando a cabeça não tem juízo, a carreira política é que paga...

Bom dia para todos!
Cláudia






Anónimo disse...

Há mentes tão brilhantes,que nos fazem sentir idiotas de tão brilhantes que são.
Qdo vi esta entrevista,não pude deixar de admirar a humildade,a simplicidade,e a honestidade com que respondeu às perguntas, e nunca se furtando a elas,até nisso foi brilhante.
Enquanto o via,vinha-me na lembrança,a imagem dele qdo foi preso,parecia um criminoso,confesso que senti pena,como sinto pena de todos aqueles que tinham tanto para dar à sociedade,e estragam tudo num momento,por vários motivos.
No caso deste Sr a carne é fraca e ele não o desmente,ms acho que isto nada mais foi que uma cilada,bem orquestrada.
Se alguém neste caso ganhou,foi só ela,foi bem paga.Ele perdeu e mto,menos a mente brilhante que tem.
Fica um lamento e só, quando o vi nessa belíssima entrevista.
Cumprimentos
Fátima Duarte

Maria Júlia Sobrinho disse...

É uma pena que nenhum de nós venha a saber na integra o que realmente se passou e a quem convinha que tivesse ocorrido como dizem....eram todos maiores de idade!
Penso que perdemos todos!
Ate´que ponto a sua inteligência e lucidez não ofuscou muitos?

HBC disse...

Cara Helena,
Também tive o prazer de ver a entrevista de DSK. Sem dúvida que a Europa podia ter tido políticas diferentes se à frente dos vários Estados tivéssemos estadistas carismáticos e inteligentes. Mas os poucos que existem são totalmente aniquilados pela mediocridade existente.
Considero que a inteligência é um bem demasiado precioso para poder ser desperdiçado. Mas quem o possui sofre muito.
Sempre com amizade.

Dalma disse...

Acabo de ler no I.Herald Tribune ( 17 de Julho ) que o D.S.Kahn acaba de aceitar um lugar na administração de um banco russo " Russian Regional Developement Bank" e também como consultor numa agência de consultoria! Parece- me pois que a França, pelo menos por enquanto, não está ainda capaz de lidar com os acontecimentos que têm vindo a lume, pois para além do caso de Nova York há outros mais aqui por perto como o IHT volta a referir.
Sorte a da Rússia, dirão alguns dos seus leitores, mas sobre isso não me atrevo a discorrer...

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Dalma
É verdade, sim. Eu já sabia porque tinha ouvido na CNN.
Na Rússia o que pretendem é usar a sua inteligência. Quanto à sexualidade devem pensar que, entre adultos, cada um que se cuide.
E, pelo que li, apesar de se dizer muita coisa, não ouvi falar de menores. Só de maiores, que decidiram falar quando já tinham passado anos sobre os acontecimentos!

mariana rebouta disse...

Como os homens inteligentes são traídos peas suas fraquezas ,perdemos todos com isso .

David disse...

Julgue um homem pelo seu carácter, não pela sua reputação, porque um tarado sexual não deixa de ser um tarado sexual...